Pós-Luta

Publicado em 22 de Novembro de 2015 às 04h:17

Canelo bate Cotto por pontos; Canelo x GGG em breve?

Foto do autor

Autor Luigi F.


Imagem: Al Bello / Getty Images

Em evento realizado no Mandalay Bay Hotel & Casino em Las Vegas, EUA, o mexicano Saul “Canelo” Alvarez (46-1-1, 32 KOs) venceu o porto-riquenho Miguel Angel Cotto (40-5, 33KOs) por decisão unânime dos juízes, levando para casa o cinturão de campeão mundial dos médios, versão CMB. O show contou com transmissão ao vivo para o Brasil pelo canal Fox Sports.

Como não poderia deixar de ser, a luta começou com estudo por parte dos dois lutadores, com Cotto valendo-se de seu jogo de pernas e sequências velozes, contra um Alvarez bem fechado, e com aparente vantagem física diante do porto-riquenho. Entre os rounds 5 e 6, Cotto conseguiu impor alguma vantagem, utilizando contragolpes e boas sequências diante de Canelo, que apesar de ameaçar conseguir pegar o tempo das entradas dos rivais, viu a efetividade de sua esquiva diminuir um pouco em relação aos giros iniciais.

Após um sétimo round equilibrado, Canelo iniciou o assalto seguinte em ritmo forte, acertando bons golpes diante em Cotto, que mesmo com a ofensiva do mexicano, andou pra frente também buscando a troca de golpes. No nono e décimo assaltos, Alvarez passou a buscar mais a luta, e apesar de Cotto ainda ter sucesso nas esquivas, o porto-riquenho diminuiu um pouco o ritmo da primeira metade do embate. No 11º, Alvarez manteve impondo seu físico. No último round, talvez o melhor da luta, os dois partiram para uma boa troca de golpes. Ao final de 12 assaltos, as papeletas apontaram Canelo o vencedor por 119-109, 118-110 e 117-111. O Round 13 viu Canelo vencendo, mas por uma diferença menor: 115-113, enquanto o comentarista Wilson Baldini Jr marcou 116-112 a favor do mexicano.

Com a vitória, Canelo garantiu o terceiro título mundial na segunda categoria distinta. E ainda em cima do ringue, na entrevista após a luta, aproveitou para dizer que está pronto para uma luta contra o cazaque Gennady “GGG” Golovkin (34-0, 31 KOs), em eventual embate que, se sair do papel, definirá quem é o melhor peso médio da atualidade. Já Cotto, mesmo com o bom nível técnico de sempre, e apesar de ter apresentado um gás até melhor do que o que era esperado antes da disputa, sofre a primeira derrota sob o comando de Freddie Roach no seu córner.

Na principal luta de fundo, o mexicano Francisco “El Bandido” Vargas (23-0-1, 17 KOs) bateu o japonês Takashi Miura (29-3-2, 22 KOs) para se sagrar o novo campeão dos super-penas pelo CMB no melhor combate do evento. Em uma das grandes reviravoltas do boxe nesta temporada de 2015, Vargas chegou a balançar o antigo campeão logo no primeiro assalto. Recuperado, Miura passou a imprimir seu estilo e ritmo, principalmente a partir do terceiro giro, obtendo um knockdown a seu favor no quarto round. Com um corte bem feio no olho direito, Vargas foi aceitando a proposta do rival, que no oitavo assalto obteve excelente sequência no final, quase obtendo outra queda. Tudo indicava que era questão de tempo até Miura finalizar a contenda. Eis que o melhor da luta estava guardado para o nono assalto, quando após bela sequência, “El Bandido” derrubou Takashi. Miura ainda se levantou e tentou voltar à peleja, mas sem conseguir responder aos golpes do rival, acabou forçando o árbitro Tony Weeks a interromper a contenda, aos 1:31 minutos. Aos 30 anos, Fernando Vargas conquista o primeiro título de campeão mundial da carreira.

Em outra preliminar, o astro cubano Guillermo “El Chacal” Rigondeaux (16-0, 10 KOs) bateu o filipino Drian Francisco (28-4-1, 22 KOs) por decisão unânime. Perfeito tecnicamente, com excelente jogo de pernas e sem se expor a risco, Rigondeaux apresentou-se de forma mais econômica que de costume, mas conseguiu vencer sem dificuldades nas papeletas dos juízes, em luta morna. Com scores de 100-90 (duas vezes) e 97-93, o cubano mantém a invencibilidade no boxe profissional. O R13 viu o super-galo cubano vencendo por 100-90. Especula-se que o próximo oponente do “El Chacal” seja o invicto mexicano Rey Vargas (25-0, 20 KOs), em disputa eliminatória dos super-galos pela cinta do CMB.

Na contenda que abriu a transmissão ao vivo para o Brasil, o americano Ronny Rios (25-1, 10 KOs) carimbou o cartel do até então invicto Jayson Velez (23-1-1, 16 KOs), conquistando o boldrié prata do CMB na categoria dos penas. Dominando o centro do ringue durante a maioria da luta, Rios conseguiu impor seu in-fight na maioria dos assaltos, e mesmo com um ponto deduzido por golpes seguidos abaixo da linha da cintura, conseguiu bater o porto-riquenho com uma boa vantagem. A vitória veio na papeleta dos juízes por decisão unânime, com scores de 97-92, 96-93 e 95-94. O R13 marcou 96-93 a favor de Rios.

O evento ainda contou com uma homenagem a Bob Foster, que faleceu neste sábado aos 77 anos. Considerado um dos maiores meio-pesados da história do boxe, Foster obteve cartel de 56 vitórias (com 46 KOs), 8 derrotas e 1 empate  nas 65 lutas como profissional, sendo campeão na categoria entre 1968 e 1974. Com o tradicional tributo de 10 gongos, conhecido como “final ten-count”, o campeão foi relembrado pelo locutor Michael Buffer. À família, os sentimentos da equipe R13. Descanse em paz, campeão.

Vale lembrar que o card ainda teria a disputa do título mundial dos galos, versão FIB, entre o campeão regular Randy “El Matador” Caballero (22-0, 13 KOs) contra o interino Lee Haskins (32-3, 14 KOs). Entretanto, na pesagem ocorrida na sexta-feira, Caballero apareceu 2,3 kg mais pesado do que o limite da categoria, perdendo o título na balança. Com isso, o britânico Haskins, que pesou 117,5 libras, dentro do limite da categoria, nem precisou subir ao ringue para ser considerado o atual campeão regular da entidade. 

Comentários