Artigos

Publicado em 12 de Agosto de 2016 às 13h:11

Robson Conceição vence uzbeque e garante medalha para o Brasil!

Foto do autor

Autor Luigi F.


Imagem: Peter Cziborra / Reuters

Ele chegou como a grande esperança brasileira de medalha no boxe nessas Olimpíadas. Fez um ciclo olímpico irrepreensível para se preparar, subindo aos pódios dos últimos dois Mundiais de Open Boxe, e conquistando uma prata, em 2013, e um bronze, em 2015. E na hora de coroar toda a sua trajetória, lutando em seu país, ele não falhou: Robson Conceição subirá ao pódio nos Jogos do Rio-2016.

Em combate encerrado há poucos instantes no Pavilhão 6 do Riocentro, arena localizada na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, o boxeador baiano Robson Conceição derrotou o uzbeque Hurshid Tojibaev pore decisão unânime e garantiu a primeira medalha brasileira no boxe nas Olimpíadas de 2016.

O confronto começou disputado, mas com Robson controlando as ações principalmente a partir da segunda metade do round inicial. No segundo, o brasileiro seguiu superior, ampliando a vantagem e indo para o giro final com 20-18 na nossa marcação. Já no assalto derradeiro, Tojibaev até teve alguns lampejos de sucesso quando o combate foi para a troca de golpes na curta distância, mas Robson conseguiu reverter e terminar novamente em vantagem no final do round.

Ao final de três assaltos, vimos o brasileiro vencendo de forma tranquila por 30-27, mesmo veredicto de dois dos jurados. Já o terceiro viu Robson vencendo por 29-28, decretando a decisão unânime a favor do brasileiro, que carimbou seu passaporte para as semifinais.

Dessa forma, Robson se une a Servílio de Oliveira (bronze em 1968), Esquiva Falcão (prata em 2012), Yamaguchi Falcão (bronze em 2012) e Adriana Araujo (bronze em 2012) no seleto hall de pugilistas brasileiros medalhistas olímpicos. Um momento histórico para premiar um dos mais experientes integrantes da delegação nacional, que participa pela terceira vez de uma edição de Jogos Olímpicos.

Em 2008, ele havia sido derrotado na estreia pelo chinês Yang Li, em Pequim. Já em 2012, ele acabou superado pelo inglês Josh Taylor, nos Jogos de Londres, sendo novamente derrotado na primeira rodada pelo lutador da casa. Em 2016, sendo o atleta da casa, foi a vez do baiano deixar o histórico ruim para trás e gravar seu nome para sempre na história do boxe brasileiro.

A trajetória de Robson no Rio-2016 teve início com a vitória sobre o tajique Anvar Yunusov. Depois de dominar o oponente claramente no primeiro assalto, Conceição teve o braço erguido e a vitória decretada após Yunusov não voltar para a disputa do round seguinte. Classificado para as quartas, foi a vez de reencontrar-se com um adversário bastante conhecido dos últimos anos: o uzbeque Hurshid Tojibaev.

Nos últimos dois anos, Tojibaev havia cruzado o caminho do brasileiro em duas ocasiões. Em 2014, o uzbeque levou a melhor, derrotando o boxeador baiano em combate válido pela Aiba Pro Boxing (APB), liga profissional da AIBA. Já em dezembro de 2015, por coincidência do destino, Robson pôde vingar-se do rival justamente no Rio de Janeiro, derrotando Tojibaev na final do Evento-Teste da AIBA. No desempate, novamente no Rio, Robson acabou vencendo, deixando o placar recente do confronto em 2 a 1 a seu favor.

"Agora estou bem mais maduro, bem mais experiente. Tive dois resultados bons nos mundiais e treinei muito para esses Jogos. Mas ainda não estou satisfeito. Quero a medalha de ouro e vou brigar por ela", declarou Robson em entrevista ao canal SporTV8 logo após o término de sua luta.

Resta agora saber qual será a cor da medalha. Robson terá pela frente, nas semifinais, o cubano Lázaro Álvarez, tricampeão mundial e medalhista de bronze em Londres-2012, que passou pelo estadunidense Carlos Balderas Jr nas quartas-de-final. O combate ocorrerá no próximo domingo, às 12h30 (horário de Brasília). Vale lembrar que, no boxe, os dois boxeadores derrotados nas semifinais garantem a medalha de bronze. Dessa forma, caso Robson perca para Álvarez, ele ficará com o bronze. Se vencer, ele disputará a final olímpica na terça-feira, dia 16 de agosto, brigando pelo inédito ouro para o boxe brasileiro.

O cubano, assim como Tojibaev, é um velho conhecido do brasileiro. Eles se enfrentaram na final do Mundial de 2013, realizado na cidade de Almaty, no Cazaquistão. Naquela oportunidade, Álvarez levou a melhor, ficando com o ouro. No ano passado, no Campeonato Continental realizado na Venezuela, em setembro, o brasileiro deu o troco, vencendo a final do rival e ficando com o lugar mais alto do pódio. Resta agora saber quem se dará melhor no desempate.

É importante também lembrar que o Brasil ainda segue vivo com mais cinco boxeadores em ação no Rio. Michel Borges, Andreia Bandeira, Robenilson de Jesus, Joedison Teixeira e Julião Neto ainda estão na briga por mais medalhas. Fica a torcida para que nossos representantes consigam igualar ou superar o incrível feito de Londres-2012, onde o Brasil terminou com três medalhas. 

Comentários