Notícias

Publicado em 06 de Março de 2017 às 16h:08

Nobre arte mostra sua força e bate audiência da NBA na TV americana

Foto do autor

Autor Daniel Leal

CBS registrou cerca de 2,7 milhões de espectadores para Thurman vs. Garcia no último sábado, enquanto a transmissão do basquete pela ABC registrou 1 milhão de pessoas a menos. Além disso, o combate unificatório ocorrido no Barclays Center colocou quase mil pessoas a mais na arena do que o UFC 208, mês passado. (Imagem: BBC)

Em mais um sinal de que o boxe ainda é muito lucrativo e atrativo para o grande público, a CBS arrebatou o primeiro lugar do “prime-time” da TV aberta norte-americana – o horário nobre do sábado à noite – com o confronto entre Keith Thurman e Danny Garcia, válido pela unificação AMB/CMB dos meio-médios, em Nova Iorque.

Mais de 2,7 milhões de pessoas acompanharam o combate ao vivo, enquanto o basquete que era transmitido pela rede ABC ficou para trás em mais de 1 milhão de espectadores (com 1,68 milhões alcançados). Isso representa um crescimento de 22% de audiência desde a última vez em que o pugilismo esteve nesta posição, coincidentemente na luta anterior de Thurman, diante de Shawn Porter, em 25 de Junho.

A “Premiere Boxing Champions”, responsável pelas novas promoções de boxe fora do pay-per-view nos EUA está dando uma lição de negócios em gigantes do seguimento. Isso por que, com os números de pacotes vendidos caindo, fica clara a necessidade de expor e construir novos ídolos junto ao grande público, antes de sair por aí vendendo suas lutas. Atualmente, qualquer embate que não agrade as emissoras SHOWTIME e HBO o suficiente para serem comprados, estão sendo jogados para o sistema de pagamento avulso, e isso tem se mostrado ineficiente.

Os investimentos da PBC têm demonstrado grande potencial, e o retorno pode ser ótimo. Se metade das pessoas que viram Keith Thurman unificar os cinturões do Conselho e Associação Mundial de Boxe no último sábado comprarem seu próximo pay-per-view, este já se tornará, automaticamente, o maior vendedor da atualidade no esporte de luvas.

Até que para um esporte que estava “morto”, a nobre arte tem atraído bastante público, não? Quando as emissoras brasileiras vão levar isso em consideração ainda é um mistério, mas meu palpite é que não demorará muito...

Comentários