Artigos

Publicado em 15 de Dezembro de 2015 às 19h:59

Zumbano VS. Lino: Grande luta brasileira nos pesados deve sair do papel, após muitas provocações

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Pugilistas trocam farpas á respeito de combate que pode ocorrer em Abril de 2016.
 

O boxe brasileiro ressente-se de boas lutas locais, e rivalidades regionais em seu âmbito profissional. É difícil um combate entre pugilistas nacionais despertar emoções e ansiedade nos fãs. Por essas e outras que o acerto muito próximo do confronto entre Raphael Zumbano (37-12-1, 30 ko's) e Laudelino “Lino” Barros (38-3, 31 ko's), para Abril é uma bela notícia.

Tudo começou com tratativas frustradas, inclusive uma que poderia ter levado ambos os atletas a abrilhantarem ainda mais o evento em que Popó Freitas venceu Mateo Veron, em Agosto. Não foi à frente, e somente Lino subiu ao quadrilátero naquele dia. Porém, gerou-se uma rivalidade pessoal entre os dois, pelo menos segundo Zumbano:

“Eu não gosto do Laudelino pessoalmente, tenho problemas pessoais com ele, não vou com a cara dele, ele é traíra, safado, tentou prejudicar pessoas que sempre ajudaram ele, falou bobagem de mim…” - disse com exclusividade ao Round13.

O peso-pesado ainda afirma que Lino e seu staff não aceitaram o combate, na primeira negociação: “Ele pediu pra negociar com o Mike (Miranda, manager), e o pessoal dele. Vieram com uma proposta ridícula, mas eu só pedi que a luta valesse um título, e ainda ofereci pra dividir as taxas, eu pagaria metade, e eles não aceitaram. Detalhe, o '‘boca de caçapa’', não apareceu na reunião, com medo de que eu fosse arranjar confusão”.

Tudo reacendeu hoje, quando Raphael postou em suas redes sociais, vídeo com declarações sobre o evento, e duvidando que Barros assinasse o contrato. “A verdade é que ele é frouxo, um babaca. Se ele não assinar o contrato, não lutar, eu vou dar na cara dele toda vez que eu encontrar. Eu sou contra violência, não gosto disso, não fui criado assim, não é a história da minha família, mas ele é vagabundo, merece, homem se quer lutar vai lá e luta, não fica dando desculpa.”. Ainda segundo Zumbano, Lino teria dito que ele não poderia lutar em Agosto, por restrições médicas, o que Raphazel nega. “Fui ao hospital após a luta nos EUA, mas estava liberado pra lutar, pra fazer todos os exames. Eu queria saber é se ELE faria os exames”, - dispara.

Para finalizar, o campeão sul-americano e latino CMB declara: “O americano [Felix Cora Jr. , que venceu Lino, em 2013], matou ele. Eu vou enterrar”.

Em conversa de nossa equipe com Lino Barros, o ex-campeão latino dos cruzadores rebateu e confirmou o embate. “Tô em contato com o Mike Miranda, empresário dele, a gente vai lutar sim. Quanto ao Zumbano falar, é coisa dele, ele gosta. Falar até papagaio fala, só abrir a boca e falar. É uma luta bem interessante, tô bastante motivado. Eu quero lutar com ele também, até porque ele fala muito. Minha postura é diferente, eu prefiro falar com os punhos. Na minha opinião, a melhor língua de um boxeador é com os punhos e as respostas eu vou dar lá em cima pra ele, entendeu? E ele sabe disso, sabe que tem que falar agora, não depois, depois ele vai ter que ficar calado, não vai ter mais o que falar porque eu vou bater muito nele. Falar até papagaio fala, quero ver depois da luta, eu vou estragar muito ele, pode ter certeza disso”.

Questionado quanto às negociações passadas, Barros deu sua versão: “O que aconteceu é que eu tava treinando no Corinthians, e o Washington (Silva), foi negociar com ele pra mim. Não aconteceu a luta porque, eu acho, que ele tinha outra, como ele é um '‘escadinha’' lá fora, vem aqui faz uma lutinha e depois vai lá buscar o dinheiro, e ai ficou a impossibilidade de data e local, e eu não fui mesmo, mas o Washington foi, na condição de meu treinador, falou com ele, a luta ia rolar mas acabou não dando sequência”.

“Se é pessoal o problema é dele, tô cagando e andando pro Zumbano, na moral… Eu quero bater muito nele, o resto pouco importa. Pra mim não é nada pessoal não. Na verdade eu nem tinha interesse de lutar com o Zumbano, pra mim ele não tem nem meu nível, eu lutando com ele vou me rebaixar. Vê quem é Raphazel Zumbano e quem é Lino Barros, pô, pega a história, que eu construí com sucesso, o que ele fez até hoje à não ser servir de '‘escadinha’'? Lutou com vários campeões do mundo, mas só de escadinha não adianta, tem que lutar pra ganhar, como eu sempre fiz, como eu construí minha carreira dessa forma, nunca fui de servir de escada pra ninguém não.” - disse Lino, á respeito das rusgas pessoais entre ambos.

Sobre as declarações do adversário para que ocorra o evento, Lino afirma que isso são negócios: “Diz que ele ficou '‘sentidinho’' porque eu chamei ele pra lutar… Pra mim é um negócio. Eu não tenho nada contra ele no pessoal, quer dizer, agora eu tenho, porque nunca vi alguém xingar a minha mãe que nem ele xingou. Agora eu vou quebrar a cara dele mesmo. Pra mim ele é um '‘escadinha de luxo’'” - contra-atacou.

Provocações de um lado, do outro, e dois boxeadores reconhecidos e com know-how no exterior, se enfrentando dentro do Brasil. Em nossa opinião, é um evento imperdível, para lotar ginásios, principalmente em São Paulo.

A data prevista para que este imbróglio ocorra é 16 de Abril de 2016. Coincidência, ou não, Acelino Freitas também diz que poderia lutar, próximo a esta época. Fica a dica para os promotores do evento: Façam um ainda maior do que o de Agosto, a faca e o queijo estão na mão. Se Popó não se envolver nesta, ainda assim, Zumbano Vs. Lino será a grande luta de pesados no Brasil na última década. Bem que o vencedor poderia encarar George Arias...

Comentários