Artigos

Publicado em 01 de Fevereiro de 2016 às 19h:28

Zumbano e Lino assinam contrato! Luta ocorrerá em 23 de Abril

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Tudo certo para o combate entre os pesados Raphael Zumbano “Love” (37-12-1, 30 ko's) e Laudelino José Barros, o “Lino” (38-3, 31 ko's). O contrato foi assinado hoje à tarde, e o evento está confirmado para o dia 23 de Abril, muito provavelmente na cidade de Osasco. Á depender dos títulos em jogo, o encontro poderá ter 10 ou 12 rounds, ainda à serem pactuados.

Além da atração principal – melhor luta na categoria máxima dentro do Brasil nas últimas décadas – a programação virá com interessantes preliminares. A principal delas tem boa possibilidade de marcar a segunda luta de retorno do ex-lutador do UFC, Fabio Maldonado (22-0, 21 ko's), ao pugilismo profissional. Sua última apresentação foi em 2010, diante de Carlos Barcelete. Antes disso o peso-pesado, invicto no boxe, tem outro compromisso, dia 14/02, na Arena Projeto Viver, em São Paulo, igualmente sem definição de adversário até o momento.

Quem também lutará no mesmo evento que Maldonado em Fevereiro e estará no card de “Zumbano VS. Lino”, em Abril, é o cruzador Fabio Garrido (28-5-1, 23 ko's). Se não tiver problemas para vencer Humberto Conceição (2-25-1, 2 ko's), dividirá o quadrilátero de Osasco com Gilberto Matheus Domingos (23-5, 21 ko's). Garrido, que para quem não se lembra quase perdeu a vida em uma triste noite para a nobre arte ao ser derrotado por Mario Soares, o “Marinho”, em 2004, no Hotel Unique, é filho de Nilson Garrido, líder do projeto “Boxeduto”, e já pelejou e foi batido pelo próprio Lino Barros no ano de 2012.

Ainda sem adversários definidos, estarão no tablado na mesma noite os cruzadores Marcelo Ferreira dos Santos (21-10-1, 18 ko's) – que vem de 14 vitórias consecutivas por nocaute, desde 2007 – o cinquentão Hairton “Dr. Frankenstein” Campos (8-1-1, 6 ko's), ex-campeão Latino Interino e Mundo Hispano pelo CMB, e o meio-médio indiano Neeraj Goyat (7-2-2, 2 ko's), fazendo sua estreia em solo brasileiro.

Comentários