Artigos

Publicado em 29 de Dezembro de 2016 às 09h:17

Os melhores de 2016

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Quem foram os melhores pugilistas, nocautes, lutas e as maiores revelações do ano que está nos deixando? Confira os eleitos pelo Round13 no Brasil e no mundo! (Imagem: Montagem R13)

Entra ano, sai ano, e o que mais se espera é o de sempre: Listas! Quem foram os melhores durante o último conjunto de 365 dias? Quem mais nos causou surpresa? Quem conquistou o ápice? Por isso, todo final de Dezembro, a equipe do Round13 se reúne para decidir e apontar os méritos de quem merece.

No Brasil, um país que pouco reconhece o boxe profissional, isso tem se tornado de fundamental importância. Sim, estamos em ascensão, sim, mais eventos estão acontecendo e sim, tem gente se movimentando para fazer o certo. Ainda temos muito á melhorar e o reconhecimento, talvez, ainda seja um desses aspectos.

O ano que passa foi muito bom para o pugilismo brasileiro, não tão bom para a modalidade lá fora, mas ainda assim produtivo. Também tivemos Olimpíadas no Rio, e nossa conquista inédita de uma medalha de ouro. Tudo isso nos coloca em uma boa posição para 2017.

Entretanto, antes de seguirmos em frente, devemos reconhecer quem fez bem seu trabalho no passado.  Então, sem mais delongas, vamos aos melhores de 2016, segundo o Round13!

No Brasil:

Lutador do ano: Yamaguchi Falcão


Imagem: Thierry Gozzer

Pelo segundo ano seguido, Yamaguchi Falcão (12-0, 6 ko's) tem sido o brasileiro que mais brilhou em cima do tablado. Apesar de ter feito apenas 3 combates em 2016 e sua última apresentação ter sido muito desapontadora, graças a pataqüada promovida por seu adversário (e porque não, sua promotora), “Guchi”, como é chamado por seus amigos do meio pugilístico, foi o protagonista dos dois maiores eventos realizados em solo nacional, conquistando e defendendo com sucesso o título latino dos médios do CMB. As vitórias sobre Jorge Caraballo e Devis Caceres não só garantiram a ele o primeiro boldrié internacional de sua carreira, como também o colocaram em 19º no ranking do Conselho Mundial de Boxe, a maior posição de um brasileiro dentre os quatro tabelamentos mundialmente reconhecidos. Se continuar assim, 2017 pode ser o maior ano de sua trajetória.

Luta do Ano: Benedito Neto SD4 Daniel Araújo – 04-03-2016


Imagem: Round13

Oficialmente realizado nos pesos leves, em Santos, como preliminar de um grande evento no Mendes Convention Center, o confronto entre o invicto Benedito Freire Neto (7-0, 5 ko's) e Daniel Araújo (1-1, 1 ko's), então estreante, teve de tudo em apenas quatro assaltos de ação: trocas francas de golpes, demonstração de muita técnica, raça, irreverência e ainda deu tempo para Araújo sofrer um knockdown e levantar-se. O público foi ao delírio com a atuação dos atletas, que entregaram tudo de si em cima do ringue. O confronto foi tão parelho que a decisão dividida dos árbitros acabou sendo totalmente justificada. Neto fez mais dois combates em 2016 e Daniel mais um, vencendo por nocaute. O segundo, inclusive, já tem parada dura para Janeiro, frente a Paulo Soares (4-0, 4 ko's), em Sorocaba, luta esta que já pode ser cotada como uma possível melhor peleja de 2017. Uma revanche entre ele e Benedito, no entanto, é o que todos gostariam de ver.

Nocaute do ano: Fabian Ororzco KO2 Adeilson Dos Santos – 04-03-2016


Imagem: SporTV

Como já dá para perceber o evento do dia 4 de Março, em Santos, foi grande e importantíssimo, não só marcando o título latino de Yamaguchi Falcão e a melhor luta do ano, como também o nocaute de 2016. Infelizmente para nós, esse último reconhecimento terá que ir para um argentino. Fabian Oscar Orozco (27-5-3, 9 ko's) estragou a festa que seria a conquista do cinturão interino Latino dos super-galos pela OMB do brasileiro Adeilson “Del” dos Santos (19-2, 15 ko's) após um devastador golpe de esquerda. Del caiu já desacordado, na frente deste que vos escreve, em uma cena impressionante. Méritos do hermano. Mas, como nem tudo na vida vem pro mal, a derrota fez com que Adeilson subisse de categoria, conquistasse o mesmo título em questão, só que nos pesos-pena, vencesse três lutas seguidas e acertasse uma tão sonhada disputa de cetro mundialista frente a Oscar Valdez, que deverá acontecer no primeiro trimestre de 2017. Enquanto isso, Orozco atuou apenas uma vez, sendo derrotado em Buenos Aires.

Revelação do ano: Lucas de Abreu


Imagem: A&7 Events

Discretamente, voando abaixo do alcance do radar, Lucas de Abreu Martins (5-0, 5 ko's) profissionalizou-se em 2016 após uma consistente carreira no amadorismo, porém sem grande estrelato. Mudou-se para Miami, aonde deu o pontapé inicial na vertente remunerada do esporte. Combateu na Flórida, na Repúbica Dominicana e no México. Seus adversários, logicamente, ainda não são de primeira linha, mas, como todo bom prospecto, venceu-os e convenceu: Dos cinco combates no ano, ganhou todos por nocaute, três deles no primeiro giro e dois no segundo. Nos Estados Unidos, e sendo bem guiado, este meio-pesado que o grande público ainda não conhece no Brasil, pode ser um bom nome de nosso boxe no futuro. Vale ficar de olho!

No mundo:

Lutador do ano: Terence Crawford


Imagem: The Boxing Voice

Além de ter adicionado um terceiro cinturão mundial à sua coleção, Terence “Bud” Crawford (30-0, 21 ko's) lutou três vezes, dominando amplamente todos os confrontos. Suplantou o bom Henry “Hank” Lundy, humilhou o então invicto campeão do CMB, Viktor Postol, unificando os títulos e tirou “pra nada” o mais pesado John Molina Jr. Por isso ficou na frente de outros nomes de destaque em 2016, como Vasyl Lomachenko e Carl Frampton. Mais do que isso, consolidou-se como o maior nome do esporte em Nebraska e seu 2017 tem tudo para ser gigante, principalmente se conseguir tirar do papel um combate diante de Manny Pacquiao.

Luta do ano: Carl Frampton MD12 Leo Santa Cruz – 30-07-2016


Imagem: Getty Images

Disputada, de difícil marcação, com muita qualidade técnica envolvida em um imbróglio parelho em alguns momentos, e dominado em outros. Este foi o resumo da contenda entre Carl Frampton (23-0, 14 ko's) e Leo Santa Cruz (32-1-1, 18 ko's), realizada no Barclays Center, em Nova Iorque. Santa Cruz buscou mais o confronto enquanto Frampton aproveitou-se de cada um dos erros de seu adversário. A liderança se alternou tanto que o resultado poderia ter sido perfeitamente um empate. Na realidade um dos jurados marcou exatamente isso, 114-114, mesma pontuação nossa para o combate. Os demais scorecards de 116-112 e 117-111, não representaram muito do que foi a disputa, apesar de alguns assaltos muito parelhos. Com a vitória, Frampton tomou do mexicano o cinturão mundial dos penas pela AMB, tornando-se o primeiro atleta da Irlanda do Norte a conquistar títulos mundiais em mais de uma divisão de peso. O equilíbrio e qualidade do enfrentamento foi tamanho que, ainda que sem uma cláusula de revanche no contrato, eles repetirão a peleja em 28 de Janeiro, dessa vez em Las Vegas. Sorte nossa!

Nocaute de Ano: Hassan N'Dam N'Jikam KO1 Alfonso Blanco – 17-12-2016


Imagem:  Youtube + R13

O camaronês radicado na França, Hassan N'Dam N'Jikam (35-2, 21 ko's) tinha tudo para passar desapercebido por 2016, após uma passagem frustrante pelas olimpíadas do Rio de Janeiro. Ele foi um dos profissionais que se arriscou, sem sucesso, no torneio, sendo eliminado pelo brasileiro Michel Borges. Fazendo sua quarta aparição profissional no ano em seu país adotivo, teve a oportunidade de disputar um dos seiscentos mil cinturões da AMB na divisão dos médios, o título “interino” (que na realidade nem deveria existir, uma vez que não há campeão em recesso). De qualquer forma, a sua frente estava o invicto venezuelano Alfonso Blanco (12-1, 5 ko's), conhecido pelo bom background amador. Não foi suficiente para evitar o overhand de direita devastador aplicado pelo atleta de Camarões, que pegou bem na ponta do queixo de Blanco, fazendo-o cair de cara no solo, desacordado e convulsionando. A aplicação do golpe foi tão perfeita e a dificuldade de encaixe do mesmo foi tamanha que conseguiu superar o brutal nocaute que Saul “Canelo” Alvarez aplicara em Amir Khan no mês de Maio.

Revelação do ano: Oscar Valdez


Imagem: Jayne Kamin-Oncea, USA TODAY Sports

O mexicano Oscar Valdez (21-0, 19 ko's) já atua como profissional há quatro anos. 2016, no entanto, foi o seu maior, até então. Valdez desabrochou para o mundo em Abril, quando conseguiu destruir o ex-campeão mundial Evgeny Gradovich, arrebatando o cinto norte-americano dos penas pela OMB. Daí em diante criou-se uma aura de maior prospecto da categoria em cima do jovem latino. Naturalmente, foi levado à disputa do título mundial contra o argentino Matias Rueda que tornou-se apenas uma vítima fácil, tendo sua invencibilidade de 26 lutas arrancada por nocaute no segundo round. Oscar levara para casa então, o cinturão da Organização Mundial de Boxe, vago desde que Vasyl Lomachenko subira para os super-penas. A primeira defesa ocorreu em Novembro, quando bateu facilmente o japonês Hiroshige Osawa. A segunda, provavelmente, se dará diante do brasileiro Adeilson “Del” dos Santos, que terá de superar um dos maiores pugilistas em ascensão no mundo se quiser tornar-se o quinto boxeador do Brasil a conquistar o mundo.

E então, gostou de nossa lista? A equipe do Round13 espera que você tenha gostado do nosso trabalho neste ano, e garante que 2017 será ainda mais produtivo. Muitas novidades vêm aí, e estaremos com vocês nelas!

Feliz Ano Novo á todos!

Comentários