Notícias

Publicado em 14 de Maio de 2016 às 12h:10

Relikh vence Carneiro por TKO no 4º round

AutorLuigi F.

Imagem: Reprodução / YouTube

Em evento ocorrido ontem na cidade de Bolton, na Inglaterra, o brasileiro Joaquim Carneiro (23-8, 21 KOs) acabou superado pelo bielorrusso Kiryl Relikh (21-0, 19 KOs). O combate era válido pelo cinturão intercontinental da AMB entre os super-leves, que permaneceu nas mãos do boxeador europeu.

Mesmo tentando buscar a luta e mostrando valentia, o cearense acabou não suportando a pressão dos golpes do rival. No quarto round, após Joaquim apresentar um sangramento no nariz e começar a receber uma quantidade maior de golpes desferidos por seu oponente, o argentino Juan Pablo Manfredi, que estava no corner no brasileiro, optou por jogar a toalha, encerrando a disputa.

“A vitória não veio, mas diferentemente de Nova York, quando perdi no primeiro round, hoje eu consegui lutar. O Manfredi resolveu parar a luta no quarto round, pois estava sangrando muito meu nariz e eu também já estava levando muitos golpes. Na hora eu reclamei um pouco (dele ter parado) pois eu queria lutar mais, mas depois entendi que deveria ter sido parado mesmo. Meu adversário pega muito duro, com diretos e cruzados muito fortes. Não sofri nenhuma queda, estava suportando bem, mas sangrei muito. Lógico que uma vitória teria sido tudo, mas só de ter vindo aqui e conseguido lutar bem depois de tudo que eu passei, já foi muito importante pra mim. Só eu sei tudo que passei, fiquei 2 meses numa cama de hospital, com seis fraturas expostas, depois tive uma infecção grave nas pernas. Estou voltando porque quero, porque gosto do boxe, gosto de lutar”, declarou Joaquim Carneiro com exclusividade ao Round13.


Joaquim Carneiro (dir) com Ricky Hatton (esq), que atualmente treina Relikh. Imagem: arquivo pessoal

Essa foi a oitava derrota na carreira de Carneiro, todas ocorridas em duelos fora do Brasil. “La Calle”, como é conhecido o pugilista cearense, declarou que pretende se mudar para São Paulo, onde deve voltar a treinar com Peter Venâncio. Durante a preparação para o combate com Relikh, Joaquim já havia passado uma temporada na capital paulista. “Gosto de sentir o frio na barriga antes de subir no ringue da adrenalina. Eu voltei porque eu quero, e depois de Nova York, eu comecei a não acreditar mais em mim, achei que eu jamais conseguiria enfrentar caras duros e passar do primeiro round. Vou voltar a morar em São Paulo, treinar com o Peter (Venâncio) direto igual fazíamos antes e quero voltar a lutar no exterior. Até um mês atrás eu não acreditava mais em mim, mas hoje eu acredito que superei meus traumas. Estou bem e estou confiante em retornar”, finalizou Joaquim.

Relikh, por sua vez, mantém a invencibilidade e segue como uma das grandes apostas de seu treinador, o ex-campeão mundial Ricky Hatton. Atualmente, o bielorrusso está ranqueado como 4º colocado pela AMB e 7º colocado pela FIB, e pode em breve disputar um título mundial.

Para conferir o vídeo da luta, basta acessar o link abaixo:

Comentários