Notícias

Publicado em 29 de Agosto de 2016 às 17h:55

Boxeadores de Minas Gerais, Luis Eduardo Souza, o “Dudu”, e Charlesson Rodrigues, obtêm vitórias por nocaute, neste sábado

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Duas disputas profissionais ocorreram no evento que reuniu também disputas amadoras realizado em Francisco Morato, na academia “A Torre 1”. (Imagem: Mike Promotion)

Ocorreu neste sábado, em Francisco Morato, São Paulo, o evento “A Torre 1”, contando com combates amadores entre equipes e profissionais. Dentre as lutas na vertente remunerada do pugilismo, Luis Eduardo Souza, o “Dudu” (9-2-1, 9 ko's), nascido na Bahia e radicado em Ipatinga, Minas Gerais, saiu-se vitorioso diante de Luiz Fernando De Carvalho Rosa (1-3, 1 ko's), mesmo lutando duas categorias à cima da sua.

Dudu não precisou de nem um minuto para finalizar o combate e impôr a terceira derrota na carreira do paulistano, além de somar sua quinta vitória consecutiva desde a derrota para Evandro Cavalheiro em 2014, em contenda que valia o cinturão brasileiro dos superleves pela ANB. A peleja deste final de semana foi realizada dentro do limite dos pesos-médios (72,5 kg).


Luis Eduardo Souza suplantou Luiz Rosa, que caiu junto ao córner logo no primeiro round. (Imagem: Mike Promotions)

Em outra luta encerrada por nocaute, o mineiro Charlesson Wender Rodrigues (2-0, 1 ko's) conseguiu o êxito sobre David Da Silva Deodato (0-2), de São Paulo, via nocaute técnico a poucos segundos do fim do terceiro giro. Uma curiosidade é que Deodato havia combatido Luis Souza em sua apresentação prévia. Rodrigues e Deodato subiram ao tablado dentro da divisão dos meio-médios-ligeiros.


Charlesson Rodrigues venceu por TKO no terceiro assalto. (Imagem: Mike Promotions)

Dudu e Charlesson fazem parte da “Equipe Marca da Promessa”, na região do Vale do Aço que trouxe mais lutadores para disputas amadoras, obtendo 9 vitórias, sofrendo um único revés. O evento foi realizado pela Mike Promotion com auxílio do boxeador Cid Edson Bispo, e foi supervisionado pela CBBP (Confederação Brasileira de Boxe Profissional). A arbitragem ficou por conta de Jorge Bueno, Norberto Polimeno, Araldo Villar e Osvaldo Zuanella.

Comentários