Pós-Luta

Publicado em 17 de Setembro de 2017 às 01h:14

Em combate ESPETACULAR, GGG e Canelo empatam!

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Com cada jurado vendo um resultado, cazaque e mexicano deixaram o público mais do que satisfeito com o que viram nesta noite na T-Mobile Arena, em Las Vegas. A luta do ano se concretizou, e deve ser a revanche mais aguardada de 2018. (Imagem: Golden Boy Promotions)

Saul “Canelo” Alvarez (49-1-2, 34 ko's) e Gennady “GGG” Golovkin (37-0-1, 33 ko's) não deixaram ninguém insatisfeito com a entrega e qualidade técnica e tática que demonstraram nesta noite de sábado na T-Mobile Arena, em Las Vegas, Nevada, pelos títulos CMB, AMB e FIB dos pesos-médios. Ao final dos doze assaltos, os cinturões seguiram com Golovkin após ser decretado o empate.

O confronto começou com Canelo se movimentando e GGG indo à caça. O mexicano aplicou bons contragolpes e se esquivou muito bem. Alvarez seguiu mais veloz e acertou mais no segundo assalto, ainda que sem tanta precisão. Era claro que o cazaque lutava por um golpe certeiro, naquele momento.

Golovkin pareceu encontrar melhor a distância no terceiro giro. Ainda assim, teve problemas ao evitar os contra-ataques. O mesmo se manteve na quarta passagem, com Saul menos ativo, no entanto. Gennady finalmente acertou um direto claro durante o quinto intervalo e dominou as ações naquele período.

Canelo aplicou dois bons uppers no sexto round, mas GGG impôs maior volume. No sétimo, tanto a confiança do mexicano, como seu gás, parecem ter diminuído, e o atleta do Cazaquistão se aproveitou disso. Apesar deste fato, no período subsequente, Alvarez conseguiu ser mais preciso. No nono, mais uma vez o caçador foi Golovkin, com Saul conectando belos punches nas brechas deixadas por ele. O décimo assalto foi o melhor, até então, com trocas francas de golpes, levantando o público. Gennady foi com tudo novamente e levou o décimo primeiro. E ambos sabendo que precisavam levar a melhor nos últimos três minutos, deram tudo de si, e terminaram deixando todos de pé dentro da arena.

Pontuei o combate, round a round, acompanhado virtualmente de meus companheiros Denis e Luigi, do Round13, além de Daniel Fucs, árbitro e comentarista do SporTV. Ainda que com discordâncias em relação à alguns assaltos, coincidentemente, ou não, todos nós apontamos 114-114 ao final do confronto. Ou seja, claramente, as pessoas poderiam ter visto, literalmente, qualquer resultado. Os jurados demonstraram isso ao marcarem,118-110 para Canelo (A jurada Adelaide Byrd, provavelmente não viu a luta), 115-113 para Golovkin e114-114, empate.

Independente do que se pense a respeito do resultado, e de muitíssimo provável revanche, a que se reconhecer que qualquer vencedor seria plausível. Mas o maior vencedor, sem dúvidas, foi o boxe!

Na principal preliminar, Joseph”Jojo” Diaz (25-0, 13 ko's) venceu Rafael Rivera (25-1-2, 16 ko's) após castigá-lo durante doze rodadas seguidas para garantir o êxito em todas as papeletas dos jurados com marcações em 119-109 (duas vezes) e 120-108. Diaz é agora desafiante mandatório pelo título dos penas do CMB, diante do campeão Garry Russel Jr.

Em outra semifinal, Diego De La Hoya (20-0, 9 ko's) sobrou e venceu por decisão unânime o então invicto Randy Caballero (24-1, 14 ko's) na abertura da transmissão para o Brasil. Com velocidade e boas combinações, não deu chances ao adversário e garantiu os cinturões norte-americanos NABF e NABO dos super-galos com marcações dos jurados em 100-90 e 98-92 (duas vezes).

Saunders vence por decisão unânime

Em evento realizado na Copper Box Arena, em Hackney Wick, Londres, Billy Joe Saunders (25-0, 12 ko's) manteve seu cinturão OMB dos médios – única porção do título mundial da categoria que não estava em jogo no confronto entre Canelo e GGG – diante do norte-americano Willie Monroe Jr. (21-3, 6 ko's).

O britânico manteve-se mais ativo, e apesar da melhora de Monroe no final do combate, não foi suficiente para suplantar Saunders nos pontos. Após os doze assaltos completados, as marcações ficaram em 117-111, 117-112 e 115-114, caracterizando uma decisão unânime em favor do detentor da coroa da Organização Mundial de Boxe.

Nas preliminares, Anthony Yarde (13-0, 12 ko's) obrigou a desistência de Norbert Nemesapati (25-7, 18 ko's) ao final do terceiro round e defendeu seu cinto Europeu da Organização Mundial de Boxe. Daniel Dubois (5-0, 5 ko's) não teve nenhum trabalho para bater Aj Carter (8-4, 6 ko's) com menos de um minuto de peleja decorrido e manteve seu percentual 100% vitorioso pela via rápida.

Comentários