Pós-Luta

Publicado em 24 de Abril de 2016 às 00h:38

Golovkin e “Chocolatito” Gonzalez fazem o esperado e vencem seus combates

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Tidos como o topo atual do esporte, mesmo vencendo, fica clara a necessidade de ambos terem testes ainda maiores daqui para frente. (Imagem: AFP/Getty Images)

Em programação ocorrida neste sábado á noite, no The Forum em Inglewood, Califórnia, o melhor peso médio da atualidade, Gennady Golovkin (35-0, 32 KOs), defendeu seus cinturões da AMB, FIB e CMB (interino) diante do estadunidense Dominic Wade (18-1, 12 KOs), nocauteando-o, conforme o esperado, no segundo assalto.

Como sempre “GGG” fez o básico, mas muito bem feito. Cortou o ringue, exerceu pressão sensacional sobre o oponente, acertou golpes precisos e firmes e jogou com a guarda simples, porém eficaz. Não demorou a Wade sentir isso e ir ao solo ainda no final do primeiro round. O americano caiu após sofrer golpe de direita no topo lateral da cabeça. Apesar de conseguir voltar para o giro seguinte, estava claro que o desafiante não era desafio algum para Golovkin, que massacrou e terminou o serviço após derrubar Dominic duas vezes.

Ao passo que demonstrou a força de sempre, fica cada vez mais claro que Gennady merece desafios maiores e já passou da hora de consegui-los. Não só ele é merecedor de ter a oportunidade de provar seu poder de fogo diante de uma oposição á altura, como os fãs do boxe merecem ver este espetáculo!

Na principal preliminar do evento, o nicaraguense Roman “Chocolatito” Gonzalez (45-0, 38 KOs) defendeu com sucesso, pela quarta vez, seu título de campeão mundial dos moscas do CMB diante do porto-riquenho McWilliams Arroyo (16-3, 14 KOs), que falhou no seu segundo intento de tornar-se monarca por uma das grandes entidades regentes do pugilismo. Apesar de dominar, Gonzalez acabou sendo exposto em certos momentos, devido á resiliência e coragem de seu oponente.

Pode-se dizer que McWilliams não obteve sucesso na luta, mas sim em encontrar algumas brechas no jogo de Chocolatito que, apesar da vitória por decisão unânime com scores amplos em 119-09 (duas vezes) e 120-108, talvez tenha saído com seu nome mais enfraquecido na corrida pelo posto de “poundo-for-pound” deixado por Floyd Mayweather Jr. afinal, bem como Golovkin, muito se questiona a qualidade da maioria de seus adversários.

No caso do cazaque, são negociações que falharam. Já o atleta da Nicarágua tem outro problema mais complicado: Sua categoria de peso, que não tem tantos nomes reconhecidos pelos aficionados ao redor do mundo, em especial, nos Estados Unidos.

Absurdamente, nenhum das emissoras brasileiras teve respeito suficiente pela Nobre Arte para dignar-se á transmitir este evento. Aprofundaremos-nos neste assunto muito em breve.

Comentários