Notícias

Publicado em 22 de Maio de 2016 às 21h:00

Vitor Jones Freitas vence Rodolfo Franz no “Clube do Boxe”

Foto do autor

Autor Luigi F.

Imagem: Reprodução / Instagram

No combate principal da quarta edição do “Clube do Boxe”, evento de boxe realizado ontem na academia Combat Club, em São Paulo, capital, o boxeador baiano Vitor Jones Freitas (13-0, 7 KOs) manteve a invencibilidade ao derrotar, por nocaute técnico no quinto round, Rodolfo Franz Karbstein (9-17, 7 KOs).

Dominante, Vitor, que é sobrinho de Acelino “Popó” Freitas, obteve sua primeira vitória no ano de 2016. Sem lutar desde agosto do ano passado, quando derrotada Sidney Siqueira em disputa do título brasileiro dos leves pelo CNB, o pugilista agora continua sua preparação para voltar a lutar nos EUA. O baiano, que é treinado por seu tio Luís Cláudio, deve combater em Nova York no próximo dia 11 de junho.

“O Rodolfo é um cara experiente, estava invicto desde 2013, então não era um adversário fácil, mas eu vinha treinando bem. Senti meu ombro esquerdo no primeiro round com uma troca de golpes, mas sou guerreiro. Se tivesse que lutar 15 rounds com o ombro doendo, eu lutaria. Pela glória de Deus, consegui o nocaute técnico no quinto assalto”, declarou Vitor Jones com exclusividade ao Round13.

Promovido no exterior pela Banner Promotions, empresa de Art Pelullo que também promoveu Acelino Freitas, Vitor comentou um pouco sobre a importância de poder contar com Luís Cláudio e com Popó, além das expectativas para o futuro. “Ter meu tio Popó, que foi tetracampeão mundial, e meu tio e técnico Luís Cláudio, que um excelente atleta além de ser um ótimo treinador, no meu córner faz com que eu suba no ringue ainda mais confiante comigo mesmo, pois sei que eles têm o melhor para me passar lá em cima. Nossa meta é chegar ao cinturão de campeão mundial dentro de 1 ano e meio a 2 anos. Até lá, quero pegar mais experiência, para estar pronto quando esse dia chegar. Durmo e acordo pensando nesse título, e acho que quando eu conseguir atingir esse objetivo, vou até desmaiar no ringue de tanta felicidade”, finalizou Vitor.


Imagem: Bulldog Framework

Já Rodolfo Franz Karbstein teve a série de 7 vitórias interrompida. Sem perder desde 2013, o boxeador paulista realizou a segunda luta no ano de 2016. Em fevereiro, na terceira edição do “Clube do Boxe”, ele vencera Emerson “Chumbo” Braz por nocaute técnico.

“Eu tava ganhando todas, mas o Vitor foi uma parede. Achei ele um lutador inteligente e bem centrado, estávamos sempre nos estudando no ringue, e mesmo com meu técnico vendo algumas formas melhores para eu buscar conectar os golpes, ele foi superior. Gostei de lutar com ele. Agora é rever até onde posso ir, e se tenho cabeça para corrigir os erros que tive nessa luta. Por mim, sempre vou querer melhorar, mas ainda vou falar com meu empresário e com meu técnico para falarmos de tudo isso”, declarou Rodolfo, também com exclusividade ao Round13.

Confira os resultados completos dos demais combates do “Clube do Boxe”:

- Anderson “Índio” Denner (4-0, 3 KOs) venceu Elvis Presley (Boxrec: 4-4, 4 KOs) por decisão unânime após 4 rounds, com triplo 40-36 a seu favor.

- Edison Silva (1-0-1) venceu Bruno Rissi Coelho (3-1-1, 2 KOs) por decisão majoritária, com scores 39-37 e 39-38 a seu favor, enquanto o terceiro juiz marcou empate com 38-38.

- Eduardo “Pará” Costa venceu Jean Romanel por decisão majoritária, com duplo 40-36 a seu favor, enquanto o terceiro juiz marcou 38-38.

- Tomaz Freitas (1-0-1, 1 KO) e Rodolfo “Cavalo” Silva (0-0-1) empataram em combate de 4 rounds; 2 juízes marcaram 38-38, enquanto um juiz marcou 40-36 para Tomaz Freitas.

- Gabriel Bonfim (2-0) venceu José Conceição (0-1) por decisão unânime em 4 rounds, com scores 40-36, 40-36 e 39-38 todos a seu favor.

- Douglas Andrade (1-0-1) venceu Hygor Rosa (0-1) por decisão unânime, com triplo 38-37 a seu favor.

- Denisson Caperró (1-0, 1 KO) venceu Humberto Conceição por TKO no 2º round.

- Vitor Siqueira venceu Willian Ferreira por decisão unânime, em combate de boxe olímpico. As demais lutas foram todas profissionais. 


Agradecimentos: Marcelo Ferraz e Pablo Morão Sucupira

Imagens do álbum: Bulldog Framework

Comentários