Pós-Luta

Publicado em 28 de Janeiro de 2018 às 03h:20

Em noite de manutenção do título de Linares, Matthysse é, finalmente, campeão!

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Na Califórnia, Lucas Matthysse finalmente alçou ao cetro mundialista, e por nocaute, enquanto Jorge Linares venceu por pontos. Em Praia Grande, Pitbull torna-se campeão e na Letônia, Usyk vence e vai à final  (Imagem: Golden Boy Promotions/Montagem R13)

No Forum, em Inglewood, Califórnia, o argentino Lucas Matthysse (39-4, 36 ko's) e o tailandês Tewa Kiram (38-1, 28 ko's) fizeram a principal luta da noite, valendo o cinturão regular vago da AMB nos meio-médios. A contenda coroou o primeiro cetro mundialista do primeiro, aos 35 anos, após três tentativas e um interinato.

Ficou claro desde o primeiro minuto que Kiram usaria seu maior trunfo, a envergadura, para tentar levar vantagem e foi o que passou a fazer com seu jab. Matthysse tinha claras dificuldades para se aproximar do tailandês nos momentos iniciais, melhorando somente na segunda metade do assalto seguinte.

O argentino, superior tecnicamente, era mais preciso, porém com menos atividade do que deveria até o final do terceiro round, corringindo na passagem seguinte. No quinto, as ações se reequilibraram, mais por demérito de ambos do que por alguma qualidade diferente demonstrada. No sexto, Lucas conseguiu vantagem um pouco mais clara e no sétimo conseguiu estabelecê-la.

Logo no início do oitavo assalto, Matthysse acertou o timing e aplicou belo jab-direto, derrubando Kiram, que retornou do chão, mas voltou a beijar a lona pouco tempo depois, decretando, finalmente, a primeira conquista de cinturão mundial para o boxeador da Argentina, em sua terceira tentativa.

Na principal preliminar da noite, Jorge Linares (44-3, 27 ko's) colocou em jogo sua coroa AMB dos leves diante do filipino Mercito Gesta (31-2-2, 17 ko's) e retornou para casa ainda com ela após vitória via decisão unânime.

Elétrico, Gesta começou melhor, mais rápido, acertando bons punches no primeiro round. A luta ficou mais franca, e equilibrada, no segundo. Linares passou a ser mais preciso no terceiro, preparando com o jab e conectando com os diretos.

O desafiante veio mais ativo para o quarto período, perdendo o ímpeto ao final dos três minutos. O mesmo ocorreu no quinto. Percebendo a ligeira desvantagem, Mercito iniciou a sexta passagem com maior volume, mas a técnica do campeão conseguiu segurar boa parte da tempestade. A habilidade do venezuelano já se mostrava demais para o desafiante logo no início da segunda metade de confronto.

Gesta pareceu ganhar novo fôlego no oitavo giro, levando a mesma motivação ao nono. No décimo, porém, Linares voltou a mostrar toda sua classe. Os dois últimos intervalos mostraram um cansaço exacerbado do contendor em alguns momentos, o que atrapalhou qualquer tipo de reação.

Ao final, com marcações em 118-110 (duas vezes) e 117-111, Jorge Linares venceu o confronto. Em nossa visão, 117-111, também para o vencedor. O pugilista da Venezuela, radicado no Japão, pode ter não só mantida sua cinta, como também colocado-se no caminho de Vasyl Lomachenko, que deve subir aos pesos leves na sequência.

O evento foi levado ao ar, ao vivo, para o Brasil, através do SporTV2.

Usyk vence e vai à final do WBSS

O ucraniano Oleksandr Usyk (14-0, 11 ko's) não teve vida fácil, mas suplantou Mairis Briedis (23-1, 18 ko's), na Letônia, casa do adversário, para unificar os cinturões OMB e CMB dos cruzadores, além de garantir vaga para a final do World Boxing Super Series na categoria.

Usyk venceu nos pontos, via decisão majoritária, com marcações em 115-113 (duas vezes) e 114-114. Agora o novo campeão unificado aguarda o confronto entre o cubano Yunier Dorticos (22-0, 21 ko's) e o russo Murat Gassiev (25-0, 18 ko's), que acontece na Rússia, na próxima semana, para conhecer seu adversário na final do torneio, que ocorrerá em 11 de Maio, na Arábia Saudita. Dorticos-Gassiev valerá a junção dos cetros FIB, do primeiro, com o AMB, do segundo, tornando, por consequência, o vencedor do WBSS no rei indiscutível da categoria até 90 kg.

Pitbull vence e se torna campeão brasileiro.

Revelação do boxe brasileiro em 2017, Carlos Henrique “Pitbull” (7-0, 6 ko's) já começou 2018 com grande êxito. Ele suplantou o experiente Emerson “The Winner” Carvalho (14-6-1. 12 ko's) no segundo round do confronto realizado na arena montada na praia do Boqueirão, em Praia Grande, litoral de São Paulo, para garantir o título brasileiro CNB dos pesos-galos, que estava vago.

Pitbull começou cauteloso, jogando à distância e sendo mais ofensivo no corpo, neutralizando as investidas de Carvalho que tentava encurtar o jogo ao soltar cruzados com violência. Na metade da segunda passagem, um cruzado de esquerda à altura do fígado, de encontro, fez com que Emerson caísse e não conseguisse levantar-se antes da contagem dos 10 segundos. Na realidade, o lutador paulista ainda ficou no solo durante mais algum tempo.

O carioca radicado na baixada santista não só manteve sua invencibilidade como venceu o adversário de melhor recorde em seu cartel, até então, de forma bastante contundente. Carlos Henrique deve retornar aos tablados entre Março e Abril.

Quem também impressionou foi o leve Jonathan Cardoso (3-0, 3 ko's). Após passar o primeiro minuto estudando Rafael Moraes (3-4, 2 ko's), que mostrava iniciativa, Cardoso partiu com tudo para encurralar e definir o confronto, principalmente com raivosas investidas no tronco de seu oposto. Deu resultado. Moraes, após sobreviver de pé o primeiro giro, não retornou para o segundo, perdendo por desistência e mantendo o jovem da International Boxing Group, invicto e com 100% de seus êxitos sendo computados pela via rápida.

O evento, que contou com três combates amadores entre pugilistas das categorias infantil e cadete do Coliseu Boxe Center, teve transmissão do Round13 através do YouTube e foi uma realização da Memorial Necrópole Ecumênica em parceria com a Prefeitura Municipal de Praia Grande. A supervisão ficou por conta do Conselho Nacional de Boxe.

Fight Club III é adiado.

Evento anunciado para a última sexta-feira, no Sindicato dos Trabalhadores Portuários, em Santos, acabou sendo cancelado por problemas no ringue. O equipamento não estava adequado à prática esportiva e a programação acabou transferida para o dia 17 de Fevereiro.

Comentários