Artigos

Publicado em 14 de Junho de 2008 às 01h:00

Onde estão eles?

Foto do autor

Autor Luigi F.

Imagem: https://postmediaprovince.files.wordpress.com/2013/03/thecontenderseason1.jpg
 

Três anos se passaram desde que a primeira temporada do reality show The Contender foi transmitida para os americanos, pelo canal NBC. Aqui no Brasil, o programa demorou um pouco mais, e foi, primeiramente, exibido pelo canal de TV People & Arts, e transmitido mais tarde pela RedeTV em rede aberta. Idealizado pelo produtor Mark Burnett, o show era apresentado pelo multi-campeão Sugar Ray Leonard, campeão mundial em 5 categorias diferentes entre 1979 e 1989, e pelo astro do cinema Sylvester Stallone, o eterno Rocky Balboa. Outros participantes eram o treinador Tommy Gallagher, o pugilista Jeremy Williams e a manager Jackie Kallen. Isso sem contar as diversas participações/aparições especiais durante as 15 semanas em que a primeira temporada esteve no ar, como Angelo Dundee, o ex-pugilista George Foreman, os atores Mel Gibson, Chuck Norris, Meg Ryan e Mr. T (o “Clubber” Lang de Rocky III), o rapper Ja Rule, e os pugilistas Danny Green e Vic Darchinyan.

Mas as verdadeiras estrelas eram os 16 boxeadores. O enredo? Um torneio de boxe com lutas eliminatórias, transmitidas uma a cada semana. Durante quinze semanas, o público assistiu a diversos combates, com efeitos de som e cortes, tudo para dar emoção, afinal, era um programa de televisão. A trilha sonora, composta por Hans Zimmer, até hoje é identificada por qualquer telespectador. Além disso, a história de cada pugilista foi contada, mostraram suas famílias e suas vidas fora dos ringues, atraindo novos fãs para o esporte. Na final, Sergio Mora e Peter Manfredo Jr se enfrentaram no Caesars Palace, em Las Vegas, pelo prêmio de 1 milhão de dólares. Mora sagrou-se campeão, após vitória nos pontos.

Aqui no Brasil, como em todo o mundo, muitos telespectadores torceram e passaram a acompanhar a carreira de um ou mais pugilistas vindos do programa. Pensando nisso, o Round 13 resolveu montar uma matéria com o que aconteceu com cada participante da primeira temporada do reality show, afinal, muitos deles não aparecem mais frequentemente na mídia.


Sergio “The Latin Snake” Mora
Cartel Antes do programa: 12-0, 3 KOs
Cartel Atual: 21-0-1, 5 KOs

Campeão da primeira edição do The Contender, o americano natural de Los Angeles, Sergio Mora, sempre foi criticado por grande parte da mídia e dos fãs do esporte. Criado pela mãe, Sergio entrou no programa invicto. Rápido e inteligente, o “Cobra Latina” bateu, na seqüência, Najai Turpin, Ishe Smith, Jesse Brinkley e Peter Manfredo Jr. Após embolsar o prêmio de 1 milhão de dólares, Mora deu uma revanche a Manfredo, 5 meses depois do primeiro embate entre os dois. Lutando em sua casa, Sergio venceu numa decisão dividida muito contestada pelo público, o que deu ainda mais argumentos para seus críticos. Após mais 3 vitórias, sendo duas por nocaute técnico, e um empate com o mediano Elvin Ayala (18-3-1, 8 KOs), Mora enfim chegou a uma disputa de título mundial. Lutando na categoria médio-ligeiro, uma abaixo da qual ele vinha apresentando dificuldades, Sergio enfrentou o campeão mundial pelo CMB, Vernon Forrest (40-3, 29 KOs). E, para a surpresa de muitos, ele foi o primeiro ex-participante do programa a conquistar um cinturão de campeão mundial, após os fracassos de Peter Manfredo Jr e Alfonso Gomez. Sergio venceu Forrest por decisão majoritária, e, se seguir nessa categoria, poderá continuar apresentando-se bem, uma vez que, seu maior problema nos médios, era a fraca pegada. Na nova categoria, Sergio poderá enfrentar Verno Phillips ou Sergeii Dzinziruk, campeões pela FIB e pela OMB, respectivamente, caso queira ter um destaque ainda maior no cenário mundial.

Peter “The Pride of Providence” Manfredo Jr
Cartel Antes do programa: 21-0, 10 KOs
Cartel Atual: 30-5, 15 KOs

Peter Manfredo Jr era um dos mais conhecidos do público, e o grande favorito para ser o campeão antes do programa começar. Eliminado na primeira rodada, retornou após a eliminação de Jeff Fraza, que estava com catapora. Manfredo chegou a final, e acabou derrotado por Sergio Mora. Após o programa, o “Orgulho de Providence” manteve-se bastante ativo, sendo um dos ex-participantes que mais apareceu na mídia. Foi o primeiro pugilista do programa a disputar um título mundial, quando no ano passado enfrentou o britânico Joe Calzaghe (45-0, 32 KOs) pelo cinturão dos super-médios versão OMB, mas acabou derrotado por nocaute técnico no 3º round, após interrupção (para alguns, precipitada) do juiz Terry O’Connor. Outras lutas de destaque para Manfredo foram a vitória contra David Banks (15-4-1, 2 KOs), que participou da terceira temporada do programa, e a derrota para Jeff Lacy (23-1, 17 KOs), ambas no ano passado. Esse ano, Peter conseguiu duas vitórias.

Alfonso Gomez
Cartel Antes do programa: 10-2-1, 4 KOs
Cartel Atual: 18-4-2, 8 KOs

O segundo dos ex-participantes a chegar a uma disputa de título mundial, Alfonso Gomez é um dos mais carismáticos de todas as edições. Considerado um lutador fraco e inexperiente antes do reality show começar, Gomez eliminou Peter Manfredo Jr logo na primeira rodada do programa. Seguiu na competição, vencendo Ahmed Kaddour e sendo derrotado, na semifinal, pelo “Orgulho de Providence”. Garantiu o terceiro lugar do programa, derrotando o americano Jesse Brinkley por decisão unânime. Após o programa, o mexicano venceu 6 vezes, empatou uma, e perdeu uma. Os destaques são a vitória sobre o ex-campeão mundial Arturo Gatti (40-9, 31 KOs), por nocaute técnico no sétimo assalto, e a derrota para o porto-riquenho Miguel Cotto (32-0, 26 KOs), na disputa do cinturão dos meio-médios da AMB, onde foi impedido pelo médico de voltar para a luta, após 5 rounds. Gomez se beneficiou bastante por sua aparição no programa, e é um dos que apresentou melhor retrospecto desde então.

Ishe “Sugar Shay” Smith
Cartel Antes do programa: 14-0, 7 KOs
Cartel Atual: 19-3, 9 KOs

Com certeza, é um dos boxeadores com menos “sorte” desde o fim do programa. Derrotado na segunda rodada do reality show por Sergio Mora, em decisão dividida, Smith perdeu a invencibilidade. Após o programa, venceu quatro lutas, mas acabou perdendo para os dois maiores desafios de sua carreira, ambas derrotas muito contestadas: em 2007, foi superado por Sechew Powell (23-1, 14 KOs), e, em abril deste ano, perdeu para o colombiano Joel Julio (33-1, 30 KOs). Smith, cujo filho, Ajani Smith, nasceu no começo de 2006, esteve bastante desapontado com o boxe, pois, além de suas derrotas, teve problemas com a Golden Boy Promotions.

Jesse Brinkley
Cartel Antes do programa: 23-1, 16 KOs
Cartel Atual: 30-5, 21 KOs

Brinkley foi eliminado por Sergio Mora a apenas uma luta da final. Venceu Jonathan Reid, por decisão unânime, e Anthony Bonsante, por nocaute, antes de chegar ao confronto com Mora. Na disputa pelo 3º lugar, perdeu para o mexicano Alfonso Gomez. Ainda em 2005, venceu Bonsante mais uma vez, em uma das preliminares de Mora-Manfredo II, vencendo por decisão unânime vaiada pelo público presente no local. Em 2006, lutou apenas uma vez, sendo nocauteado por Joe Spina (22-1-1, 15 KOs), num confronto em que ele liderava nas marcações dos 3 juízes até cair. Voltou apenas em 2007. Desde então, fez 5 lutas, perdendo apenas a primeira delas. A última exibição de Jesse foi contra Otis Griffin (19-3-2, 7 KOs), e venceu por nocaute técnico no 11º assalto. Brinkley tem luta marcada para essa sexta, contra Jason Naugler (18-7-1, 11 KOs).

Joey Gilbert
Cartel Antes do programa: 8-0, 7 KOs
Cartel Atual: 16-1, 12 KOs

Outra surpresa do programa, Joey era o menos experiente entre os 16 boxeadores. Formado em Direito, começou a lutar durante a faculdade, e tinha apenas 8 lutas profissionais quando entrou no reality show. Bateu Jimmy Lange na primeira luta, porém, foi eliminado por Peter Manfredo Jr logo em seguida. Depois disso, só vitórias: foram 7 ao total. Porém, após sua última exibição, quando nocauteou Charles Howe (17-4-2, 9 KOs) no primeiro assalto, Gilbert foi pego pelo exame anti-doping devido ao uso de diversas substâncias proibidas pela Comissão de Boxe do estado de Nevada. Joey chegou a recorrer, mas as últimas notícias sobre o caso, no fim do mês passado, dão conta de que a Comissão não aceitou o pedido de Gilbert e seus promotores de fazer um acordo, e ele continua temporariamente suspenso até uma nova audiência.

Miguel Espino
Cartel Antes do programa: 9-1-1, 3 KOs
Cartel Atual: 19-2-1, 8 KOs

Derrotado pela última vez na primeira rodada do programa, em luta contra Peter Manfredo Jr, que retornava ao programa após a eliminação de Jeff Fraza, o americano Miguel Espino é um dos que melhor se apresentou desde então. Venceu 10 lutas, algumas contra bons adversários, e outras contra “escadas”. Espino, atual #10 dos médios pelo CMB, tem luta marcada para o dia 11 de Julho, contra o canadense Sebastien Demers (25-1, 9 KOs), cuja única derrota foi contra o campeão mundial da categoria pela FIB, Arthur Abraham (26-0, 21 KOs). Caso vença, o ex-contender poderá ser mais um a ter uma chance de disputar um título mundial. Atualmente, o cinturão mundial dos médios pelo CMB está nas mãos de Kelly Pavlik (34-0, 30 KOs).

Anthony “The Bullet” Bonsante
Cartel Antes do programa: 25-4-3, 14 KOs
Cartel Atual: 31-9-3, 18 KOs

Bonsante, nocauteado por Jesse Brinkley na 2ª rodada do reality show, teve três grandes lutas após o programa: em 2006, perdeu para Allan Green (26-1, 18 KOs) por nocaute técnico no 5º assalto; em 2007, bateu Matt Vanda (38-6, 21 KOs) por decisão unânime; e mais tarde, no mesmo ano, perdeu para o irlandês John Duddy (24-0, 17 KOs). Depois disso, lutou apenas mais duas vezes, em combates locais em seu estado, Minnesota, vencendo em ambos.

Ahmed “Babyface” Kaddour
Cartel Antes do programa: 18-0, 9 KOs
Cartel Atual: 20-2-1, 9 KOs

Talvez o mais polêmico dos participantes da primeira temporada, o libanês Ahmed Kaddour falava demais, mas era divertido e se apresentou bem em suas duas lutas, frente ao rival Ishe Smith, e contra o mexicano Alfonso Gomez. Após o programa, Kaddour venceu duas lutas e empatou uma. Lutou pela última vez em novembro de 2006. Teve problemas fora dos ringues, como sua separação, e acabou preso, acusado por sua ex-esposa, Brandy Collins, de ter invadido sua casa. Solto no final do ano passado, o “Babyface” voltou para a Dinamarca, país no qual morou durante a juventude. Atualmente está morando em Paris, na França, onde treina esperando uma oportunidade de retornar aos ringues. Para saber sobre Ahmed “Babyface” Kaddour, você pode conferir a entrevista exclusiva que fizemos com ele em maio deste ano clicando neste link.

Jonathan “Red Dawg” Reid
Cartel Antes do programa: 33-1, 19 KOs
Cartel Atual: 34-10, 19 KOs

Até sua participação em The Contender, Jonathan Reid tinha apenas uma derrota. Eliminado por Jesse Brinkley na primeira rodada, Jonathan fez mais 9 lutas, vencendo uma e perdendo oito, o que lhe dá o pior desempenho entre todos os ex-participantes após o término do programa. Suas principais derrotas foram contra Paul Smith (23-0, 13 KOs), que participou da 3ª temporada do reality show, e contra o jordaniano/brasileiro Mohammad Said (26-8-1, 18 KOs).

Jimmy Lange
Cartel Antes do programa: 24-1-1, 17 KOs
Cartel Atual: 28-3-2, 20 KOs

Mais um eliminado na primeira rodada, Jimmy Lange conquistou o título continental do CMB na categoria médio-ligeiro em sua última luta, em maio do ano passado, quanto bateu Fontaine Cabell (22-8-2, 17 KOs). Eliminado por Joey Gilbert, Lange teve, em 2006, uma revanche contra o seu algoz, mas perdeu por nocaute técnico no 3º assalto.

Juan “El Gallo Negro” De la Rosa
Cartel Antes do programa: 12-0-1, 11 KOs
Cartel Atual: 19-3-1, 15 KOs

Juan De la Rosa, mesmo vencendo sua luta no programa contra o mais experiente Tarick Salmaci, preferiu abandonar a disputa, alegando contusão nas mãos. Criticado pelos outros participantes, que acusaram Juan de estar com medo de perder e sujar o seu cartel, até então invicto, o jovem mexicano emplacou uma série de três vitórias após o reality show. Tudo ia bem, até o journeyman Mikel “The Cat” Williams (8-21-4, 3 KOs – não, nós não invertemos vitórias com derrotas) cruzar o seu caminho, e nocauteá-lo nos últimos segundos do último assalto. Juan venceu mais um adversário, e, em 2007, teve uma revanche contra Williams. Resultado: mais uma derrota do mexicano, dessa vez por decisão unânime. Apesar de vencer mais dois adversários depois disso, Juan perdeu novamente para um adversário com mais derrotas que vitórias em sua última luta. O algoz, dessa vez, foi seu compatriota Fernando Vela (7-11-1, 3 KOs), que venceu por decisão dividida em março desse ano.

Brent “The Disciple” Cooper
Cartel Antes do programa: 20-2-2, 15 KOs
Cartel Atual: 20-5-2, 15 KOs

Dos pugilistas da primeira temporada, era o mais fraco. Apesar de apresentar um bom cartel antes do programa, Brent Cooper nunca havia enfrentado nenhum lutador de bom nível. Amigo de Ishe Smith, por serem “irmãos cristãos”, Cooper foi nocauteado por Anthony Bonsante em sua única luta no programa. Nas preliminares da final, acabou derrotado por decisão dividida por Jeff Fraza. Sua última luta, e única após a participação em The Contender, foi contra Cleveland Corder (36-3, 20 KOs), em setembro de 2005, onde foi nocauteado. Atualmente, está aposentado.

Tarick “The Arabian Prince” Salmaci
Cartel Antes do programa: 19-1, 5 KOs
Cartel Atual: 19-3, 5 KOs

Tarick era um dos mais experientes e conhecidos antes do programa começar. Após um cartel amador de 136-12, e ser rankeado entre os top 10 da OMB e do CMB, ele largou o boxe em 2001. Seduzido pela chance de participar do The Contender, voltou aos ringues. Apesar da experiência, a falta de ritmo e os anos sem lutar pesaram, e Tarick acabou eliminado na primeira rodada pelo jovem mexicano Juan De la Rosa, na época com apenas 13 lutas profissionais. Chegou a lutar numa das preliminares da final do reality show, mas foi derrotado por decisão majoritária contra Jimmy Lange. Atualmente, também está aposentado, e com 36 anos de idade.

Najai “Nitro” Turpin
Cartel Antes do programa: 11-1, 8 KOs
Cartel Atual: 11-2, 8 KOs

Najai foi derrotado na primeira rodada, perdendo por decisão unânime para Sergio Mora. Em fevereiro de 2005, Najai cometeu suicídio enquanto estava com sua ex-namorada dentro de um carro perto do ginásio onde treinava. Na época, chegou-se a comentar que as principais causas para tal acontecimento foram o fato dele não poder lutar devido a uma cláusula no contrato com os produtores do reality show, a baixa-estima desde sua eliminação e a briga judicial pela guarda de sua filha, Anyae. Mesmo com o incidente, o programa foi transmitido inteiramente, com tributo ao ex-pugilista americano.

Jeff “Hell Raza” Fraza
Cartel Antes do programa: 16-2, 10 KOs
Cartel Atual: 17-3, 10 KOs

Jeff Fraza é o participante da 1ª temporada menos lembrado pelo público. Eliminado sem nem lutar, já que estava com catapora, Fraza deu lugar à volta de Peter Manfredo Jr, que aproveitou a nova chance e conseguiu chegar até a final do torneio. Também lutou nas preliminares da final, derrotando Brent Cooper por decisão dividida. Em 2006, participou da 2ª temporada do The Contender, mas acabou eliminado por Nick Acevedo (17-2, 9 KOs) na primeira rodada. Foi a última luta profissional de Fraza.

Comentários