Artigos

Publicado em 05 de Janeiro de 2016 às 09h:25

O que queremos ver em 2016?

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Mais um ano se inicia e o boxe não pode parar. Nós, fãs e amantes da nobre arte, temos nossos desejos á serem realizados em 2016, mas quais seriam esses?

GGG vs. Canelo Alvarez


Imagem:NEHMP

Por favor, promotores, não estraguem mais essa! O duelo entre Saul “Canelo” Alvarez (46-1-1, 32 ko's) e Gennady Golovkin (34-0, 31 ko's) TEM que sair do papel este ano. Não só pelo fato de GGG ser o eterno campeão “Interino” pelo Conselho Mundial de Boxe e Canelo, por sua vez, ser o campeão regular, mas pela simples circunstância de hoje ambos serem os melhores pesos-médios do mundo. A luta, que era para o primeiro semestre como desafio obrigatório, já ficou para o segundo. Nos resta torcer para que ocorra antes de ambos estarem indo para o asilo…

O título dos pesados unificado


Imagem: dailymail

Precisamos de um campeão unificado dos pesos-pesados. Esse simples fato pode revolucionar o esporte (por incrível que pareça). Apontar um campeão único na principal divisão de peso do pugilismo mundial iria ser uma benção ao esporte de luvas. Resta aguardar que Deontay Wilder lute com Arthur Szpilka – e depois deva encarar Alexander Povetkin – e que Tyson Fury se decida com Wladimir Klitschko, para que, quem sabe, um mega embate unificatório saia do papel. O título da FIB? Podemos fingir que não existe, que tal?

Popó lutando (alguma vez)


Imagem: Divulgação/Caio Storti

Ele voltou ano passado alardeando um quinto título mundial. Mas o tetracampeão mundial, Acelino “Popó” Freitas (40-2, 34 ko's) , para cumprir este intento, precisa – preparem-se para o óbvio – LUTAR. Popó tem nome o suficiente para estar bem rankeado em pouco tempo, mas para isso deve enfrentar alguém. Sabemos que não é fácil fazer bons eventos no Brasil, mas poxa, Acelino, aproveite seus contatos com Arthur Pellulo e Oscar De La Hoya, dá uma ligadinha pra eles, pergunte sobre um combate nos EUA pra você – em Miami, por exemplo, que está cheia de brasileiros que vão lotar o ginásio pra te ver. Ligue e peça uma luta, QUALQUER luta!

Um brasileiro campeão do mundo


Imagem: GloboEsporte.com

É sonho antigo, eu sei. De qualquer forma, não nos custa sonhar, ainda mais quando temos alguns nomes com boas chances de consegui-lo. Começando pelo cara do tópico à cima, passando por Yamaguchi Falcão, que está querendo desafios maiores neste ano, Esquiva, seu irmão, que começa a subir de nível dos oponentes (se Deus e Bob Arum quiserem), William Silva que vem se apresentando muito bem lá fora recentemente e, finalmente, aquele que, na nossa visão é “o cara” para conseguir uma disputa de cinturão em 2016, Patrick Alen Teixeira. Liam Smith, monarca da OMB nos médio-ligeiros, aonde Patrick está muito bem colocado nos rankings, ocupando o 4º patamar, não é nenhum bicho de sete-cabeças, apesar de bom lutador, e invicto. Se bem promovido este encontro (longe do Reino Unido, nos EUA, de preferência), o brasileiro tem grandes chances de sagrar-se o quinto campeão mundial tupiniquim.
 

Além destes, cabem mais alguns pequenos desejos...

Ratinho de volta aos ringues.


Imagem: Arquivo Pessoal

Marcus Vinicius de Oliveira (24-2-1, 22 ko's) está voltando à rotina de sparrings e deve adentrar ao ringue em Fevereiro. Após 4 cirurgias no olho, um dos mais talentosos brasileiros lá fora, voltando em boa forma, pode ser mais uma esperança de título para nós.

Zumbano vs. Lino, em Abril.


Imagem: Arquivo Round13

Já postamos sobre o combate aqui antes, e voltamos a repetir agora. Fato é que, depois de toda a troca de farpas, e da expectativa gerada, seria muita decepção para os fãs se essa luta não ocorresse.

Menos brasileiros indo para perder lá fora.

Não vou me iludir achando que isso vai acabar, então, Papai do Céu, te peço que apenas diminua a quantidade de pugilistas do Brasil que pegam voos rumo a mais uma derrota no exterior. Para isso seria bom que este tomassem mais cuidado com as próprias carreiras, já que quem deveria fazê-lo está mais interessado na sua porcentagem da bolsa. #NãoViemosPraPerder

Comentários