Notícias

Publicado em 30 de Setembro de 2016 às 13h:58

Deu ruim! Fury desistiu de luta contra Klitschko por ter cheirado cocaína...

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Após não detalhar causa de seu afastamento, notícia de última hora aponta que a VADA o pegou em exame antidopping um dia antes do cancelamento do combate. (Chris Brunskill/Getty Images)

Quando escrevi há alguns dias que Tyson Fury era uma vergonha para o pugilismo a esmagadora maioria concordou. Porém, há sempre os que defendem o indefensável. Aprendi com o tempo que não cabe a discussão, ele mesmo se encarrega da verdade.

Que Fury é um tanto desequilibrado, já estava claro, o que poderia ser relacionado com seus alegados problemas de bipolaridade e depressão. Porém, esses transtornos - que não são brincadeira e não deveriam ser usados como desculpa - não justificam falhas de caráter. O britânico, conforme divulgado hoje pela ESPN norte-americana (aquela que merece credibilidade muito maior que sua vertente tupiniquim), através do excelente especialista Dan Rafael, foi pego em um exame antidopping em 22 de Setembro, coincidentemente um dia antes de cancelar a luta contra Wladimir Klitschko. Em sua urina foram encontrados rastros de cocaína.

Dedico a notícia a todos aqueles que me acusaram de ser preconceituoso em relação as pessoas que sofrem com doenças de ordem psicologica, e aos que disseram que o "pobre Fury" deveria ser melhor compreendido pois sempre foi achacado por sua origem cigana, daí sua rebeldia. Para os senhores, ficam duas lições: Mentir em uma situação dessas é o que causa mais preconceito para as verdadeiras vitimas de transtornos psiquiátricos, e elas não necessitam mais disso, em segundo lugar, um homem de verdade nao faz o que o inglês vinha fazendo antes mesmo de pular fora da revanche contra o ucraniano.

Ele deve agora perder os títulos que mereceu ganhar no ringue, mas não merecia manter.

Comentários