Pós-Luta

Publicado em 09 de Abril de 2016 às 19h:32

Uma nova Era nos Pesados?

Foto do autor

Autor Luigi F.


Joshua (esq) venceu Martin (dir). Imagem: Andrew Couldridge / Reuters

Simplesmente sensacional. Rápido, forte e preciso, Anthony Joshua (16-0, 16 KOs) precisou de menos de dois rounds para nocautear “Prince” Charles Martin (23-1-1, 21 KOs) e conquistar o primeiro título de campeão mundial na carreira. O embate ocorreu na O2 Arena, em Londres, casa de Joshua.

A luta começou com Joshua melhor no primeiro giro, conectando bons golpes de direita no rival. No segundo assalto, um forte e preciso direto de direita mandou Martin à lona. O norte-americano chegou a levantar quando a contagem do árbitro apontava para 9 segundos. Foi questão de tempo. Em alguns segundos, Joshua mandou o rival novamente ao chão. O ex-campeão ainda chegou a levantar assim que o juiz contou o 10º segundo, encerrando a luta de forma correta.

Com a vitória, Joshua justificou todo o hype criado em cima dele desde sua profissionalização, em 2013. Campeão olímpico em Londres-2012, o britânico possuía muita expectativa em torno de suas performances.

Com um cartel perfeito de 16 vitórias e 16 nocautes, resta saber até onde o novo campeão pode chegar. A categoria máxima, que desde o ano passado já vinha proporcionando melhores momentos aos fãs da nobre arte, chega ao seu ponto máximo nos últimos anos. Agora é torcer para que, em breve, Joshua possa tentar unificar seu cinturão com os da AMB e OMB, detidos por seu compatriota Tyson Fury, ou então do CMB, possuído por Deontay Wilder. Outra super luta esperada para AJ é contra David Haye, que tem confronto marcado para o próximo dia 21 de maio, diante de Arnold Gjergjaj.

Na principal preliminar, George Groves (23-3, 18 KOs) nocauteou seu compatriota David Brophy (16-1-1, 1 KO), no quarto round. Com a vitória, Groves conquistou o cinturão internacional dos super-médios pela AMB, e tenta se posicionar novamente nos rankings para uma tentativa de disputar um título mundial. Groves já teve três oportunidades de lutar por cinturões mundiais, mas acabou derrotado em todas.

Em outra preliminar, o local Lee Selby (23-1, 8 KOs) manteve seu boldrié dos penas pela FIB ao bater o estadunidense Eric Hunter (21-4, 11 KOs) por decisão unânime. Após começar surpreendendo o boxeador norte-americano, Selby acabou surpreendido por um forte contragolpe de esquerda no segundo assalto, sofrendo uma queda. Depois disso, Selby passou a ser o dono das principais ações do confronto. Hunter ainda teve um ponto deduzido no oitavo round. Ao final de 12 assaltos, os placares de 115-111 e 116-110 (duas vezes) deram ao britânico a vitória. Para o Round13, Selby venceu por 117-109, mesmo placar apontado pelo comentarista Wilson Baldini Jr.

Na luta que abriu a transmissão ao vivo para o Brasil, o britânico Jamie McDonnell (28-2-1, 13 KOs) despachou o mexicano Fernando Vargas (29-10-3, 20 KOs), em 9 assaltos. Após dominar as ações, apesar de não demonstrar ter potência nos golpes, McDonnell embalou uma sequência que pôs fim ao duelo, vencendo por TKO no 9º giro. Com a vitória, o britânico manteve seu cinturão de campeão mundial dos galos pela AMB.

Outro combate transmitido marcou a estreia de Conor “The Destroyer” Benn (1-0, 1 KO) no boxe profissional. Filho de Nigel Benn, o britânico precisou de pouco mais de 2 minutos para bater o búlgaro Ivailo Boyanov (2-4-1), em duelo na categoria dos super-leves, ainda no primeiro assalto.

O evento foi exibido ao vivo para o Brasil pelo Esporte Interativo, através do canal EI Maxx, com narração de Luis Felipe Freitas e Guilherme Maia, e comentários de Wilson Baldini Jr.

Comentários