Pós-Luta

Publicado em 21 de Janeiro de 2017 às 11h:30

Rose Volante vence substituta em Santos, por pontos, e segue invicta

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Nesta sexta, “Queen” enfrentou Carina Britos pela segunda vez e não conseguiu o nocaute como da última. Nas preliminares Gabriel Bonfim, Weude Amorim e Danila Ramos venceram por decisão unânime. (Imagem: Round13)

A “Rainha do Boxe Brasileiro”, Rose Volante (10-0, 6 ko's) dominou a argentina Carina Rivas (11-18, 7 ko's) na noite de ontem no Ginásio do Rebouças, em Santos, para manter-se invicta e sonhando com o cinturão mundial. Britos substituiu Natalia Aguirre de última hora, depois que a adversária original de Rose ter desistido do confronto.

Começando indo pra cima desde o primeiro segundo, Volante não deixou Carina respirar e não teve problemas em nenhum momento. Muito mais técnica e maior fisicamente, a diferença era gritante sobre o tablado. A hermana, no entanto, demonstrou muita valentia para seguir de pé, tomando os melhores golpes da brasileira e quase indo a lona em vários momentos, até, efetivamente, tocar o solo no quarto round.

Ainda com a torcida empurrando, Rose não conseguiu finalizar o combate antes do soar final do gongo, mas venceu por decisão unânime sem maiores problemas. Pontuamos a disputa em 60-53 em favor de Volante, que deve agora defender seu cinturão latino das pesos leves em sua próxima apresentação.

Na principal preliminar da noite, Weude Amorim (1-0, 0 ko's) saiu perdendo no primeiro round, mas virou a luta e venceu por pontos á Ismael Bonfim (1-1, 0 ko's), estreando com o pé direito ao tirar a invencibilidade do brasiliense. Destaque para o córner de Weude, em que Aloísio Silva, pai do leve William Silva, foi fundamental para a vitória de seu pupilo, instruindo-o e motivando-o exatamente como o necessário. Pontuamos 39-37, enquanto os scorecards apontaram uma decisão majoritária para Amorim.

Gabriel Bonfim (4-0, 0 ko's), mais uma vez desfilou sua habilidade ao vencer Pablo Meirelles (0-2) por pontos. Ele transpassou um oponente mais duro dessa vez, porém demonstrou uma frieza bastante promissora para obter o êxito. Apesar do ponto descontado, todos os árbitros viram Gabriel sobressaindo, assim como nós, que pontuamos a contenda em 39-36 à seu favor.

Abrindo a noite, Danila Ramos (1-0, 0 ko's) deu seu primeiro passo no pugilismo profissional ao vencer Amanda Lopes (1-3, 0 ko's) por decisão unânime após quatro rodadas. O imbróglio, porém, foi duro para Danila, tendo uma valente e nada boba oponente á sua frente. Ainda assim, com muita velocidade e precisão, Danila sacramentou uma ampla vitória por 40-36, pelo menos em nossa visão, confirmada após o anúncio do resultado.

O evento, que contou com três lutas amadoras, foi realizado pelo Grêmio Memorial em parceria com a prefeitura de Santos. Bem organizado e supervisionado pelo Conselho Nacional de Boxe contou com todos os exames médicos antes dos embates.

Comentários