Pós-Luta

Publicado em 05 de Junho de 2016 às 00h:31

Lino vence Zumbano por decisão unânime e se aposenta em ótima exibição

Foto do autor

Autor Daniel L. & Luigi F.


Imagem: Round13

No combate mais esperado dos últimos anos na categoria máxima da nobre arte no cenário brasileiro, Laudelino Barros, o “Lino” (39-3, 31 KOs) venceu Raphael Zumbano “Love” (38-13-1, 31 KOs) por decisão unânime. A luta foi válida pelos cinturões de campeão brasileiro dos pesados pela Confederação Brasileira de Boxe Profissional e pelo Conselho Nacional de Boxe, além do boldrié intercontinental pela Federação Universal de Boxe, entidade que não faz parte do grupo dos quatro principais organismos que regem o esporte a nível mundial. O evento aconteceu no Ginásio José Liberatti, em Osasco, São Paulo.

A luta começou estudada, com um primeiro round muito próximo de um empate, visto a pouca ocorrência de eventos relevantes. No segundo, Lino começou a se soltar, e acertou os melhores golpes, bem como no terceiro. Zumbano aguardava os ataques do rival, e apesar de conseguir bloquear alguns socos com sua guarda, pouco fez diante da maior atividade de seu oponente.

No quarto assalto, o melhor até aquele ponto do embate, Lino estava melhor, até Zumbano encaixar um bom golpe e pressionar o adversario nas cordas. Entretanto, Raphael não conseguiu manter a pressão, e Lino acabou retomando a vantagem na segunda metade do giro. Do quinto ao sétimo, a luta voltou a esfriar um pouco, tendo desfechos parecidos aos rounds 2 e 3.

No oitavo e nono rounds, Laudelino manteve a superioridade, soltando os melhores golpes. Mesmo com muitos golpes parando em sua guarda, além de mostrar uma boa assimilação de golpes, Zumbano pouco conseguiu fazer. No último, Zumbano tentou esboçar que conseguiria pressionar o rival, mas durou pouco, e no final acabou encurralado.

Ao soar do gongo final, os rivais se abraçaram e mostraram respeito um pelo outro, mostrando que todas as provocações pré-luta tinham ficado pra trás. Numa luta tão aguardada entre dois atletas relevantes do cenário nacional, um desfecho justo. E ao término dos 10 assaltos, vitória de Laudelino por 100-90, 99-91 e 99-91. O Round13 viu Barros vencendo por 99-91.

“Queria agradecer ao Zumbano pela luta que ele me ofereceu. Nunca ninguém me xingou tanto na vida quanto esse garoto, que eu conheço desde novo. Treinei muito e me preparei muito. Agradeço a todos que vieram. Esta foi minha última luta. Prometi em casa que nunca mais subiria num ringue para lutar, meu corpo não é mais o mesmo. Briguei muito com meus treinadores pra me preparar, e agora é o momento certo de parar”, declarou Lino ao final do confronto.

“Obrigado pela presença de todos. Sempre falei em todas as redes sociais que não gostava do Lino, mas que respeitava ele como atleta. Um cara que representou o nosso país no amador. Ele estava parado, mas não lutei com nenhum morto. Ele merece respeito, merece o aplauso de vocês e ele venceu pois foi o melhor hoje. Lutei querendo arrancar a cabeça dele hoje, mas não consegui”, declarou Zumbano.

Na última semifinal da programação, o cinquentão brasileiro Hairton “Dr. Frankestein” Campos (9-1-1, 6 KOs) venceu o quarentão argentino Dario Ruben Rocha (7-8-4, 6 KOs), após o hermano ser desclassificado por excesso de clinches no terceiro round. O final da disputa acabou comemorado pela torcida local, que já estava reclamando sobre a falta de movimentação do combate, que acabou sendo o pior embate da noite do ponto de vista técnico.

Já Tomaz Freitas (2-0-1, 1 KO) venceu o raçudo Everton Junior no melhor duelo preliminar, por decisão unânime após 4 assaltos, com triplo 40-36 a seu favor. Na visão do Round13, Freitas venceu por 39-37.

No segundo combate profissional do evento, Jânio Carvalho venceu David vitoriano por nocaute no primeiro assalto.

Na preliminar que abriu as disputas profissionais, Tiago do Carmo (14-1, 12 KOs) obteve vitória por nocaute técnico no terceiro assalto sobre Gabriel Alves (Boxrec: 0-2). Depois de derrubar o adversário por duas vezes, uma em cada round, Tiago venceu no terceiro após paralisação do combate.

O evento, organizado pela Mike Promotion Boxing, teve ainda quatro combates de boxe olímpico. O destaque, na nossa opinião, foi a vitória de Jonhatan Soares sobre Emerson Junior. Em luta que começou equilibrada, o promissor atleta do Coliseu Boxe Center conseguiu se impor nos últimos dois rounds, mostrando bom repertório e vencendo por pontos numa boa exibição. 

Comentários