Artigos

Publicado em 30 de Dezembro de 2015 às 07h:42

Os melhores de 2015

Foto do autor

Autor Daniel L. & Luigi F.



Quem foram os destaques do ano que se encerra, no Brasil, e no mundo?
 

Este pode ser considerado um bom ano para a nobre arte. Vimos finalmente Floyd Mayweather Jr. enfrentar Manny Pacquiao, em evento que, de quebra, bateu todos os recordes comerciais do esporte. Além disso, diversos outros combates aguardados pelos fãs ocorreram, tais como o confronto entre Miguel Cotto e Saul “Canelo” Alvarez, Wladimir Klitschko vs. Tyson Fury, entre outros, que movimentaram cifras e públicos abundantes.

No Brasil, pudemos observar a continuidade e crescimento dos profissionais mais promissores. Patrick Teixeira se consolidou como um “contender” sério nos médio-ligeiros. Everton Lopes estreou engatando 4 vitórias seguidas. Yamaguchi e Esquiva Falcão seguiram vencendo quem fosse posto à frente e William Silva começou com o pé direito sua jornada sob a tutela da Top Rank. Além disso ainda tivemos o retorno do tetracampeão mundial, Acelino “Popó” Freitas, no melhor evento realizado no Brasil nos últimos anos.

2016 tem todas as possibilidades de ser um período ainda mais positivo para o pugilismo tupiniquim e de testemunharmos o nascimento de novas estrelas lá fora. Porém, finais de ano, em geral, nos trazem uma bela oportunidade: Rever o que passou, e como bons fãs, rankear tudo! Sim, você sabe, e eu sei muito bem, que nós adoramos um ranking. Mas muito, além disso, eleger quem foram os melhores é um reconhecimento á quem mais faz pelo boxe no mundo – os boxeadores!

Então,  confira quem o Round13 pensa que foram os melhores lutadores do Brasil, do mundo, as melhores lutas, e o melhor nocaute deste ano que já se vai.

Lutador do ano

1º lugar: Roman “Chocolatito” Gonzalez


Imagem: The Ring Magazine

Ele não é uma estrela mundial, nem é conhecido pelos fãs casuais. Mas 2015 foi um ano de afirmação para Roman Gonzalez, aonde consolidou seu nome junto à mídia especializada, sendo considerado por alguns o novo campeão “pound-for-pound” do boxe. Exageros à parte, nos últimos 365 dias, Chocolatito combateu em três oportunidades, nocauteando em todas e defendendo seu cinturão CMB dos moscas por duas vezes. Mas, ainda mais importante do que isso, venceu, em sequência, os dois adversários mais renomados de sua carreira até então: Edgar Sosa e Brian Viloria. A vitória sobre Viloria no undercard de “GGG vs. Lemieux”, foi a mais importante de sua trajetória em todos os aspectos. Resta saber se em 2016 o nicaraguense vai buscar desafios ainda maiores e se poder ser apontado, quem sabe, como o melhor pugilista libra-por-libra, mesmo advindo das categorias mais leves do pugliato.

2º lugar: Floyd Mayweather Jr.  - Fez a luta mais importante do século XXI, venceu Manny Pacquiao, mas, apesar do resultado perante um dos melhores do mundo, os fãs esperavam mais do combate. Escolheu Andre Berto como seu adversário de “despedida”, e por isso não pode ser considerado, em nossa visão, o melhor em 2015.

3º lugar: Saul “Canelo” Alvarez – Venceu James Kirkland em um dos melhores nocautes do ano, e tornou-se campeão do CMB nos médios ao bater Miguel Cotto, em bela performance.

Lutador brasileiro do ano

1º lugar: Yamaguchi Falcão


Imagem: CBN Santos

O mais velho dos irmãos Falcão teve um ano muito melhor do que 2014. Venceu seis lutas, três nos Estados Unidos, uma na Argentina e duas no Brasil. Se “auto-desafiou” ao enfrentar  Gerardo Ibarra, Jose Carlos Paz e Francisco Cordero, muito mais experientes no profissionalismo, e os venceu sem maiores problemas. Fechou o ano voltando às origens e treinando com seu pai, Touro Moreno. Yamaguchi foi, sem dúvidas, aquele que mais deu passos em sua carreira, subindo o nível de seus oponentes e já buscando para o próximo ano, eventos maiores. Prova disso é que já mandou colocarem Alfredo “El Perro” Angulo em cima do quadrilátero contra ele. Nos resta esperar e torcer.

2º lugar: Patrick Teixeira – Melhor lutador brasileiro em todos os pesos, sem dúvidas. Faltou para Teixeira lutar mais vezes. Apesar da importante vitória sobre Patrick Allotey em Abril, demorou seis meses para voltar á subir no quadrilátero e vencer Don Mouton, oponente inferior a alguns que Yamaguchi e Esquiva Falcão venceram. Este foi bom, porém, o ano que vem tem tudo para ser o melhor de Patrick até o momento, quando provavelmente terá chance de disputar o tão sonhado título mundial.

3º lugar: Esquiva Falcão – Lutou bem nas seis passagens pelo tablado, evoluiu, mas não melhorou de forma significativa o nível dos oponentes em relação à 2014, seu primeiro ano na vertente profissional. Somente à nível de comparação, os cartéis de seus adversários em 2015, somados, atingem 56-32-4, contra 68-16-1 de seu irmão, Yamaguchi.

Melhor luta do ano

1º Lugar: Lucas Matthysse x Ruslan Provodnikov


Imagem: Alex Menendez/Getty Images

Algumas lutas geram muita expectativa, mas na hora do vamos ver, decepcionam (e 2015 não nos deixa mentir...). Já outras geram quase nenhuma espera dos fãs de boxe, e acabam surpreendendo. Matthysse x Provodnikov não se encaixa em nenhuma dessas situações. Num belo exemplo de luta aguardada e que correspondeu às expectativas, Matthysse bateu Provodnikov por decisão majoritária, numa batalha de encher os olhos dos fãs da nobre arte. O combate ocorreu no mês de abril, em Verona, Nova York, nos EUA.

2º Lugar: Francisco Vargas x Takashi Miura – em novembro, na cidade de Las Vegas, EUA. Resultado: Vargas venceu por TKO no 9º round

3º Lugar: Roman Martinez x Orlando Salido II – em setembro, na cidade de Las Vegas, EUA. Resultado: empate

Nocaute do ano

1º Lugar: Gabriel Bracero x Danny O’Connor (clique na imagem para assistir)


I
magem: Joey Sylvester/Premier Boxing Champions

Com tantos eventos e nocautes ao redor do mundo, fica difícil de escolher qual teria sido o melhor entre os melhores. Da mesma forma que é difícil escolher o gol mais bonito no futebol, ou a onda mais bonita no surf, escolher o nocaute do ano não é tarefa fácil. Mas, o timing perfeito do cruzado de direita de Gabriel Bracero, com apenas 41 segundos na luta contra Danny O’Connor, merece esse posto em 2015. A luta, que era uma revanche do confronto entre os dois pugilistas meio-médios em 2011, durou pouco, mas é um daqueles lances que merece ser repetido por diversas vezes. Bracero, que em 25 lutas realizadas até aquela oportunidade, tinha vencido apenas 4 por nocaute, mostrou que nem apenas de mão pesada é feito um bom nocaute. O embate ocorreu na cidade de Lowell, nos EUA, em outubro.

2º Lugar: Saul “Canelo” Alvarez nocauteia James Kirkland no 3º round – em maio, na cidade de Houston, Texas, nos EUA

3º Lugar: Krzysztof Glowacki nocauteia Marco Huck no 11º round – em agosto, na cidade de Newark, nos EUA

Comentários