Pós-Luta

Publicado em 23 de Abril de 2017 às 01h:48

Del perde chance do mundial no segundo round em noite de grande teste para Valdez

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Brasileiro não teve chances contra Jessie Magdaleno e foi derrotado no segundo assalto. Oscar Valdez teve que suar para defender seu cinturão (Imagem: Top Rank)

Em programação ocorrida em Carson, Califórnia, Adeilson “Del” dos Santos (19-3, 15 ko's) não conseguiu tornar-se o quinto homem brasileiro a obter um cinturão mundial. O atleta nacional foi batido por nocaute técnico durante o segundo assalto pelo campeão dos super-galos pela OMB Jessie Magdaleno (25-0, 18 ko's).

Del começou estudando, diferente de Jessie, que já iniciou com tudo e fez o brasileiro sentiro ainda nos minutos iniciais. No segundo assalto, o pugilista tupiniquim foi derrubado duas vezes, até ouvir o árbitro interromper a contenda após a última queda. Com isso, Magdaleno, amplo favorito, defende com êxito seu cinturão pela primeira vez. Já Dos Santos, volta ao Brasil sem a cinta, tendo sido vencido através da via rápida pela segunda vez em sua carreira, ambas, coincidentemente, durante a segunda passagem do combate.

Na principal preliminar, Gilberto “Zurdo” Ramirez (35-0, 24 ko's) encarou o ucraniano Max Bursak (33-5-1, 15 ko's), colocando em jogo seu boldrié OMB dos supermédios. O mexicano, apesar de ter vencido todos os assaltos em nossa visão e na de todos os jurados, deixou a desejar. Talvez o período de um ano inativo tenha pesado, mas, vale ressaltar que, ainda que pudesse ter nocauteado seu contendor se estivesse mais preciso e agressivo, Bursak nunca fora nocauteado como profissional, e assim manteve-se. Vitória de Ramirez nos pontos, mas sem convencer muita gente.

No confronto principal, Oscar Valdez (22-0, 19 ko's) teve pela frente o colombiano Miguel Marriaga (25-2, 21 ko's), adversário mandatório pelo reinado dos pesos-pena da Organização Mundial de Boxe e que fez valer seu status.

Marriaga veio pressionando o jovem oriundo do México, visando tomar-lhe a coroa. A defesa de Valdez, através de seus reflexos que geravam ótimas esquivas, foi fator fundamental para que conseguisse escapar deste ímpeto. O punch do campeão também era maior e seus golpes mais precisos, o que fez a diferença na pontuação de alguns rounds bastante disputados. A movimentação de pernas e tronco de Oscar foi fazendo cada vez mais efeito durante a luta, com Miguel claramente cansado na segunda metade de confronto.

Ainda assim, o atleta da Colombia seguia indo para cima, sabendo que esta poderia ser a sua segunda e última chance mundialista. Em alguns, momentos, como no nono giro, o desafiante conseguia impor seu jogo e complicar o jovem invicto a sua frente. Quando parecia que havia balançado Valdez, um contragolpe de esquerda levou Marriaga à lona no décimo intervalo. Mesmo vendo seu oposto vencer a contagem, o mexicano foi para cima sentindo o “cheiro de sangue” deixado pelo knockdown. Só que sua estafa também já era evidente e a sequência não veio da forma ideal.

Sabendo que não estava nada fácil, incentivado por seu córner, Valdez entrou nos últimos três minutos para vencer, enquanto Marriaga tentou até o fim. Ao soar final do gongo, meu placar era de 117-110 para o atual detentor do título. Daniel Fucs, comentando pelo SporTV, também viu sua vitória, por 116-111. Os árbitros, por sua vez, enxergaram a contenda em 119-108, 116-111 e 118-109, confirmando o êxito já esperado.

Vitória de Oscar por decisão unânime em grande marco para seu prosseguimento. O colombiano foi um duríssimo adversário, e importante para o futuro do pupilo da Top Rank que transpassa seu teste mais duro até hoje.

O SporTV3 transmitiu as duas lutas principais, ao vivo, para o Brasil, e o combate entre Del e Magdaleno, em delay.

 

Comentários