Pós-Luta

Publicado em 26 de Novembro de 2017 às 03h:19

Kovalev vence Shabranskyy por nocaute técnico!

Foto do autor

Autor Daniel Leal

“The Krusher” teve pouco trabalho para tornar-se campeão mundial dos meio-pesados pela terceira vez, nesta noite, no Madison Square Garden. (Imagem: Will Hart/HBO)

Na noitada realizada a pouco nesta madrugada, no Madison Square Garden Theater, em Nova Iorque, o russo Sergey Kovalev (31-2-1, 27 ko's) e o ucraniano Vyacheslav Shabranskyy (19-2, 16 ko's) pelejaram pelo título OMB dos meio-pesados, vago após a aposentadoria de Andre Ward com vitória fulminante do primeiro por nocaute técnico no segundo round.

Parecia que tudo acabaria logo no assalto inicial, após Kovalev levar Shabranskyy à lona duas vezes, com dois overhands de direita. Este mesmo golpe seguiu entrando como Sergey bem entendeu durante a segunda passagem, levando o valente lutador da Ucrânia novamente a tocar o solo após a entrada da direita ter aberto espaço para uma rápida e firme combinação. Mesmo de pé, Vyacheslav não estava bem e foi castigado até ser jogado nas cordas sem defesa, obrigando o árbitro Harvey Doc a interromper o confronto, decretando que Sergey Kovalev agora é tricampeão do Mundo nos 79,4 kg.

Um excelente retorno após as duas derrotas diante de Ward, no entanto, é bom lembrarmos que seu oponente na data de hoje não pertence a nata da nobre arte. Será interessante ver o prodígio da Rússia frente a Badou Jack, detentor atual da cinta AMB, por exemplo. A disputa que todos querem assistir, entretanto, segue sendo a unificação contra Adonis Stevenson, monarca do CMB, com quem há anos troca farpas.

Na principal preliminar, em uma luta pouco técnica e muitas vezes, suja, porém, emocionante de certa forma, Sullivan Barrera (21-1, 14 ko's), de Cuba, não encontrou vida fácil contra Felix Valera (15-2, 13 ko's), da República Dominicana, e precisou ir até o décimo e último round, vencendo nos pontos por 98-88, 97-88 e 97-89. Com dois knockdowns, um para cada lado, logo no primeiro giro, parecia que a principal preliminar da noite seria explosiva. Passou rápido a uma briga de rua, com quatro pontos descontados (três de Valera e um de Barrera) devido a golpes baixos.

Diante de um oponente de estilo inusitado, Sullivan conseguiu sobressair principalmente na curta distância, mas teve muito mais problemas do que gostaria. Vale lembrar que o cubano estaria duelando com Kovalev na contenda de fundo pelo título mundial, não tivesse recusado a bolsa proposta.

Yuriorkis Gamboa (28-2, 17 ko's) voltou a vencer após passar por Jason Sosa (20-3-4, 15 ko's) via decisão majoritária nos pesos-leves. Após cair no sétimo round e ter um ponto descontado no nono, Gamboa ouviu o veredito favorável em 96-92, 95-93 e 94-94. Em nossa visão, no entanto, Sosa levou a melhor com 95-93. Para Harold Ledderman, comentarista da HBO, a diferença em favor de Jason foi ainda maior: 97-91, talvez um exagero, dado equilíbrio truncado de alguns rounds. Ainda assim, os scores empatado ou com vantagem de 2 pontos para Yuriorkis podem até ter explicação, o terceiro placar dos jurados, não.

Aos 35 anos, está é a segunda vitória seguida do ex-campeão unificado dos penas e novamente vence sem convencer ninguém após o vexame de Maio contra Robinson Castellanos, quando foi ao solo duas vezes e desisitiu no sétimo giro. Talvez esteja chegando o final da linha para o cubano.

O evento não teve transmissão para o Brasil.

Comentários