Pós-Luta

Publicado em 13 de Março de 2016 às 02h:21

Ramos vence Perez por decisão unânime, após interrupção devido à corte acidental

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Norte-americano dominou, teve poucos problemas para vencer o combate no evento transmitido pelo SporTV e venceria mesmo sem a paralisação. (Imagem: Top Rank)

Nesta madrugada em evento transmitido para o Brasil pelo SporTV direto do Marriott Covention Center, em Burbank, California, o norte-americano Casey Ramos (22-0, 5 ko's), bateu o colombiano Jonathan Perez (35-14, 28 ko's), nos pontos, em contenda de 10 rounds, que acabou interrompida em oito, dentro do limite dos pesos-leves.

Ramos começou melhor, dominando desde o início. Teve knockdown marcado á seu favor durante o segundo assalto, apesar de, aparentemente, Perez ter escorregado sem influencia do golpe aplicado. Na quarta passagem, uma cabeçada não intencional abriu corte no supercílio direito de Casey, que passou, obviamente, á sentir-se incomodado com o ferimento, apesar do bom trabalho de seu corner em estancá-lo.

Fazendo o “arroz com feijão”, mas bem feito, Ramos, sempre jogando de forma clássica, com a guarda fechada, foi pontuando e vencendo. Porém, durante o oitavo round, o corte reabriu e começou á sangrar de forma abundante. O médico, chamado para avaliar a situação pela terceira vez, determinou o encerramento da disputa. Naquele instante, nós marcávamos a luta em 80-71 para Ramos. Daniel Fucs, que comentava na transmissão, tinha em suas contas 79-72 também á favor do americano.

Os jurados determinaram de forma idêntica 80-71 em favor de Casey Ramos, caracterizando uma vitória por decisão técnica unânime.

Nas preliminares, o super-leve Arnold Barboza Jr. (11-0, 4 ko’s) manteve-se invicto ao vencer Maximilliano Becerra (8-2-2, 5 ko’s) nos pontos com marcações em 60-54 (duas vezes) e 59-55, após 6 giros disputados. O Round13 viu a disputa em 58-56 para Barboza Jr.

Em outra disputa, que não foi transmitida, o colombiano Miguel Marriaga (23-1, 19 ko’s) suplantou Adonis Aguelo (24-14-2, 16 ko’s) nas papeletas dos jurados depois de oito intervalos de enfrentamento com placares de 77-75 (duas vezes) e 79-73, em peso pactuado dentro do limite dos super-penas.

Comentários