Pré-Luta

Publicado em 21 de Abril de 2017 às 13h:41

Contra todas as probabilidades, Del busca sonho de título mundial neste sábado

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Brasileiro pode se tornar o quinto homem do país a ostentar um cetro mundial se vencer o favoritíssimo Jessie Magdaleno, neste final de semana, em Carson, Califórnia. Card que conta com mais duas disputas de título será transmitido pelo SporTV3.
(Imagem: FMA/Divulgação)

Fazia alguns anos que um brasileiro não tinha sequer a chance de disputar um cinturão mundial. Em 2011, Mike Miranda teve a oportunidade do interinato dos médios-ligeiros pela OMB. Em 2007, Carlos “Açougue” Nascimento, na mesma divisão de peso e entidade, perdeu para o campeão regular. Ainda naquele ano, Acelino Freitas perdeu a unificação de títulos dos leves para Juan Diaz. E o que seria o décimo título do Brasil, mantém-se como um sonho adiado.

Neste sábado, em Carson, Califórnia, dentro do StubHub Center, o ex-campeão mundial juvenil, Adeilson “Del” dos Santos (19-2, 15 ko's) terá a chance de mudar este cenário. Para isso terá que transpassar o invicto Jessie Magdaleno (24-0, 17 ko's), atual detentor da coroa dos super-galos pela Organização Mundial de Boxe. É a maior barreira já enfrentada por Del.

Para se ter uma ideia do favoritismo do norte-americano, em média, a aposta de US$ 100,00 (cem dólares) no êxito de Magdaleno dá um retorno mísero de US$ 1,00 (um dólar). Já se o brasileiro vencer, quem apostou a mesma quantia nele receberia US$ 1.700,00 (mil e setecentos dólares). Não há nenhuma proporção favorável em casas de apostas estrangeiras.

Percebe-se, portanto, a dificílima missão do valente atleta radicado em Santana do Parnaíba. No entanto, chegar em uma contenda mundialista já é um passo que muitos tentaram e pouquíssimos conseguiram. Vencendo, ou perdendo, Dos Santos sempre terá essa marca em sua carreira.

Se estivesse no córner de Adeílson, como estarão Edson “Xuxa” do Nascimento, Patrick Nascimento e Matias Erbin, todos da IBG – International Boxing Group, meu conselho seria de que ele fosse para cima, como total franco-atirador. O estadunidense é melhor tecnicamente, vem de vitória sobre Nonito Donaire, mas, como todo ser humano, possui um queixo e um limite de resistência para ele. Aceitar passivamente o que Jessie quiser impôr seria um pedido de derrota. É claro que se expôr demasiadamente também configura um risco grande, no entanto, na relação entre este e um possível retorno, aceitaria o mesmo de bom grado, dadas as possibilidades aventadas.

Não sabendo o que acontecerá, mas tendo em mente que a tarefa é das mais árduas, vale a sua torcida, neste sábado, a partir das 22:55, no SporTV3. O evento conta com mais duas belas pelejas, todas por boldriés mundiais.

Em uma, o super-médio mexicano Gilberto Ramirez (34-0, 24 ko's) volta após um ano parado devido à lesão, diretamente para defender o reinado que tirou de Arthur Abraham em sua última apresentação. Ele encara o ucraniano Max Bursak (33-4-1, 15 ko's), que nunca foi nocauteado. Já Oscar Valdez (21-0, 19 ko's), um dos maiores prospectos do México e da Top Rank, maior promotora do pugilismo na atualidade, faz defesa obrigatória de seu cetro dos pesos-pena frente ao colombiano Miguel Marriaga (25-1, 21 ko's).

Comentários