Pós-Luta

Publicado em 15 de Janeiro de 2017 às 03h:06

Jack e DeGale empatam em grande confronto! Nas preliminares, Gervonta Davis brilha; No Guarujá, Biro vence

Foto do autor

Autor Daniel Leal


James DeGale e Badou Jack fazem espetacular confronto e empatam na disputa unificatória dos cinturões do CMB e da FIB nos super-médios. O super-pena americano Gervonta Davis deu show conquistando seu primeiro título mundial ao vencer por nocaute nas preliminares. No Guarujá, Aélio “Biro” Mesquita nocauteou e manteve o boldrié dos penas pela Confederação Brasileira de Boxe Profissional. Alex “Careca” Duarte, que deveria lutar, não se apresentou devido à falhas do adversário. (Imagem: BoxingScene)

E 2017 já tem uma candidata a “Luta do Ano”. O sueco Badou Jack (20-1-3, 12 ko's) e o inglês James DeGale (23-1-1, 14 ko's) protagonizaram um grande espetáculo no Barclays Center, em Nova Iorque, neste sábado, daqueles para ficarem marcados na memória dos fãs durante muito tempo. O resultado de empate majoritário pode ser frustrante em certo ponto, mas não tirou o brilho da performance dos dois pugilistas.

A disputa começou truncada e afobada por parte de ambos no primeiro round. Em meio a uma passada, Jack tomou boa esquerda que o levou à lona. Rapidamente levantou-se mostrando que o golpe foi mais desequilibrador do que potente, mas, ainda assim, DeGale já marcara ali um knockdown a seu favor. Com mais iniciativa e assertividade, o britânico conseguiu manter a vantagem durante a passagem seguinte.

James estava mais empolgado e trabalhando com maior variação. Jack, por sua vez, aguardava mais e isso lhe dava desvantagem, pelo menos até o terceiro assalto. Badou foi mais preciso e incisivo no quarto. No quinto assalto, o campeão do CMB mostrava mais precisão, enquanto o monarca da FIB, mais volume, com muitos punches desperdiçados na guarda oposta.

Tentando continuar com a inciativa, o inglês foi para cima no sexto giro, mas foi pego pelo sueco, sentiu um soco no corpo e teve de se resguardar. Nos segundos finais ainda conseguiu trocar no centro do tablado, levantando o público do Barclays Center. O momentum era de Jack, pois DeGale, sempre no outside, já demonstrava algum cansaço e imprecisão causada pelo mesmo.

Sabendo que ainda estava atrás nos pontos, Badou não economizou na potência de seus golpes durante a oitava rodada, fazendo seu oponente sangrar e cuspir o protetor bucal. Uma nova queda no combate esteve próxima de acontecer. James tentou modificar o cenário na nona passagem, mas a falta de fôlego o impedia de ter um melhor resultado, em determinado momento chegando, novamente, a deixar seu protetor de boca ir ao solo, em uma clara tentativa de puxar mais ar.

Ambos os boxeadores acertaram bem durante o décimo round e também no décimo primeiro, dificultando a vida dos jurados. O intervalo derradeiro foi eletrizante e decidiria o confronto que estava, em nossa marcação, rigorosamente empatado. Jack levou DeGale a lona e quase conseguiu o nocaute. Valente, o britânico fez seu opositor sentir durante os últimos dez segundos. Estava finalizado o primeiro grande embate de 2017.

Em nossa marcação, Badou vencera por 114-112. Para os jurados, 114-112 DeGale e um duplo 113-113, caracterizavam um empate. Os dois mantém os cinturões, Jack segue campeão pelo CMB e James como o da FIB. Não se pode, na nossa visão, chamar o resultado dos juízes como um roubo, dado que alguns assaltos tiveram uma marcação difícil. Ambos os atletas acharam que a vitória lhes pertencia ao final do combate e sem dúvidas uma revanche não só é necessária, como os fãs irão demandá-la.

De qualquer forma, tanto o pugilista da Suécia, como seu colega da Inglaterra teriam seus nomes muito valorizados, independente do braço que fosse levantado. Mais uma contenda maravilhosa para a história do boxe.

E a nobre arte segue mais viva do que nunca!

Confirmando a afimração acima e quase roubando a cena na noite, o americano Gervonta Davis (17-0, 16 ko's), de 22 anos de idade, abriu a transmissão brasileira suplantando Jose Pedraza (22-1, 12 ko's), de Porto Rico, por nocaute no sétimo round, tirando de Pedraza não só a invencibilidade, como o cinturão dos super-penas pela FIB.

Dotado de uma virtuosidade notável, Davis brincou com seu oponente e em um show de esquivas e contragolpes, demonstrou que tem muito do talento de seu tutor e promotor, Floyd Mayweather Jr. Lidou bem com todas as adversidades que Jose tentou impor-lhe com uma tranquilidade que não é compatível com sua jovialidade e devolveu-as com ainda mais força. Durante o sétimo giro, fez o então campeão sentir golpes no corpo e recuar junto ao córner, para então aplicar um devastador cruzado de direita. Pedraza caiu, mas levantou-se mal, sendo impedido de prosseguir.

Vitória impressionante e que coloca Davis como o segundo mais jovem detentor de um cetro mundialista na atualidade, além de automaticamente elevá-lo a posição de um dos maiores prospectos da nobre arte atualmente.

O evento foi transmitido, ao vivo, para o Brasil, pela Fox Sports.

Biro vence e Careca não luta

No Guarujá também houve boxe profissional na noite de hoje. O que era para ser a festa de dois atletas locais ficou a cargo apenas de um. Aélio “Biro” Mesquita (15-0, 12 ko's) tornou-se o primeiro brasileiro a suplantar o compatriota Cid Edson Bispo (19-7, 15 ko's) e defendeu o cinturão dos penas pela CBBP, por nocaute técnico, após impor a quarta queda a seu desafiante durante o terceiro round.

Bispo nunca havia perdido em solo nacional e não conseguiu reconquistar o cinturão em uma categoria em que já deteve duas versões do mesmo. Biro, por sua vez, fez a alegria da plateia em sua casa, manteve o boldrié que lhe pertencia e mostrou muita vontade. Se mantiver consistência, algo que é um problema para ele que costuma ser ótimo em uma luta e apresentar-se um pouco abaixo em outra, pode já sonhar com títulos latinos e sul-americanos em um futuro bastante próximo.

Alex Sandro Duarte, o “Careca” (9-0-1, 7 ko's) bateu o peso e estava pronto para o combate diante de Joselito dos Santos, o “Tatuado” (19-11, 18 ko's), na que seria sua primeira defesa de cinturão da CBBP na divisão dos médios-ligeiros. Acontece que Dos Santos não fez questão de bater o peso no dia anterior, e na noite da contenda não levou os exames necessários (HIV, Hepatite e Sífilis, possíveis de serem realizados através do SUS). Com isso, estragou a programação e não pôde subir ao ringue.

Muito se fala em falta de seriedade de empresários e dirigentes no Brasil, mas na realidade isso é um problema de todo o nosso boxe. A atitude de “Tatuado” demonstra isso. As obrigações do lutador não são apenas estar pronto para o confronto na noite marcada e ele deve cumprir todas elas para poder fazer seu trabalho em segurança.

O evento que contou com mais 4 lutas, aconteceu no Ginásio do Villa Souza. Confira imagens de Biro vs. Bispo logo abaixo:

Comentários