Artigos

Publicado em 27 de Setembro de 2016 às 01h:21

Tyson Fury é uma vergonha para o boxe

Foto do autor

Autor Daniel Leal

O britânico não faz jus a alcunha de um campeão mundial dos pesados e é horrível para o esporte. Sua atitude deprecia o pugilismo e, exceto se tiver uma razão bastante justificável, deveria ser destituído de seus títulos. (Imagem: Kevin Quigley)

Não é novidade para ninguém que Tyson Fury, mais uma vez, cancelou a revanche contra Wladimir Klitschko. A desculpa oficial seria a falta de saúde suficiente para a preparação. Seja la o que isso signifique, agora pouco importa. Fury já havia adiado em ocasiões anteriores este confronto. Primeiro demorou demais para negociar, depois machucou seu tornozelo. Na semana seguinte de sua lesão, esteve na Eurocopa junto da torcida da Inglaterra, andando e entoando gritos, algo impossível para alguém com os ligamentos rompidos, conforme alegado (e falo com conhecimento de causa).

Tyson já afirmou que odeia o boxe, que tem ojeriza aos treinamentos e chegou a tirar a camisa em uma conferência de imprensa com Klitschko para ostentar sua pança, apontando para ela e desdenhando do fato do ex-monarca ter perdido para aquele gordo, dizendo “Isso aqui é o campeão mundial dos pesos-pesados”. O britânico tira sarro do próprio esporte, não o leva a sério, e frustra os fãs. É quase que um sabotador da nobre arte.

Se ainda fosse talentoso, sua "marra" se justificaria, porém, suas habilidades são questionáveis. Venceu Wladimir em uma luta taticamente bem executada, mas difícil de se assistir. Seria complicado para Fury encarar Anthony Joshua, por exemplo, que é muito mais rápido e versátil do que o ucraniano.

Por essas e outras atitudes que, por mais que seja notório e sabido que sou contra as arbitrariedades e burocracia excessiva na modalidade, neste caso, seria uma benfeitoria ao pugilismo que fosse destronado do posto de rei da categoria máxima e mais prestigiosa do pugilismo pela AMB e pela OMB. Á exceção de algo mais sério e que justifique este tipo de ocorrência, não há porque mantê-lo ostentando a honrosa alcunha.

Fury abusou do direito de ser imbecil, e se não tem comprometimento com o boxe, que o próprio boxe livre-se dele!

Comentários