Pós-Luta

Publicado em 06 de Junho de 2016 às 11h:07

Após guerra no ringue, Vargas e Salido empatam

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Mexicanos travam dura batalha durante 12 assaltos que acaba sendo apontada como igual pelos jurados. Na Europa, Liam Smith defende seu cinturão dos médio-ligeiros e pode enfrentar Canelo, ou Miguel Cotto, no segundo semestre.

O StubHub Center, em Carson, Califórnia, foi palco de uma dura contenda válida pelo cinturão CMB dos super-penas. Francisco Vargas (23-0-2, 17 ko's) reteve seu boldrié ao empatar, após 12 rodadas de intensa troca de golpes, com seu compatriota Orlando Salido (43-13-4, 30 ko's). A luta já está sendo aclamada como a melhor do ano de 2016, até o momento.

Vargas começou ligeiramente melhor, boxeando mais do que seu adversário, um conhecido brigador. Salido conseguiu atrair Vargas para a curta distância, o que lhe favorecia em muitos momentos. Ainda assim, o campeão obtinha êxito em determinadas ocasiões, mesmo que aquela não fosse a melhor posição para si.

O desafiante se aproveitava bem de brechas deixadas por seu oponente quando tentava o ataque, encaixando duros socos nas têmporas do monarca do Conselho Mundial. Quando fazia seu jab prevalecer um pouco, era Francisco quem acertava mais, e melhor. O “momentum” se alternava de giro em giro, e foi assim durante toda a ação no tablado.

Em muitos rounds a marcação tornou-se difícil, pois Orlando, ainda que tomando bons punches na cabeça, acertava com precisão o corpo de Francisco, e estes golpes limpos contam bastante. Para se ter uma ideia, Harold Lederman, veterano especialista da HBO, marcou o enfrentamento em 114-114, idem à nossa marcação, porém discordada em relação ao vencedor de 4 assaltos.

Os árbitros apontaram 115-113 Vargas, 114-114 (duas vezes), oficializando um resultado que não pode ser considerado injusto, uma vez que ambos foram guerreiros merecedores de uma vitória. Entre Vargas e Salido, portanto, não houve nenhum perdedor, e o maior vencedor foi o público.

Se Vasyl Lomachenko vencer seu compromisso semana que vem diante de Roman Martinez, pode fazer revanche contra Orlando, porém, os fãs também gostariam muito de poder assistir uma segunda batalha entre os contendores deste final de semana. De uma forma, ou de outra, temos belíssimas possibilidades para os super-penas, em um futuro muito próximo.

Na Inglaterra, Smith defende cinta OMB e espera Alvarez ou Cotto.

Liam Smith (23-0-1, 13 ko's), fez a lição de casa ao bater o montenegrino Predrag Radosevic, por nocaute no segundo assalto, na Echo Arena, em Liverpool. O boxeador inglês derrubou Radosevic, então campeão europeu, após belo golpe de esquerda no corpo, do qual Predrag não conseguiu levantar-se.

Esta foi a segunda defesa do cinturão OMB dos médio-ligeiros, em posse de Smith. Ele venceu todas as disputas mundialistas pela via rápida até hoje, retendo com sucesso o cinto da Organização desde Outubro de 2015. Sendo assim, seus promotores já trabalham para que enfrente nomes maiores como Saul “Canelo” Alvarez, que talvez volte à categoria das 154 libras, ou Miguel Cotto, que é, atualmente, o número #1 do ranking pela entidade em que Liam é campeão.

 

Comentários