Pré-Luta

Publicado em 19 de Fevereiro de 2016 às 18h:00

Após 10 meses, Ratinho retorna em fim de semana que conta com Felix Sturm na Alemanha e Jessie Magdaleno nos EUA

Foto do autor

Autor Daniel L. & Luigi F.


Imagem: Arquivo Pessoal

Foram 10 longos meses desde sua última apresentação, além de novos procedimentos para a melhora definitiva de seu olho direito, mas neste sábado, dia 20 de Fevereiro, acabou a espera. O brasileiro Marcus Vinícius de Oliveira, o “Ratinho” (24-2-1, 22 ko's), finalmente poderá voltar á fazer o que mais ama: Lutar boxe! Ele adentrará o quadrilátero do Camel Rock Casino, em Camel Rock, Novo México para confrontar o nigeriano radicado em Gana, Michael Gbenga (20-24, 20 ko's).

“Eu sou 100% lutador. Venci, perdi, derrubei, cai, ganhei títulos, estive no topo do mundo, mas uma fase negra me pegou. Managers, promotores, cirurgias no olho… Mas Gracas a Deus isso passou. Foram tempos difíceis, desafios diários, mas eu mantive a minha cabeça erguida. Meu orgulho sempre falou mais alto e o meu talento e poder de voltar foram importantes. Minha esposa é a base de tudo, ela me mantêm focado. Tenho Deus no coração e Tupac (Shakur, rapper americano e grande ídolo de Ratinho) na mente, todos os dias.” - declarou o lutador, com exclusividade ao Round13 a respeito desta volta às atividades profissionais.

Apesar de feliz por poder atuar novamente, Ratinho se disse magoado com algumas situações: “Saíram algumas matérias falando de mim e nelas pessoas comentaram negativamente sobre performance, idade, isso e aquilo… O brasileiro me trata como se eu não fosse brasileiro pelo fato de eu gostar dos EUA, viver aqui, falar daqui. Não falo '‘convencional’' como os outros pugilistas brasileiros, não vivo de drama, sou um cara real, e folgado, talvez, mas não falso e mentiroso. Sou o garoto da Zona Sul de São Paulo que nunca pediu nada para ninguém, nunca tive se quer um patrocinador do Brasil, lutei todo o meu caminho com orgulho e determinação e gracas a Deus tive outra chance de lutar boxe, coisa que eu sempre fiz na minha vida, por pouco ou muito dinheiro.”

O combate, à ser realizado no peso combinado de 82,5 quilos e pactuado para no máximo 6 rounds de disputa é o primeiro passo rumo à retomada de uma carreira que tinha tudo para decolar, e acabou estagnada graças a problemas contratuais e de ordem médica. Vivendo nos EUA desde 2012, esta será apenas a 4ª apresentação do brasileiro em solo estadunidense, aonde soma duas vitórias e uma derrota, até o momento.

Ao questionar como se sentia em relação a estar preparado Marcus afirmou: “Nasci brigando, fiz isso a minha vida toda. Me preparei bem. Usarei a minha experiência de vida no boxe. Minha meta sábado e abater meu rival todos os rounds, mostrar o que eu sei sobre a ciência desse esporte, mas se tiver que fazer uma luta física, também farei”.

A intenção deste evento e a escolha de um adversário que, apesar de nocauteador e valente, não possui uma técnica equivalente, é exatamente dar ritmo ao atleta para que volte a almejar os rankings mundiais. Gbenga nunca venceu grandes nomes mas foi até o final dos combates contra Trevor McCumby, Andre Dirrel e Isaac Chilemba, perdendo nos pontos. Também confrontou-se com o atual campeão dos super-médios pelo CMB, Badou Jack, em 2013, sendo derrotado pela via rápida durante o terceiro assalto. O lutador nascido na Nigéria vem de oito derrotas consecutivas, porém as últimas 7 foram decididas nas papeletas dos jurados. É portanto um bom teste para quem vem de um período de recuperação extenso.

Para finalizar, o brasileiro pediu para deixar uma mensagem que leva consigo, de seu ídolo, do qual possui o autógrafo como tatuagem no braço esquerdo: “O covarde morre todos os dias, mas o soldado morre somente uma vez” - Tupac Shakur

O Brasil sente falta de contar com Ratinho, não só por seu talento, mas pela figura polêmica e carismática que é, portanto vale a sua torcida. Infelizmente, não há transmissão televisiva confirmada do confronto.

Jessie Magdaleno x Rey Perez com transmissão pelo SporTV sábado!

Esquerda: Jessie Magdaleno (Imagem: Al Applerose/Top Rank) / Direita: Rey Perez (Imagem: Chris Farina/Top Rank)

Em evento que será realizado no Celebrity Theater, em Phoenix, nos EUA, o invicto super-galo norte-americano Jessie Magdaleno (22-0, 16 KOs) enfrenta o filipino Rey Perez (20-7, 5 KOs). Magdaleno, atualmente ranqueado entre os top 10 pela OMB, AMB e CMB, é o atual desafiante mandatório do campeão da OMB, o filipino Nonito Donaire. Se passar por Perez, deve ser questão de tempo até que Jessie tenha a oportunidade de disputar o título da OMB, que entrará em jogo no próximo dia 23 de abril, quando Donaire fará sua primeira defesa de cinturão contra o húngaro Zsolt Bedak. Vale lembrar que Perez será um substituto de última hora, visto que até 4 dias atrás, Magdaleno enfrentaria Edward Mansito. Outra curiosidade é que Magdaleno e Perez deveriam ter se enfrentado em agosto do ano passado, porém, naquela oportunidade, o americano acabou sofrendo uma lesão na mão durante os treinamentos, e foi substituído por Chris Avalos (que, por sua vez, acabou derrotando Perez por pontos).

Na principal preliminar, o super-galo estadunidense Carlos Castro (14-0, 6 KOs) encara o mexicano Rafael Eduardo “Dinamita” Reyes (6-5, 5 KOs).

A programação será transmitida ao vivo para o Brasil pelo canal SporTV na madrugada de sábado para domingo, a partir de 0h55, com comentários de Daniel Fucs.


Chudinov concede revanche a Sturm na Alemanha!

Chudinov (esq.) bateu Sturm (dir.) em mai/15. Imagem: http://www.boxing.com/rematch_chudinov_vs._sturm.html

Também no sábado, na Koenig Pilsener Arena, na cidade alemã de Oberhausen, o russo Fedor Chudinov (14-0, 10 KOs) faz a segunda defesa de sua cinta de super-campeão mundial pela AMB entre os super-médios contra o alemão Felix Sturm (39-5-3, 18 KOs). Vale salientar que Chudinov conquistou seu cinturão justamente contra Sturm, após levar decisão dividida por pontos em maio do ano passado, também em contenda realizada na casa do rival. Posteriormente, ele defendeu seu boldrié contra o britânico Frank Buglioni em setembro. Já Sturm, que já teve no currículo as conquistas dos títulos da AMB, OMB e FIB entre os médios, não sobe ao quadrilátero de cordas desde a derrota para o boxeador russo.

Comentários