Notícias

Publicado em 12 de Dezembro de 2015 às 02h:35

William Silva conquista grande vitória em noite de derrota de Jô, e bela luta pelo título dos galos

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Imagem: Top Rank

O peso-leve William Silva (23-0, 14ko’s) se firmou como uma das maiores promessas brasileiras, ao derrotar, na noite desta sexta, o mongol Bayan Jargal (17-7-3, 11 ko’s), por nocaute técnico no terceiro round, em Porto Rico. Após levar vantagem nos dois primeiros giros, Silva conseguiu aplicar dois knockdowns no terceiro, encerrando por ali a contenda. O resultado de William foi melhor diante de Jargal do que o de nomes como Chris Algieri e Breidis Prescott, que foram levados até o final da luta pelo atleta da Mongólia, prova de que a Top Rank talvez tenha acertado em cheio ao contratá-lo. Este êxito abre mais oportunidades ao brasileiro, em 2016, na corrida pelo cetro mundial da categoria.

Na principal preliminar do evento, Nonito Donaire (35-3, 23 ko's) e Cesar Juarez (17-3, 13 ko's) fizeram uma das melhores disputas de título, em 2015. Após aplicar duas quedas em Juarez, Donaire não conseguiu derrubar seu oponente mais uma vez e encerrar o embate no quarto assalto. O que parecia ser um amplo domínio do filipino se inverteu na segunda metade da peleja, quando Juarez passou a acertar mais e ser muitíssimo agressivo, dada à falta de mobilidade de Nonito, causada por, ao que parece, uma torção no tornozelo durante o imbróglio. Não raros foram os momentos em que Donaire teve de aguentar as pontas para não ir á lona, mas constantemente acertava Cesar com perigo. Ao fim da contenda, os marcadores apontaram 116-110 (duas vezes) e 117-109, todos em favor de Nonito Donaire, que se torna novamente campeão ao arrebatar a coroa OMB dos super-galos, que estava vaga. O Round13 viu o resultado em 115-111 para o vencedor.

Na luta de fundo do evento, o público porto-riquenho foi testemunha de toda a habilidade de seu lutador local, Felix Verdejo (19-0, 14 ko's), diante do brasileiro Josenilson dos Santos (27-4, 17 ko's), o “Jô”, em defesa do cinturão latino dos pesos-leves, que seguiu com a promessa invicta da América Central.

Verdejo não precisou de muito para superar Jô. No primeiro round já chegou á balançar o boxeador tupiniquim com precisos contragolpes. E foi com muita precisão que Felix aplicou um espetacular jolt de direita - de encontro á abertura para aplicação de um golpe de Josenilson -bem na ponta do queixo. Dos Santos se levantou na contagem, mas não conseguiu manter-se em pé de forma firme, obrigando o árbitro á encerrar o confronto.

Verdejo demonstra, ao vencer Josenilson de forma tão fácil, que dificilmente será apenas uma promessa da nobre arte. Nosso atleta não é nenhuma galinha morta e para quem não se lembra já foi, ele mesmo, considerado um bom prospecto no passado. Um futuro promissor aguarda Felix, portanto.

Comentários