Notícias

Publicado em 13 de Março de 2016 às 22h:43

Henrique Oliveira vence a segunda

Foto do autor

Autor Luigi F.

Henrique Oliveira (esq) e seu treinador, Orlando Cuellar (dir). Imagem: Arquivo pessoal

Em evento realizado em Asheville, na Carolina do Norte, EUA, o brasileiro radicado em Miami, Henrique Oliveira (2-0, 2 KOs), manteve a invencibilidade ao derrotar Khalil Marsh (0-1) por nocaute técnico no segundo assalto, após interrupção do árbitro. Foi a segunda luta de Henrique, que estreou no boxe profissional em meados de fevereiro deste ano, obtendo vitória na República Dominicana.

Após um primeiro round de estudos, Henrique dominou as ações diante de Marsh, que fazia sua estreia no profissional. Tendo em seu corner o treinador Orlando Cuellar, além do irmão mais velho, Michael Oliveira, Henrique conseguiu uma boa performance no assalto seguinte, pressionando Marsh e colocando bons golpes até a interrupção do embate.

“Estou feliz. É uma satisfação e um sentimento de missão cumprida. Honestamente, me senti um pouco mais tranquilo dessa vez. Agora é aguardar a definição do meu promotor e treinador sobre minha próxima luta”, declarou Henrique Oliveira ao Round13.

Também conversamos com Orlando Cuellar, que comentou um pouco sobre o combate e os próximos passos da carreira do jovem boxeador.

“O Henrique, em apenas sua segunda luta, mostrou o foco e a maturidade de alguém com bem mais experiência. O primeiro round começou estudado, com Henrique sentindo o ritmo e boxeando, assim como seu adversário. Ele seguiu fielmente as instruções do corner, e no segundo assalto, passou a colocar mais pressão, fazendo com que o ringue ficasse pequeno para o oponente, colocando golpes na cabeça e no corpo. Seu adversário sentiu, e parecia estar em sérios problemas até a interrupção do árbitro”, declarou Cuellar após o término da luta, com exclusividade ao Round13.

De acordo com Cuellar, o brasileiro deve retornar aos ringues já no mês de abril. A terceira luta de Henrique provavelmente se dará novamente no estado da Carolina do Norte.

Comentários