Artigos

Publicado em 24 de Dezembro de 2015 às 09h:15

10 anos se passaram... O que aconteceu com eles?

Foto do autor

Autor Luigi F.


Participantes da Primeira Temporada do "The Contender". Imagem: (1*)

Dezesseis pugilistas, em sua maioria desconhecidos do grande público, se enfrentando num torneio eliminatório. Prêmio de 1 milhão de dólares em disputa, em final a ser disputada no tradicional Caesars Palace, em Las Vegas, a meca do boxe mundial. Apresentação do lendário Sugar Ray Leonard e Sylvester Stallone, o eterno Rocky Balboa. Trilha sonora inesquecível composta por Hans Zimmer. Não preciso dar mais pistas: estamos falando do melhor reality show de boxe produzido até hoje – o The Contender.

Neste ano de 2015, o programa completou dez anos da exibição de sua primeira temporada. Idealizado pelo produtor Mark Burnett, o show foi exibido nos EUA pelo canal NBC. No Brasil, por sua vez, a transmissão na TV fechada ficou a cargo do extinto canal People & Arts. Posteriormente, a RedeTV transmitiu em sua grade de programação na rede aberta.

No Brasil, assim como ao redor do mundo, os fãs de boxe, bem como pessoas que apenas se interessavam por um bom programa de televisão, torceram e acompanharam esses 16 pugilistas ao longo das semanas de exibição. Pensando nisso, o Round 13 aproveitou o aniversário de 10 anos da 1ª edição para montar uma matéria especial com o que ocorreu com cada um dos participantes ao longo dos últimos anos.

Antes, um pouco de história...

A primeira temporada, vencida pelo norte-americano Sergio Mora em vitória por pontos contra Peter Mafredo Jr, certamente, foi a que obteve maior sucesso na mídia. Além dos dois finalistas, pugilistas como Alfonso Gomez, Jesse Brinkley e Ishe Smith se tornaram reconhecidos mundo afora. Entretanto, mesmo com a média de 6,2 milhões de telespectadores, a NBC acabou optando por não renovar a série.

No ano seguinte, a ESPN adquiriu os direitos de transmissão do programa. Mantendo Sugar Ray Leonard no comando, a segunda temporada teve o journeyman Grady “Bad Boy” Brewer como vencedor, além de ter contado com a participação do ex-campeão mundial dos super-penas pela FIB, Steve Forbes (que deteve o boldrié na mesma época que o nosso Acelino “Popó” Freitas era campeão pela OMB), e Cornelius “K9” Bundrage, que posteriormente seria campeão mundial. Em 2007, a emissora organizaria a terceira temporada, vencida pelo camaronês Sakio Bika numa memorável disputa contra Jaidon “The Don” Codrington. Considerada uma das maiores lutas daquele ano, Bika venceu por nocaute técnico após um slugfest de encher os olhos. A edição ainda contou com um quadro de bons pugilistas, como Sam Soliman, Paul Smith e Brian Vera.


Imagens: [a] Final da 1ª Temporada: Mora x Manfredo I (*10) / [b] Mora x Manfredo II – a Revanche (*11) / [c] Final da 2ª Temp.: Brewer (dir) acerta Forbes (esq) (*11) / [d] Final da 3ª Temp.: Bika (dir) acerta Codrington (esq) (*12)

Em 2008, o canal Versus passou a transmitir o programa. Com Tony Danza no comando da trama, e com uma audiência bem abaixo dos tempos áureos, o torneio na categoria dos cruzadores teve o canadense Troy Ross como vencedor, batendo o nigeriano Ehinomen “Hino” Ehikhamenor no grande desfecho. Essa seria a última grande temporada regular do reality show, que teve ainda mais 3 versões adaptadas. Também em 2008, houve o The Contender Asia, disputa no mesmo formato do programa original, mas com lutadores de muay-thai. Já em 2009, o canal australiano Fox8 inovou no The Contender Austrália, um torneio com 14 pugilistas australianos e neozelandeses que duelaram por um prêmio em dinheiro, além da oportunidade de encarar o ex-campeão mundial dos super-médios Anthony Mundine. O vencedor foi Garth Wood, que em 2010 acabou nocauteando Mundine. Este, por sua vez, deu o troco no ano seguinte, vencendo Wood por pontos.

Mas, se tem algum lugar que o programa foi realmente um sucesso, foi na Jamaica. É isso mesmo. Nem apenas do velocista Usain Bolt vive este país da América Central. De acordo com o tradicional periódico local Jamaica Observer, a versão local do programa, o Wray & Nephew Contender é o reality show de maior audiência no país. Não é para menos. Inaugurado em 2011, o programa completou neste ano o quinto ano consecutivo de realização. Ao todo, 5 pugilistas jamaicanos já levaram o prêmio: Rikardo Smith, Donovan Campbell, Devon Moncrieffe, Sakima Mullings e Kemahl Russell.


Imagens: [a] Final da 4ª Temp.: Ross (dir) acerta Hino (esq) (*13) / [b] Wood (dir) nocauteia Mundine (esq); direito ao confronto foi o prêmio da edição australiana (*14) / [c] Kemahl Russel (esq) tem o braço levantado após vencer Richard Holmes em julho deste ano e conquistar a 5ª temporada da edição jamaicana (*15)

Mas, onde foram parar os lutadores da primeira e mais famosa temporada?

É verdade que o programa não obteve êxito em encontrar o próximo Floyd Mayweather Jr ou Manny Pacquiao entre os seus participantes. Entretanto, a fama obtida ao redor do mundo por alguns desses pugilistas, com certeza, é muito maior do que a de diversos detentores de cinturões de campeões mundiais. Os programas semanais, os highlights das lutas, que usavam e abusavam de efeitos especiais para dar emoção ao público, e principalmente as tramas familiares e pessoais de cada lutador, fizeram muitos dos boxeadores da edição inicial alçarem altos voos em sua carreira após o término do programa.

Os exemplos de maior sucesso do ponto de vista de conquistas no boxe entre os precursores foram Sergio Mora e Ishe Smith: ambos conseguiram se sagrar campeões mundiais. Mas não foram apenas eles que prosperaram. Ao todo, 6 lutadores (considerando Mora e Smith) se envolveram em disputas mundialistas, disputando ao todo 12 combates válidos por títulos regulares de uma das quatro principais entidades do pugilismo mundial. O retrospecto, entretanto, não foi favorável: foram 10 derrotas, e apenas os 2 sucessos de Mora e Smith, que acabaram perdendo suas cintas já na primeira defesa.

Sem mais delongas, segue um relato sobre os principais acontecimentos após o programa na vida de cada um dos 16 participantes da primeira temporada:

Sergio “The Latin Snake” Mora

Imagens: esquerda (*1) / direita: Mora contra Jacobs, em ago/15 (*3)
Cartel Antes do programa: 12-0, 3 KOs
Cartel Atual: 28-4-2, 9 KOs
Dono de estilo bastante particular de lutar, Mora foi o primeiro “The Contender”. Invicto ao entrar no programa, o pugilista natural de Los Angeles bateu Najai Turpin, Ishe Smith e Jesse Brinkley antes de encarar Peter Manfredo Jr na grande final. Após vencer por decisão unânime e levar para casa o prêmio de 1 milhão de dólares, Mora bateu novamente o rival 5 meses depois, por decisão dividida e bastante contestada pelo grande público. Não bastasse vencer o programa, o “Cobra Latina” pode ser considerado um dos mais bem-sucedidos lutadores após o término do reality show. Em 2008, após vencer Vernon Forrest, Sergio sagrou-se o primeiro lutador da primeira temporada a conquistar um título mundial, arrebatando o título dos super-meio-médios, versão CMB. Apesar de ter perdido a cinta já na primeira defesa, diante do próprio Forrest, Mora ainda teve a oportunidade de enfrentar adversários do primeiro escalão do boxe. Em 2010, empatou com “Sugar” Shane Mosley. Já em agosto deste ano, em sua última exibição, acabou derrotado por Daniel Jacobs em luta pela cinturão dos médios, versão AMB. Após primeiro round movimentado (que inclusive foi eleito o melhor round do Premier Boxing Champions – PBC - de 2015) com um knockdown para cada lado, Mora acabou lesionando o tornozelo direito no segundo assalto, quando sofreu sua segunda queda da noite. Impossibilitado de lutar, o americano acabou conhecendo a primeira derrota da carreira pela via rápida.

Peter “The Pride of Providence” Manfredo Jr

Imagens: esquerda (*1) / direita: Mora contra Gingras, em nov/13 (*4)
Cartel Antes do programa: 21-0, 10 KOs
Cartel Atual: 40-7, 21 KOs
Grande favorito a vencer o reality show, Peter Manfredo Jr foi eliminado logo na estreia por Alfonso Gomez. Após Jeff Fraza deixar o programa por ter pego catapora, Manfredo acabou retornando à disputa. Com vitórias sobre Miguel Espino, Joey Gilbert e Alfonso Gomez (na revanche), Manfredo chegou a final, quando acabou suplantado por Sergio Mora. O americano teve duas chances de conquistar títulos mundiais: em 2007, contra Joe Calzaghe, foi derrotado por TKO no terceiro round em disputa pela cinta dos super-médios, versão OMB; e em 2011, contra Julio Cesar Chavez Jr, também acabou perdendo por TKO em duelo pelo cinturão dos médios pelo CMB. Após esta derrota, o “Orgulho de Providence” chegou a se aposentar. Ele retornou em 2012, obtendo 3 vitórias, sendo a última delas em novembro de 2013 contra Richard Gingras, quando venceu pela via rápida no oitavo assalto. Após declarar que seu retorno fora temporário, uma vez que precisava de dinheiro para sua família, Manfredo se aposentou de vez dos ringues, e atualmente trabalha como operário no ramo de construção.

Alfonso Gomez

Imagens: esquerda (*1) / direita: Gomez contra Kamegai, em mar/15 (*5)
Cartel Antes do programa: 10-2-1, 4 KOs
Cartel Atual: 25-6-2, 12 KOs
Terceiro colocado no programa, Alfonso Gomez foi um dos mais carismáticos participantes de todas as edições. Após estrear com uma surpreendente vitória contra o favorito Manfredo Jr, Gomez bateu Ahmed Kaddour, chegando às semi-finais. Eliminado por Peter na revanche, ele derrotou Jesse Brinkley na disputa do “bronze”. Assim como Manfredo, o mexicano teve duas oportunidades de se sagrar campeão mundial, mas acabou derrotado em ambas: em 2008, derrota para Miguel Angel Cotto; e em 2011, revés para Saul Canelo Alvarez por nocaute técnico. Mesmo com as derrotas, Alfonso pôde acumular vitórias sobre lutadores bastante expressivos após o programa, com destaques para os sucessos diante de Arturo Gatti, em 2007 (na disputa que culminou na aposentadoria do “Thunder”), Jesus Soto Karass, em 2009, e Jose Luis Castillo, em 2010. Após perder para o ex-campeão mundial dos meio-médios Shawn Porter em 2012, Gomez somou vitórias contra Ed Paredes e Yoshihiro Kamegai, sendo esta última em março deste ano.

Jesse Brinkley

Imagens: esquerda (*1) / direita: Brinkley contra Quillin, em abr/11 (*6)
Cartel Antes do programa: 23-1, 16 KOs
Cartel Atual: 35-7, 22 KOs
Outro semi-finalista do programa, Brinkley bateu Jonathan Reid e Anthony Bonsante até a derrota para Sergio Mora. Na disputa pelo terceiro lugar, acabou perdendo por pontos para Alfonso Gomez. Após o programa, Jesse sofreu duas derrotas seguidas para Joe Spina e Robin Reid. Depois disso, entre 2007 e 2010, acumulou 9 vitórias consecutivas, tornando-se campeão norte-americano dos super-médios. As vitórias mais expressivas foram diante de Joey Gilbert e Curtis Stevens (conhecido do público pela derrota para Gennady Golovkin em 2013). Depois disso, Brinkley foi outro participante a tentar, sem sucesso, uma chance de conquistar um título mundial expressivo. Em 2010, foi nocauteado por Lucian Bute em disputa pelo boldrié da FIB. No ano seguinte, em sua última luta como profissional, o americano foi derrotado por Peter Quillin, também pela via rápida.

Ishe “Sugar Shay” Smith

Imagens: esquerda (*1) / direita: Smith contra Martirosyan, em set/15 (*7)
Cartel Antes do programa: 14-0, 7 KOs
Cartel Atual: 28-8, 12 KOs
Eliminado na segunda fase do programa, após derrota por decisão dividida para Sergio Mora, Ishe ficou conhecido em sua participação no programa pela rivalidade com Ahmed Kaddour, adversário que acabou derrotando na primeira rodada do reality show. A partir de 2007, Smith se envolveu em lutas contra bons e conhecidos pugilistas, sendo o maior destaque a seu favor a vitória contra Pawel Wolak. Entretanto, acabou somando um número de revezes nas outras lutas importantes, perdendo por pontos para Sechew Powell, Joel Julio, Daniel Jacobs e Fernando Guerrero. Após 3 vitórias consecutivas, em 2013 Ishe tornou-se o segundo participante do programa a se sagrar campeão mundial, conquistando o título dos super-meio-médios, versão FIB, contra Cornelius “K9” Bundrage (que participara da segunda temporada do programa). Tendo a carreira gerenciada pela Mayweather Promotions, Smith acabou perdendo o título já na primeira defesa, em derrota por decisão dividida e apertada para Carlos Molina. No ano passado, teve a chance de se sagrar campeão pela AMB, mas foi derrotado pelo talentoso cubano Erislandy Lara. Neste ano atuou 3 vezes, tendo vencido Cecil McCalla, perdido para Vanes Martirosyan e vencido Tommy Rainone (em duelo ocorrido no último dia 18).

Joey Gilbert

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 8-0, 7 KOs
Cartel Atual: 20-3, 15 KOs
Dono do menor número de lutas no cartel antes de entrar no programa, Gilbert, pugilista formado em Direito que começou a lutar quando estava na faculdade, lutara apenas 8 vezes antes do início do The Contender. Após vencer Jimmy Lange na estreia, acabou derrotado e eliminado por Peter Manfredo Jr na segunda rodada. Após o programa, Joey engatou uma série de 8 vitórias consecutivas, conquistando o cinturão norte-americano dos médios pela OMB e CMB. Nesse meio tempo, ficou suspenso um ano após ser pego no anti-doping depois de bater Charles Howe por nocaute no 1º round, em 2007 (luta que posteriormente teria o resultado alterado para “sem decisão”). A série de vitórias foi interrompida em 2009, em revés por ampla margem de pontos diante de Jesse Brinkley. Após 3 vitórias sobre pugilistas menos conhecidos, Gilbert encarou o ex-campeão mundial Kassim Ouma. O americano até vinha bem na luta, liderando as papeletas dos juízes e conseguindo derrubar Ouma no quinto assalto. No sexto giro, entretanto, acabou perdendo por nocaute técnico, nesta que acabou por ser a despedida de Joey dos ringues. Atualmente aposentado, ele concilia os trabalhos de advogado de defesa criminal, empresário desportivo e palestrante motivacional.

Ahmed “Babyface” Kaddour

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 18-0, 9 KOs
Cartel Atual: 27-2-1, 10 KOs
Um dos mais polêmicos participantes do programa, o libanês Ahmed Kaddour foi derrotado na primeira rodada do programa pelo rival Ishe Smith, com quem tivera diversos desentendimentos durante a gravação do reality show. Mesmo eliminado, Ahmed acabou retornando para a segunda fase para substituir Juan De La Rosa, que saíra do programa lesionado. Na segunda fase, encarou Alfonso Gomez, perdendo novamente. Depois do programa, obteve duas vitórias e um empate em 2005 e 2006. Ahmed, porém, acabou enfrentando problemas extra-ringue, sendo preso nos EUA em 2007 após ser acusado por sua ex-esposa, Brandy Collins, de ter invadido a casa dela. Solto em dezembro daquele ano, Kaddour retornou aos ringues em 2009, obtendo 7 vitórias desde então. Sua última exibição foi em 2013, quando bateu o estoniano Aleksei Tsatiasvili. As últimas notícias sobre o boxeador dão conta de que ele está morando atualmente na Dinamarca.

O Round 13 teve a oportunidade de entrevistar o pugilista em 2008. Para relembrar, clique aqui.

Anthony “The Bullet” Bonsante

Imagens: esquerda (*1) / direita: Bonsante contra Gonzalez, em set/15 (*8)
Cartel Antes do programa: 25-4-3, 14 KOs
Cartel Atual: 34-12-3, 18 KOs
Outro pugilista a chegar as quartas-de-final, Bonsante bateu Brent Cooper na estreia por nocaute técnico, mas acabou recebendo o troco na mesma moeda na rodada seguinte, ao ser eliminado por Jesse Brinkley, também por TKO. Anthony participou de lutas preliminares tanto no dia da final do programa, quanto no dia da revanche entre Mora e Manfredo, sendo derrotado em ambas oportunidades pelos antigos colegas de reality show Ishe Smith e Jesse Brinkley. Depois disso, o pugilista natural do estado de Minnesota teve carreira irregular, alternando vitórias e derrotas. A vitória mais expressiva veio em 2007, contra Matt Vanda. Entretanto, Bonsante perdeu por nocaute para adversários conhecidos, como Allan Green, John Duddy, Adonis Stevenson e Andy Kolle. Após esta última, acabou de aposentando em 2009. Pouco mais de 1 ano e meio após a aposentadoria, Anthony retornou para enfrentar o journeyman Robert Kliewer. Sem ritmo, Anthony foi derrotado, o que o fez retornar para a aposentadoria. No ano passado, após 4 anos inativo, Bonsante retomou novamente a carreira, obtendo vitórias por pontos diante dos escadas Sam Hill e Daniel Gonzalez, sendo esta última em setembro deste ano. Aos 45 anos de idade, o “The Bullet” tem luta agendada para o dia 23 de janeiro do ano que vem, contra o também quarentão Luis Ramon “Yori Boy” Campas, ex-campeão mundial da FIB pelos meio-médios, e que tem no currículo duelos contra Oscar De La Hoya, Felix Trinidad, Fernando Vargas e Hector Camacho. A luta deve marcar a despedida definitiva de Bonsante.

Juan “El Gallo Negro” De la Rosa

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 12-0-1, 11 KOs
Cartel Atual: 21-4-1, 16 KOs
Caçula do programa, Juan tinha apenas 18 anos na época das gravações. Após vencer na estreia, contra o experiente Tarick Salmaci, De la Rosa acabou abandonando a competição, alegando ter lesionado as mãos. Com uma carreira irregular após o programa, o mexicano, assim como Bonsante, acabou sofrendo na mão de alguns journeymen. Derrotado por Mikel Williams (2 vezes), Fernando Vela e Jas Phipps, ambos pugilistas com mais derrotas do que vitórias no currículo, Juan somou cartel de 8-4 após o final do programa. Sua última exibição foi a derrota para Phipps, em novembro do ano passado.

Najai “Nitro” Turpin (in memoriam)

Imagens: esquerda (*1) / direita: funeral de Turpin, em 2005 (*9)
Cartel Antes do programa: 11-1, 8 KOs
Cartel Final: 11-2, 8 KOs
Najai foi derrotado na primeira rodada, perdendo por decisão unânime para Sergio Mora. Em fevereiro de 2005, aos 23 anos, Najai cometeu suicídio enquanto estava com sua ex-namorada dentro de um carro perto do ginásio onde treinava. Na época, chegou-se a comentar que as principais causas para tal acontecimento foram o fato dele não poder lutar devido a uma cláusula no contrato com os produtores do reality show, a baixa autoestima desde sua eliminação e a briga judicial pela guarda de sua filha, Anyae. Mesmo com o incidente, o programa foi transmitido inteiramente, com tributo ao ex-pugilista americano.

Miguel Espino

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 9-1-1, 3 KOs
Cartel Atual: 20-3-1, 9 KOs
Espino foi derrotado logo na primeira rodada por Peter Mafredo Jr, após o retorno deste ao reality show no lugar de Jeff Fraza. Impulsionado pela fama pós-programa e também por uma bela sequência de 11 vitórias consecutivas, Miguel teve a chance de se sagrar campeão mundial dos médios pelo CMB e OMB em 2009. Entretanto, acabou nocauteado pelo então campeão unificado Kelly Pavlik. A luta marcou a despedida de Miguel dos ringues.

Jonathan “Red Dawg” Reid

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 33-1, 19 KOs
Cartel Atual: 35-19, 19 KOs
Com belo cartel antes de participar do programa, tendo apenas uma derrota na carreira à época (sendo a mesma sofrida numa disputa de título mundial contra William Joppy), Jonathan foi eliminado logo na estreia, perdendo por pontos para Jesse Brinkley. Após o programa, entretanto, Reid acabou tendo desempenho oposto ao de colegas como Espino e Kaddour, que conseguiram boas séries de vitórias. Jonathan somou 17 derrotas e apenas 2 vitórias após o término do show, tornando-se um “escada de luxo” para pugilistas mais novos e/ou em ascensão na carreira. Sua última luta foi em junho deste ano, em derrota por nocaute técnico para Scott Sigmon. Jonathan atualmente está com 43 anos.

Jimmy Lange

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 24-1-1, 17 KOs
Cartel Atual: 39-6-2, 26 KOs
Eliminado por Joey Gilbert na primeira luta, Lange teve como destaque na carreira após o programa a conquista do cinturão continental do CMB na categoria dos médio-ligeiros em 2007. Com 15 vitórias, 4 derrotas e 1 empate após o show, Lange chegou a ter a chance de se vingar do rival Gilbert em 2006, mas acabou nocauteado. O pugilista americano ainda segue na atividade, tendo subido no quadrilátero de cordas pela última vez no último mês de outubro, vencendo Mike Sawyer pela via rápida. Além da carreira de boxeador profissional, Lange trabalha como personal trainer e também tentou a carreira de ator, tendo participado dos filmes "Five Good Years" e "The House That Jack Built".

Brent “The Disciple” Cooper

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 20-2-2, 15 KOs
Cartel Atual: 20-6-2, 15 KOs
Nocauteado por Anthony Bonsante logo na estreia, Cooper possuía um bom cartel, entretanto, com vitórias obtidas sobre lutadores pouco expressivos. O pugilista, que no início dos anos 2000 superara o vício em drogas e álcool, problemas que se acentuaram após o falecimento de sua mãe, se apresentou nas preliminares da final, e acabou derrotado por decisão dividida por Jeff Fraza. Após essa derrota, lutou apenas duas vezes, perdendo ambas. Ainda em 2005, foi nocauteado por Cleveland Corder. Após 3 anos de aposentadoria, Brent, um dos mais religiosos participantes do programa, retornou em 2008, mas acabou nocauteado ainda no primeiro round por Tyrone Wiggins. Desde então, o americano está aposentado. Neste ano, ele e sua esposa, Leeann, estrelaram o programa de TV "Ring of Faith", um programa religioso onde o casal pode contar sua história e mostrar ensinamentos espirituais aos telespectadores.

Tarick “The Arabian Prince” Salmaci

Imagens: esquerda (*1) / direita: (*2)
Cartel Antes do programa: 19-1, 5 KOs
Cartel Atual: 19-3, 5 KOs
Tarick era um dos mais experientes e conhecidos antes do programa começar. Após um cartel amador de 136-12, e ser rankeado entre os top 10 da OMB e do CMB, ele largou o boxe em 2001. Seduzido pela chance de participar do The Contender, voltou aos ringues. Apesar da experiência, a falta de ritmo e os anos sem lutar pesaram, e Tarick acabou eliminado na primeira rodada pelo jovem mexicano Juan De la Rosa, na época com apenas 13 lutas profissionais. Chegou a lutar numa das preliminares da final do reality show, mas foi derrotado por decisão majoritária contra Jimmy Lange. Atualmente, também está aposentado, e com 43 anos de idade. As últimas notícias dão conta de que Tarick vem trabalhando no ramo imobiliário.

Jeff “Hell Raza” Fraza (in memoriam)

Imagens: esquerda (*1) / direita: Fraza em 2010 (*2)
Cartel Antes do programa: 16-2, 10 KOs
Cartel Final: 17-3, 10 KOs
Eliminado da primeira temporada sem sequer ter subido ao ringue após contrair catapora, Jeff Fraza deu lugar ao retorno de Manfredo Jr, que apesar de ter perdido na estreia, acabou voltando ao programa e se sagrou vice-campeão. Jeff lutou contra Brent Cooper numa das lutas preliminares da final do programa, vencendo por pontos. O pugilista teve a oportunidade de, em 2006, participar da 2ª temporada do reality show. Tanta espera, todavia, não acabou se justificando, e Fraza foi derrotado logo na primeira rodada por Nick Acevedo. Aposentado do boxe desde então, Jeff foi diagnosticado com a doença de Crohn, uma grave inflamação gastrointestinal, enquanto se preparava para retornar aos ringues em 2012. Poucos meses depois, aos 34 anos, ele faleceu ao ser atropelado por um trem vazio em sua cidade natal, Haverhill, em Massachusetts. Fraza estava falando ao celular e caminhando pelos trilhos quando foi atingido, em local próximo a sua residência, o que era um hábito comum do ex-pugilista de acordo com seus amigos. Ele foi encontrado morto após o acidente. Na época, além do retorno aos ringues, Jeff dedicava seu tempo a treinar crianças carentes numa academia de sua cidade.


Imagens: Créditos (*)

(*1): Foto de publicidade do The Contender / NBC
(*2): Arquivo pessoal / Facebook
(*3): Lucas Noonan/Premier Boxing Champions
(*4): Jason Marchetti/NewEnglandBoxing.net
(*5): Naori Fukuda/The Ring
(*6): Mike Searson/Wikipedia
(*7): Esther Lin/Showtime
(*8): Minnesota Boxing
(*9): AP Photo/H. Rumph, Jr./StalloneZone.com
(*10): NBC Universal/Chris Haston
(*11): GettyImages/Al Bello
(*12) Matthew West/Boston Herald
(*13): Emily Harney/FightWireImages.com/Fightnews
(*14): Couriermail.com.au
(*15): Hurbun Williams/Jamaican Observer

Comentários