Pós-Luta

Publicado em 05 de Março de 2017 às 01h:25

Thurman se consagra em sábado de desfecho surpreendente na Inglaterra

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Em Nova Iorque, Keith Thurman venceu Danny Garcia e unificou os cinturões da AMB e do CMB nos meio-médios, Já na Inglaterra, uma luta eletrizante, com algumas reviravoltas, marcou os destinos de David Haye e Tony Bellew
(Imagem: Montagem R13)

Os americanos Keith “One Time” Thurman (28-0, 22 ko's) e Danny “Swift” Garcia (33-1, 19 ko's) protagonizaram bom espetáculo agora a pouco no Barclays Center, em Nova Iorque. O campeão da AMB nos meio-médios (até 66,675 kg), conseguiu vencer e unificar seu título com o do Conselho Mundial de Boxe ao obter êxito por decisão dividida. Mais do que isso, superou seu maior deafio até então, diante dos olhos do público norte-americano em televisão aberta por lá, algo que deve alavancar sua popularidade substancialmente.

Thurman começou o confronto com tudo, e Garcia procurou responder na mesma altura. No último minuto do primeiro round, um cruzado de Keith fez Danny sentir e se resguardar para não ir à lona. “Swift” trocou de lugares no segundo assalto, ficando centralizado no quadrilátero, enquanto “One Time” fazia o giro por fora. Isso se provou melhor para o então campeão do CMB, mas não o suficiente para ser superior de forma consistente.

O atleta da Flórida não deu moleza para seu oponente da Filadélfia e já começou o terceiro giro fazendo-o, novamente, sentir o peso de sua mão. Garcia, no entanto, retornou melhor para a quarta passagem, trabalhando mais o jab do que antes, e isso mostrou lhe dar alguma vantagem. Na quinta ele melhorou ainda mais, conseguindo controlar as ações e acertar mais combinações.

Quando parecia haver perdido sua vantagem, Thurman retornou bem para o sétimo round e colocou belos punches. No oitavo, manteve-se no centro do ringue e acabou dominando. No nono, mais agressivo, soube entrar e sair do raio de ação do adversário nas horas corretas, mesmo quando se expunha demais.

O senso de urgência de Danny para a reta final da luta já estava claro durante o décimo intervalo. Ele aumentou o volume aplicado, sendo efetivo as vezes, mas se expondo em outras. Perdido, “Swift” ouviu a decepção de seu pai já no corner, antes do início do 12º giro. O desânimo estava em seu olhar. E foi esse sentimento de desespero que o fez bater o quanto pôde, não sendo suficiente, porém, para mudar os rumos do enfrentamento.

Só restava a confirmação da vitória de Thurman pelos jurados. Em nossa marcação, o nativo de Clearwater, litoral da Flórida, vencera por 116-112, e o que se ouviu no Barclays Center foram os scores em 116-112 e 115-113 a seu favor e um 115-113 em favor de Garcia, de um jurado que, provavelmente, deve ser parente próximo do mesmo, sendo esta a única explicação para esta marcação.

Keith torna-se então bicampeão mundial, unificando os cinturões da AMB e do CMB na categoria dos meio-médios. Mais importante do que isso, tira a invencibilidade de mais de 30 lutas do nome mais forte que já enfrentou até hoje. Ele sai de Nova Iorque com um status bastante diferente daquele em que se encontrava antes do soar inicial do gongo.

O combate foi transmitido, ao vivo, pela Fox Sports

Zebra na Terra da Rainha Elizabeth

Na Inglaterra, em um evento também muitíssimo aguardado, Tony Bellew (29-2-1, 19 ko's) surpreendeu o mundo ao suplantar David Haye (28-3, 26 ko's), por nocaute técnico no décimo primeiro round. Os britânicos lotaram a O2 Arena, em Londres, para ver o duelo entre os compatriotas, e não se decepcionaram.

Bellew começou bem, atuando claramente nos contragolpes, utilizando de muito reflexo para fugir dos ataques de Haye. O pesado londrino, no entanto, começou a sobressair após o quarto assalto, conectando mais seus potentes socos. O problema é que os rumores de uma lesão no tornozelo direito de David se confirmaram no sexto giro, quando este, claramente, sentiu o machucado, não conseguindo mais se equilibrar a partir dali.

Naquele momento, tudo se inverteu: Antes, a pressão pelo nocaute rápido estava nas costas de Haye, o favorito e mais forte sobre o tablado; agora era Bellew quem tinha que acabar com tudo. Quem antes surpreendia, agora era surpreendido, já que o “Hayemaker”, a despeito de ter sido derrubado, seguia recusando-se a desistir, inclusive vencendo um intervalo, em nossa visão, antes de sucumbir definitivamente no 11º round, após receber sequência avassaladora e quase cair do quadrilátero e ver seu córner jogando a toalha.

Tony, extasiado pela merecida vitória, disse ainda não saber sobre o futuro, ao passo que seu adversário já cogita uma revanche. O desfecho foi, sem dúvidas, uma grande surpresa. Ninguém esperava que o campeão mundial dos cruzadores pelo CMB fosse conseguir ser superior, ainda mais pela via rápida diante de um peso-pesado já estabelecido. O resultado desta tarde no Reino Unido pode ter mexido em determinadas peças da categoria máxima, mudando os rumos de algumas disputas de título no futuro.

Na principal preliminar do evento, Sam Eggington (20-3, 12 ko's), defendeu seu cinto Internacional do CMB nos meio-médios diante do experiente ex-campeão mundial Paul Malignaggi (36-8, 7 ko's), por nocaute técnico no nono giro.

A programação foi ao ar no Brasil, via VT, pela Fox Sports.

Comentários