Pós-Luta

Publicado em 08 de Novembro de 2015 às 02h:28

Bradley e Lomachencko defendem títulos facilmente; Provodnikov vence em Mônaco

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Em contenda realizada há pouco, no Thomas & Mack Center, em Las Vegas, Nevada, Timothy Bradley (33-1-1, 13 ko’s) não teve maiores dificuldades e dominou amplamente Brandon Rios (33-3-1, 24 ko’s), para defender com sucesso seu cinturão OMB dos meio-médios, por nocaute no nono round.

Bradley começou bem, aplicando combinações, apesar de, no segundo assalto, se expôr de mais em algumas ocasiões, possibilitando o encaixe de bons golpes por parte de Rios. Mais ligado no combate, o campeão ia golpeando e saindo, de forma constante. Orientado por Teddy Atlas em seu corner, evitava os contragolpes do desafiante utilizando sua movimentação.

Rios, já cansado na segunda metade do confronto, não esboçava conseguir reação. No nono giro, recebeu um uppercut perfeito, caiu, levantou-se quase ao final da contagem, mas não resistiu á nova investida de Bradley, obrigando a interrupção do imbróglio.

Com isso Timothy agora da mais um passo para se firmar como nome importante em sua categoria, a mais concorrida atualmentel. Porém, terá em seu caminho Saddam Ali, número #1 no ranking da Organização Mundial de Boxe, revelação dos EUA, e que, apesar de pouco conhecido por aqui, é uma grande pedreira. Se tirar a invencibilidade de Ali, sem dúvidas, Bradley Jr. terá seu caminho para uma unificação muito mais encurtado.

Na principal preliminar, o ucraniano Vasyl Lomachencko (5-1, 3 ko’s) bateu o campeão mexicano dos penas Romulo Koasicha (25-5, 15 ko’s), e defendeu, assim, seu cinturão OMB nesta mesma divisão.

Como é de praxe, Lomachencko foi superior tecnicamente em todos os momentos, demonstrando grandes variações de golpes e movimentação impecável, não dando chances á Koasicha. Depois de castigos seguidos durante 10 passagens, o boxeador latino não aguentou uma sequência de cinco esquerdas do canhoto ucraniano em sua linha de cintura, sucumbiu ao solo, cuspiu o protetor e não fez questão de retornar. Terceira defesa de título para Vasyl, que se firma como um dos melhores pugilistas libra-por-libra no cenário mundial, mesmo com apenas seis combates na carreira.

A primeira contenda transmitida ao vivo na noite mostrou o nipônico Ryota Murata (8-0, 5 ko’s) fazendo apresentação abaixo do esperado, mas vencendo o neozenlandês Gunnar Jackson (22-7-3, 8 ko’s), via decisão unânime dos jurados, após 10 assaltos disputados no limite dos pesos-médios. Os scores apontaram 99-91, 98-92, 97-93. O Round13 marcou 99-91 á favor do vencedor.

Letárgico, Murata não parecia o mesmo lutador que venceu Douglas Ataide, e começou em um ritmo bastante lento, ainda que demonstrando sua superioridade técnica. Da metade para frente do embate, irritado com o jogo do oponente, o japonês aumentou a agressividade, mas ainda assim foi pouco efetivo perante o que deveria demonstrar.

O evento teve transmissão do SporTV 2, ao vivo, com comentários de Daniel Fucs.

Provodnikov vence sem problemas

O russo Ruslan Provodnikov (25-4, 18 ko’s) conseguiu passar pelo mexicano Jesus Rodrigues (14-1, 11 ko’s), neste sábado, em Monte Carlo.  O “Rocky Siberiano” venceu sem muitas dificuldades seu oponente, que não apresentou tanta resistência.

Rodrigues, mesmo mais alto, não conseguiu manter-se na distância ideal em nenhum momento da luta, e finalmente foi á lona no quarto assalto após sentir bom punch, e levar uma combinação feroz de Provodnikov. O combate foi encerrado após a segunda queda do pugilista do México, recolocando Ruslan novamente nos trilhos da vitória, 7 meses depois de ter sido derrotado por Lucas Matthysse.

Casca é derrotado nos pontos

O brasileiro Claudionei “Casca” Lacerda (17-13-1, 12 ko’s), perdeu a 11ª luta em onze disputadas no exterior, também na noite deste sábado. Ele perdeu por decisão unânime diante do colombiano Breidis Prescott (29-7, 21 ko’s), após oito rounds disputados em Miami, Florida.

Com marcações em 79-72, 78-73 e 80-71, o ex-campeão brasileiro e latino soma a terceira derrota consecutiva, nas três performances em cima do quadrilátero no ano de 2015.

Comentários