Notícias

Publicado em 04 de Abril de 2016 às 19h:35

Ainda sem receber bolsa da luta na Alemanha, Eduardo Reis lutou e venceu neste domingo

AutorDaniel Leal

Atleta paulista fez preliminar de evento na cidade de Cotia, em que o veterano Giovanni Andrade bateu Walter Rojas, da Argentina. (Imagem: Arquivo Pessoal) 

Quatro meses se passaram desde que Eduardo Pereira dos Reis (25-3, 19 ko's) viveu o maior pesadelo de sua carreira, quiçá de sua vida. Após lutar, não receber a bolsa, ver uma toalha inesperada sendo jogada e ainda sofrer ameaças quando vencia o turco Yavuz Ertuerk pelo título Inter Continental da FIB, no final de Dezembro de 2015, nada ainda foi feito para anular o resultado ou, ao menos, pagar o que ficou em débito perante o pugilista de Osasco.

Ciente de que seu nome ficou exposto e da cobrança que sofre hoje devido aos fatos ocorridos na Alemanha, Eduardo refletiu bastante sobre sua trajetória, mas, decidiu voltar aos ringues neste Domingo, em Cotia, Grande São Paulo, . Do outro lado do quadrilátero encontrava-se Darli Gonçalves Pires (21-23-1, 12 ko's), um experimente journeyman do boxe brasileiro. Reis venceu o combate por nocaute, mas não sem ter alguns problemas.

“Foi difícil, o cara tem uma mão pesada, dura e é um cara experimentado. Ele não tem um estilo ortodoxo, jogou uns '‘pombos sem asa’' e me pegou, a iluminação do lugar também afetou meu empenho, estava ruim, mas graças a Deus retornei com triunfo. O pessoal do boxe pode falar do cartel dele, mas foi um cara que me complicou, minha sorte é que eu sou duro e acertei uns golpes contundentes. Ganhei de um cara duro, ele só perdeu pra cara bom, Nathan Coutinho, Aelio Mesquita, Juliano Ramos, Joaquim Carneiro...”


Iluminação do local da luta, visivelmente, deixou á desejar (imagem: Arquivo Pessoal)

Eduardo disse que, devido à falhas em sua guarda, acabou sendo muitas vezes golpeado, mas conseguiu acertar esquerda no fígado de Darli ao final do segundo assalto, finalizando a contenda no terceiro giro. Sobre o futuro, o osasquense pretende fazer um “bom papel no Brasil” - segundo suas próprias palavras – e voltar á lutar no exterior somente quando for vantajoso, ou seja, valendo um bom título ou rankeamento. “Sei que eu bem treinado, bem alimentado, bem preparado, posso fazer frente á qualquer um lá fora. Carreira internacional só para fazer luta grande lá fora, por cinturão ou eliminatória.”, declarou com exclusividade ao Round13.

O combate entre Dos Reis e Pires foi preliminar do evento em que o veterano Giovanni Andrade (70-13, 58 ko's) nocauteou o argentino Walter Rojas (24-9-1, 23 ko's), no segundo intervalo, valendo o cinturão dos super-galos pelo Conselho Mundial de Pugilismo, organismo menor sediado na Argentina. Além destes enfrentamentos, Elica Jamile De Souza (8-0, 4 ko's) venceu a estreante Jéssica da Silva (0-1) pela via rápida no terceiro round, na categoria das moscas-ligeiras. O paraguaio radicado no Brasil, Blas Flavian Caballero (4-0, 2 ko's), venceu Paulo Bispo (2-2, 2 ko's) por decisão unânime, no limite dos galos. O pesado Felipe Augusto dos Santos (2-0, 2 ko's) venceu pela segunda vez em cinco meses  Alex Alberto Oliveira (0-2), agora por nocaute técnico no terceiro giro. Em uma estreia dupla, o super-médio Marlon de Melo (1-0, 1 ko's) bateu Matheus Bittencourt (0-1) logo no primeiro assalto.

Comentários