Notícias

Publicado em 19 de Junho de 2016 às 14h:27

“Olho de Tigre” deseja voltar ao boxe

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Ex-campeão brasileiro dos super-leves e latino em duas categorias, expressou vontade de retornar ao pugilismo profissional após quase 5 anos de inatividade. (Imagem: BoxRec)

Ele já foi um dos pugilistas brasileiros promissores que, como tantos, acabou se perdendo no caminho. O baiano Luciano “Olho de Tigre” Silva (17-3, 7 ko's) iniciou sua carreira nos Estados Unidos, vencendo três combates em sequência até ser parado pela estreia de Marvin Cordova Jr., em 2004. De volta ao Brasil, fez as pases com as vitórias e passou á ser promovido por Acelino “Popó” Freitas.

Vencendo 6 disputas, pôde voltar, triunfante, aos EUA, batendo o americano Deon Nash em preliminar da luta entre Freitas e Zahir Raheem, que garantiu o tetracampeonato mundial à Popó, no Foxwoods Casino, em Mashantucket, Connecticut. Não demorou muito até Silva conquistar o cinturão Latino pela OMB nos médios-ligeiros, categoria na qual era adaptado, mas não a mais baixa em que combatia. Foi autorizado, então, a disputar o mesmo boldrié, agora nos meio-médios, conquistando-o com êxito. Você poderia pensar que a ascensão nos rankings internacionais seria suficiente para que Luciano pudesse ter novas chances, mas, problemas promocionais com a “Boxe Brasil” acabaram complicando tudo.

Acolhido no Espírito Santos, aonde reside até hoje, “Olho de Tigre” vinha inconstante, sem lutas o suficiente, até disputar o cinturão brasileiro dos meio-médios-ligeiros, em Vila Velha. Não só levou-o para casa como tirou, assim, a invencibilidade do catarinense Evandro Cavalheiro, já em 2009. Mais de um ano se passou até apresentar-se de novo, e levou ainda mais outro para que a mesma cidade o permitisse trazer o nicaraguense Elvin Perez para ser seu oponente, valendo o cinturão interino Latino do CMB nos 69kg. Sem ritmo, foi vencido pelo adversário mais experiente, tendo quebrada assim uma combinação de 14 vitórias em sequência, representando 7 anos sem sentir o gosto amargo de uma derrota. Resignado, incorreu no erro de muitos outros compatriotas e aceitou uma peleja em que não poderia vencer, na Argentina, ainda em 2011. Mais uma vez sem o sucesso no combate, retirou-se.

Silva, no entanto, após quase 5 longos anos, treina duro hoje em Rio Novo do Sul, e aguarda oportunidade de lutar nos eventos que estão acontecendo em São Paulo. “Estou tentando lutar, mas estou sem manager para ver isso para mim. Quero lutar em São Paulo, é aí que estão acontecendo os eventos, as boas lutas, quero fazer uma boa luta aí”, disse à nossa equipe.

Sobre em que categoria se encaixa, ele garante que pretende estar nos médios-ligeiros, para depois baixar para os 66 kg dos meio-médios.“Quero estar em um evento desses, qualquer um, quero voltar aos ringues!”, declarou o soteropolitano. De cartel respeitável, demonstrando vontade, chega a ser surpreendente que não possua apoio para retornar ao profissionalismo. Vale notar, também, que Luciano não “se vendeu” para lutas no exterior, durante este período em que esteve ausente.

“Olho de Tigre” é mais um caso no esporte de talento mal aproveitado, mas quer transformar essa em uma história de superação. Que tenha sorte em seu intento.

Comentários