Pós-Luta

Publicado em 20 de Dezembro de 2015 às 03h:00

Em belo combate, Ortiz vence Jennings

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Imagem: BoxingScene/Reynaldo Sanchez

Em um embate de boa qualidade, tático e bem movimentado, o cubano Luis Ortiz (24-0, 21 KOs) defendeu sua cinta de interina dos pesados pela AMB diante do estadunidense Bryant Jennings (19-2, 10 KOs), este sábado, na cidade de Verona, no estado de Nova York, EUA. Mais interessante do que qualquer título alfabético em jogo, estava o futuro de um possível bom nome para desafiar os principais lutadores da categoria, e este nome surgiu, entregando uma belíssima performance.

Logo no primeiro round, Ortiz partiu com tudo para cima do desafiante, e com um golpe no corpo, o fez sentir e frear quaisquer ações. O cubano então encaixou combinações e fez Jennings segurar-se para conseguir ouvir o gongo. O americano voltou melhor na passagem seguinte, acertando punches limpos, e levando a luta para o “in fight”, o que claramente lhe era mais vantajoso.

Ortiz iniciou a terceira rodada em uma distância maior e melhor para si, chegando a encaixar, desta forma, um espetacular contragolpe de esquerda que quase levou Bryant á tocar o tablado. Para manter-se sem sofrer o knockdown, o desafiante voltou a ir para o corpo-a-corpo, sobrevivendo desta forma e iniciando o 4º assalto tentando fazer o mesmo.

Para continuar mais longe de seu adversário, o campeão passou a dançar e se movimentar mais no quinto giro, o que permitiu que acertasse alguns socos mais limpos, principalmente os uppers de esquerda. E foi este mesmo golpe que decidiu a contenda, na sétima passagem. Em um momento em que o desafiante ia ligeiramente melhor, o uppercut derrubou Jennings, que apesar de ter se levantado, sucumbiu á sequência aplicada pelo cubano, obrigando o árbitro á encerrar a luta.

Com isso, mais importante do que defender o cinturão interino que possui e não vale nada, Luis Ortiz provou que é um nome á ser considerado fortemente dentro da categoria máxima. Ele simplesmente destruiu um lutador que, há oito meses, levou Wladimir Klitschko até o fim dos 12 rounds e deu certo trabalho ao agora ex-rei indiscutível dos pesados.

Resta esperar se terá a oportunidade de combater Tyson Fury, ou Deontay Wilder, em 2016, para que tenha oportunidade de tornar-se, realmente, campeão do mundo.

A principal preliminar não foi o que o jamaicano Nicholas “Axe Man” Walters (26-0-1, 21 KOs) , esperava. Não lutando da forma hábil costumeira, não arrancou menos do que um empate contra o americano Jason Sosa (18-1-4, 14 KOs) em sua estreia na categoria dos super-penas.

Apesar dos pesares para Walters, as duas papeletas em 95-95 e a terceira em 96-94 á favor de Sosa, foram, no mínimo, estranhas. O Round13 marcou 98-92 para Walters, bastante distante do combate visto pelos jurados,

O cubano “El Ciclón de Guantánamo” Yuriorkis Gamboa (25-1, 17 KOs) retornou aos ringues com vitória sobre o americano Hylon Williams Jr (16-2-1, 3 KOs), por pontos, de forma unânime, em combate no limite dos leves, compactuado para 10 rodadas. Com marcações em 98-92 (duas vezes) e 96-94, Gamboa conseguiu, portanto, obter bom êxito após mais de um ano de inatividade.

Já o ganês Joshua Clottey (39-5, 22 KOs) não teve a mesma sorte diante do sempre perigoso, Gabriel Rosado (22-9, 13 KOs), em luta disputada nos pesos-médios. Clottey foi superado de forma unânime após dez intervalos de 3 minutos, com scores de 97-93 (duas vezes) e 96-94.

A programação foi transmitida, ao vivo, pela Fox Sports, com comentários de Wilson Baldini Jr.

Lee é derrotado após duas quedas

Andy Lee (34-3-1, 24 ko’s) não é mais o campeão OMB dos médios. Ele acabou derrotado por Billy Joe Saunders (23-0, 12 ko’s) via decisão majoritária nesta noite de sábado, em Manchester, Inglaterra.

Saunders levou Lee ao solo em duas oportunidades durante o terceiro assalto, mas não conseguiu finalizar o combate, que acabou tornando-se mais tático com o passar do enfrentamento. Mesmo com a melhora notável na atuação de Andy nos rounds finais, ele não conseguiu evitar a derrota, que veio através das marcações em 113-113, 115-111 e 114-112.

Na principal preliminar do evento, o invicto Liam Smith (22-0-1, 12 ko’s) manteve seu título dos médios-ligeiros pela Organização Mundial de Boxe ao nocautear Jimmy Kilrain Kelly (16-1, 7 ko’s), durante a sétima passagem. Após apanhar em boa parte dos momentos, o corner de Kelly (que apelou para cabeçadas ilegais e teve pontos deduzidos no sexto giro), decidiu que era melhor jogar a toalha e preservar seu atleta. Com isso Smith defende pela primeira vez seu cinturão e continua, portanto, sendo o principal alvo do brasileiro Patrick Teixeira, rankeado em 4º pela OMB, nesta categoria.

Comentários