Notícias

Publicado em 05 de Novembro de 2015 às 15h:03

CMB tira títulos de Mayweather e os declara "vagos"

AutorDaniel Leal

Imagem: Al Bello/Getty Images

O Conselho Mundial de Boxe decidiu em sua 53ª convenção anual, que ocorre em Kunming, China, declarar vagos, finalmente, os cinturões mundiais das categorias meio-médio e médio-ligeiro que pertenciam à Floyd Mayweather jr. (49-0, 26 ko's), uma vez que este anunciou a aposentadoria do esporte no último mês de Setembro.

Ainda em comunicado à imprensa, o CMB decidiu que pretende realizar um torneio em ambas as divisões de peso, para apontar o novo detentor destas cintas. Com isso, todos os lutadores rankeados entre os 15 primeiros pela entidade serão notificados a respeito do interesse em participar da competição. O brasileiro mais próximo desta disputa seria Acelino “Popó” Freitas (40-2, 34 ko's), que ocupa a 24ª colocação na categoria até 69,853 quilos. Se realmente deseja se tornar campeão do mundo pela quinta vez, esta seria uma excelente oportunidade.

Mayweather agora será declarado “Champion Emeritus”, título dado em ocasiões especiais a determinados ex-campeões afastados do esporte. Este cetro não é apenas simbólico, ele significa uma passagem direta para um mundial quando o atleta decidir retornar aos ringues. Confuso? Explico: O boxeador declarado campeão emérito pelo Conselho, se decidir retomar a carreira, volta como desafiante obrigatório ao detentor do cinturão mundial linear da categoria.

Vitali Klitschko se locupletou deste título quando voltou de 4 anos aposentado para tomar o boldrié de Samuel Peter, em 2008, e é o atual “Champion Emeritus” dos pesados desde 2012, quando abandonou de novo o pugilismo para se focar na carreira de político na Ucrânia. Em tese, ele poderia, então, se tornar adversário mandatório de Deontay Wilder quando quisesse.

Este precedente corrobora ainda mais com a teoria dos que, assim como eu, são céticos em relação a aposentadoria definitiva de Floyd, e também com quem acredita em uma revanche contra Manny Pacquiao, em 2016.

Comentários