Artigos

Publicado em 24 de Maio de 2016 às 23h:30

Resultados das brasileiras no Mundial de Boxe Feminino de Astana

Foto do autor

Autor Luigi F.


Andreia Bandeira, Adriana Araujo e Graziele Jesus. Imagem: CBBoxe.

No dia de ontem, o Brasil acabou encerrando sua participação no Campeonato Mundial de Boxe Feminino que está acontecendo em Astana, no Cazaquistão. Com a eliminação das três boxeadoras brasileiras, nosso país acabou não conseguindo subir ao pódio na competição. Vale relembrar, que na última edição da competição, ocorrida em 2014 no Canadá, o Brasil conquistara uma medalha de bronze com Clélia Costa. A boa notícia dessa edição, entretanto, é que Andreia Bandeira acabou obtendo a classificação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Com 285 atletas de 64 países, o Mundial de Astana ocorre em 10 categorias distintas. A delegação brasileira, porém, enviou apenas representantes nas três categorias olímpicas.

Na categoria até 51 kg, Graziele Jesus encarou a estadunidense Virginia Fuchs logo em sua primeira luta, mas acabou eliminada perdendo por 3:0. Em março, ela já havia enfrentado Fuchs na disputa pela terceira colocação no Pré-Olímpicos das Américas, e acabara sofrendo um revés. Com a eliminação na competição, Grazi não tem mais chances de se classificar para os Jogos do Rio-2016.


Graziele foi eliminada por Virginia Fuchs, dos EUA. Imagem: Reprodução / Instagram

“Treinei muito e vim bem preparada para estar aqui no Mundial. Infelizmente, tive uma adversária muito dura já na primeira luta. Apesar da luta ter sido boa, não consegui o resultado. Para mim, sempre é uma honra representar meu país e notar que tenho evoluído a cada dia em nível internacional. Aos que me acompanham, só tenho a agradecer, pois eles sabem a minha trajetória para chegar até a Seleção, e também a minha dedicação. Esse Mundial infelizmente foi a última oportunidade de se classificar, então estou fora das Olimpíadas, mas continuo focada nos treinos e no que busco no boxe”, declarou Graziele com exclusividade ao Round13.

Enquanto isso, na categoria até 60 kg, a medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, Adriana Araújo, começou a competição de bye. Na rodada seguinte, venceu a ucraniana Iuliia Tsyplakova, por 2:0. Já nas oitavas de final, disputada ontem, a brasileira acabou perdendo para a russa Anastasiia Beliakova, por 3:0. Beliakova possui, no currículo, uma medalha de ouro na categoria até 64 kg, obtida no Mundial de 2014.

Mesmo com a derrota, Adriana já estava com sua vaga garantida para os Jogos do Rio, visto que ela foi escolhida pela Confederação Brasileira de Boxe para usar uma das seis vagas que nosso país tinha direito por ser o país desse das Olimpíadas. Dessa forma, a boxeadora terá a chance de se sagrar a primeira atleta a conquistar mais de uma medalha olímpica para o Brasil na modalidade.


Após vencer ucraniana (foto), Adriana (direita) perdeu para atleta da Rússia; a brasileira estará no Rio-2016. Imagem: Divulgação / AIBA

“Fiz uma boa participação. Claro que queria voltar com uma medalha no peito desse Mundial, mas sei que boxe não é milagre, boxe é trabalho. Esse Mundial foi uma das preparações para as Olimpíadas, e agora é dar continuidade ao meu trabalho e melhorar no que for necessário. Estou fazendo o meu melhor e tentando me superar a cada treino, para que com isso eu possa dar a felicidade de mais uma medalha para meu povo brasileiro”, declarou Adriana ao R13. Questionada sobre como se sentia em relação a oportunidade de poder conquistar mais uma medalha no boxe para o país, a pugilista baiana mostrou que não vê a hora de começar a competição. “Estou muito feliz por essa oportunidade. Claro que bate uma ansiedade, querendo que chegue logo esse momento, porém agora é viver com os pés no chão e me manter focada. Mesmo os Jogos sendo em casa, tenho a consciência que não será nada fácil. Tenho trabalhado muito para que isso se torne realidade em minha vida”, finalizou.

Já Andreia Bandeira, na categoria 75 kg, começou a competição com o pé direito, batendo a panamenha Atheyna Byion, campeã mundial em 2014, por 3:0. Nas oitavas de final, entretanto, acabou perdendo para a atleta de Taipei, Nien-Chin Chen, por 3:0. Apesar da eliminação nas oitavas, Andreia se classificou para os Jogos do Rio. A classificação veio graças à estadunidense Claressa Shields, que no dia de hoje se classificou para as semifinais do torneio. Shields já havia se classificado através do Pré-Olímpicos das Américas, competição na qual Andreia obteve a terceira colocação. Como a atleta dos EUA também se classificou pelo critério do Mundial de Astana, automaticamente a sua vaga no Pré-Olímpico passou para a terceira colocada daquele torneio, no caso, a brasileira.


Após vencer panamenha (foto), Andreia perdeu para atleta de Taipei, mas classificou-se após herdar vaga da estadunidense Claressa Shields. Imagem: Divulgação / AIBA

“Fiz minha primeira luta contra a atleta do Panamá, que foi uma revanche. Nós lutamos no mês passado na Bolívia, e ela havia vencido, então estava engasgada (risos). Na segunda luta, minha adversária era muito lisa, e tive que mudar a estratégia, pois não podia me expor muito. Fiz meu trabalho e cada luta é uma luta. O foco aqui era obter a vaga nas semifinais, mas tudo é da vontade de Deus, e estou feliz com o que ele tem proporcionado na minha vida. Agradeço de coração a todos que estão torcendo por mim. E aos que não estão torcendo, agradeço também, pois isso me dá mais força para continuar e dar o meu melhor. Obrigado pelo espaço”, declarou Andreia.

Dessa forma, nosso país terá duas representantes do boxe feminino nos Jogos do Rio, entre três vagas possíveis. Em 2012, na primeira edição das Olimpíadas onde o boxe feminino foi incluído, o Brasil havia participado com três atleta: Adriana Araújo, que conquistou a medalha de bronze, Erica Mattos e Roseli Feitosa.

Ao todo, o Brasil já possui 9 lutadores garantidos para o Rio-2016, de 13 possíveis. Além de Adriana e Andreia, 7 homens já estão com as vagas asseguradas para a maior competição esportiva a ser realizada em solo nacional. São eles: Patrick Lourenço (49 kg), Julião Neto (52 kg), Robenílson Vieira (56 kg), Robson Conceição (60 kg), Joedison Teixeira (64 kg), Michel Borges (81 kg) e Juan Nogueira (91 kg). Robson se classificou herdando uma das vagas do Mundial Masculino de 2015, algo semelhante ao que ocorreu com Andreia, enquanto Juan Nogueira obteve a vaga ao obter a terceira colocação no Pré-Olímpico das Américas. Já os demais, assim como Adriana, utilizaram as vagas disponibilizadas ao Brasil por ser o país sede, e foram escolhidos pela CBBoxe. Vale lembrar que nosso país ainda poderá brigar por mais três classificações, em torneio Pré-Olímpico Mundial Masculino que ocorrerá entre os dias 16 a 25 de junho em Baku, no Azerbaijão.

Comentários