Pós-Luta

Publicado em 06 de Março de 2016 às 01h:35

Ortiz faz o esperado e despacha Thompson; Vargas arrebata cinta OMB nas preliminares

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Cubano teve pouco trabalho para nocautear o norte-americano, mas a preliminar principal é que foi a luta da noite.
(Imagem: Ed Mulholland/HBO Boxing)

Na noite deste sábado, dentro do DC Armory, em Washington, EUA, Luis Ortiz (25-0, 22 ko’s), campeão interino dos pesados pela AMB, fez o que se esperava ao bater Tony Thompson (40-7, 27 ko’s), chamado as pressas para o combate não válido pelo título do cubano.  Ortiz venceu por nocaute no 6º assalto, despachando o norte-americano e abrindo caminho para sua continuidade no torneio da categoria máxima, promovido pela Associação Mundial de Boxe. Ele deve encarar Alexander Ustinov, provavelmente em Maio.

O canhoto da ilha caribenha começou mostrando seu arsenal ao levar o atleta do corner oposto á lona logo no primeiro assalto, em espetacular lead de esquerda. Thompson se levantou e conseguiu sobreviver o último minuto restante na rodada.  Idem ocorreu no exato momento do soar do gongo após grande overhand de canhota, e novamente o estadunidense conseguiu voltar ao combate.

Nova bomba de esquerda sobre o jab de Tony durante a sexta passagem foi o suficiente para que, dessa vez, o americano não conseguisse vencer a contagem. Nocaute para Ortiz que, apesar de parecer desleixado durante a contenda, em nenhum momento esteve com problemas. Ainda assim, talvez tenha que melhorar em alguns aspectos para não ter problemas diante de Ustinov, uma oposição, teoricamente, mais complicada do que a do dia de hoje.

Em uma excepcional preliminar, Sadam Ali (22-1, 13 ko’s) e Jesse Vargas (27-1, 10 ko’s) fizeram uma luta digna do título OMB dos meio-médios, que se encontrava vago. Com trocas de golpes ferozes, porém técnicas, tornou-se uma das melhores disputas mundialistas de 2016. Vargas arrebatou o cinturão durante o nono giro, por nocaute técnico, mas as coisas não foram simples para o novo campeão.

Ali começou melhor, e mostrou ser o mais técnico entre os dois. Porém, Jesse, conhecidamente valente, não se intimidou e equilibrou as ações já no segundo round. Dai em diante, eram golpes bem colocados de ambas as partes, um atrás do outro, e, em mais de uma vez, ambos chegaram a sentir socos potentes.

Até que, em um 8º intervalo até então dominado por Ali, Vargas encaixou grande contra-golpe de direita nos segundos finais, derrubando o seu oponente, que levantou-se apenas para ouvir o gongo. Um minuto de recesso não foi suficiente para que Sadam se recuperasse e isso ficou claro quando, logo nos primeiros punches que tomou, este voltou á sentir e se desequilibrar, até cair novamente. Mostrando coração, ficou de pé novamente, até ser massacrado pelas combinações de seu adversário, fazendo o árbitro interromper as ações.

Com a vitória, Jesse “vinga” a perda do mesmo boldrié, que também estava vago, quando foi dominado por Timothy Bradley, mas teve seu direito de tentar o nocaute de ultima hora cerceado pelo terceiro homem no ringue, em 2015.

Comentários