Pós-Luta

Publicado em 15 de Novembro de 2015 às 01h:41

Yamaguchi e Juliano Ramos vencem em Praia Grande

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Em ótimo evento, Yamaguchi Falcão (9-0, 3 ko’s) não encontrou maiores dificuldades para vencer Francisco Cordero (31-5, 22 ko’s), na noite deste sábado, em Praia Grande. O peso-médio bronze olímpico em 2012 obteve o êxito sobre o colombiano após a desistência do mesmo durante os primeiros instantes do 9º assalto.

Desde o início, o embate se desenhou com a superioridade técnica imperando sobre a letargia e falta de forma de Cordero. O único trunfo do boxeador da Colômbia era sua esquiva e sua experiência. Já Yamaguchi, ansioso pelo nocaute no primeiro round, continuava desempenhando com boa explosão nas combinações, porém, muitas vezes caindo nas provocações do oponente, tentava, ele mesmo, dar o troco e desestabilizar o psicológico alheio.

Com um adversário em cima do ringue claramente disposto á só se , fora de forma e numa categoria obviamente inadequada, Falcão fazia seu papel pontuando e encaixando seus punches, garantindo todos os assaltos do combate.

No sétimo giro o brasileiro já mostrava certo cansaço, isto porque ia, á todo momento, com muita sede ao pote. O colombiano o tempo inteiro duvidava do poder dos punhos de Yamaguchi, que se esforçava para demonstra-lo.

O ápice de Cordero veio na oitava rodada, quando o corner da família Falcão esqueceu seu protetor bucal, o fazendo sentir um soco. Ele pareceu, então, se empolgar com este acontecimento e acertou algumas vezes ao pugilista tupiniquim, que ainda assim levou a melhor neste intervalo. Foi o canto do cisne do atleta estrangeiro, pois o mesmo, estranhamente, desistiu da luta ao iniciar do penúltimo giro.

Primeiramente Francisco declarou que parou de lutar, pois estava preparado apenas para oito intervalos. Depois alegou problemas no ombro. Yamaguchi, por sua vez, não escondeu sua frustração por ter falhado ao entregar o nocaute que a torcida aguardava. E ele está errado por isso.

Falcão não tem como principal característica ser um nocauteador, já está claro. É chegada a hora de tomar nota disso, focar mais no treinamento de resistência, e não se afobar buscando a definição cedo. Isso apenas o prejudica. Sendo mais paciente e preparado fisicamente, a tendência é aumentar o percentual de vitórias pela via rápida para Yamaguchi, pois poderá estar em forma superior aos seus oponentes quando estes estiverem mais cansados. Além disso, sua habilidade e técnica são suficientes para leva-lo aonde quiser chegar, mesmo que seja nos pontos.

Na principal preliminar da noite, Juliano Ramos (21-6, 17 ko’s) fez contenda emocionante contra o argentino, Sergio Liendo (8-2, 2 ko’s). O brasileiro começou mal, sendo derrubado já no primeiro round, parecendo ter, inclusive, esquecido os fundamentos que um dia o fizeram uma promessa do boxe brasileiro. A saga continuou a mesma até o quarto assalto, quando Juliano finalmente obteve melhora em sua performance.

Liendo dominava o confronto, ainda que tomando bons golpes, até ser derrubado na sexta passagem. A partir daí o argentino demonstrou grande fragilidade e cansaço, dando oportunidade para que Juliano, agora com mais ritmo de luta, se reerguesse. Após terem sido tirados dois exagerados pontos de Sergio, no último giro (um desconto só seria o suficiente), confirmava-se a virada de Ramos. O Round13, com três analistas, foi unânime no 75-73 à favor do brasileiro, mesmo score de Daniel Fucs, pelo SporTV. As marcações dos jurados também apontaram seu êxito por pontos, com 75-73, 75-71 e 77-72.

Juliano Ramos retorna, assim, após dois anos, com uma vitória de forma bastante valente, e afirma: Quer ser rankeado e buscar uma título do Mundo.

A programação do Ginásio Falcão, teve transmissão ao vivo pelo SporTV, para todo o Brasil.

Comentários