Pré-Luta

Publicado em 12 de Janeiro de 2017 às 16h:48

Em Miami, Lara protagoniza primeiro evento importante deste ano

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Defendendo pela quarta vez cinturão dos médios-ligeiros pela AMB, cubano radicado nos EUA encara Yury Foreman, ex-detentor deste mesmo título, com transmissão da Fox Sports. (Imagem: BoxingChannel.tv/Spike)

Profissional desde 2008, Erislandy Lara (23-2-2, 13 ko's) é mais conhecido do grande público por ter desertado da delegação cubana em 2007, durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, junto de outra estrela do esporte, Guilhermo Rigondeaux. Mesmo capturado e entregue ao governo da ilha caribenha, tanto ele quanto seu companheiro de fuga, finalmente escaparam algum tempo depois.

Para o mundo do boxe, no entanto, Lara é o atual campeão dos médios-ligeiros pela AMB e um dos mais complicados pugilistas de se vencer na atualidade – Saul “Canelo” Alvarez que o diga! Até por isso não é fácil achar adversários para ele. Os fãs casuais também não se empolgam com seu estilo, o que não ajuda. Por essas razões, talvez, que 2016 tenha sido marcado por apenas uma contenda de Erislandy, quando venceu Vanes Martirosyan nos pontos. Mas como todo bom campeão tem sempre algo a mostrar, o Hialaeh Park, em Miami, Flórida, será palco de sua primeira empreitada em 2017.

Diante de si terá Yuri Foreman (34-2, 10 ko's), atleta que já obteve a cinta em jogo em 2009, perdendo-a na sequência para Miguel Cotto, em 2010. Seus problemas físicos, principalmente as lesões no joelho, o afastaram do alto nível do esporte, e até provocaram dois hiatos de 2 anos em sua carreira. Retornando em 2015, vem de duas vitórias contra rivais de baixo escalão, não merecendo uma chance ao título agora, mas, como bem sabemos, a nobre arte tem seus mistérios…

Aos 36 anos esta pode ser a última chance do boxeador de Belarus a um título mundial, e até mesmo pode marcar sua derradeira aparição nos tablados. Contra um adversário à quem não se espera menos do que uma ampla vitória, portanto, Lara tem um trabalho, teoricamente, fácil à sua frente, mas que pode repercutir negativamente se não conseguir performar bem. Todo o mote do enfrentamento desta sexta-feira é o retorno da jóia de Cuba aos ringues, para provar que está em alto nível e desafiar os melhores.

Levar um atleta desertor à Miami é garantia de que seus irmãos cubanos que moram tanto na cidade quanto em Fort Lauderdale, Key West e adjacências, estarão presentes para vê-lo. Afinal, todos ali também abandonaram o mesmo lugar e deixaram para trás as mesmas coisas que Erislandy Lara, visando o sucesso. Lara carrega nas luvas, como todo o cubano no boxe profissional, o mesmo sonho daqueles que se refugiam nos EUA após perigosas travessias no mar. Além da notória responsabilidade, este fato traz este público para estas lutas, independentemente do adversário. Está aí a resposta para a escolha de Foreman como seu contendor.

O desenrolar desta história poderá ser testemunhado por nós, brasileiros, nesta sexta, ao vivo, à meia-noite, no Fox Sports. A programação deve contar também com Andre Dirrell (29-1-1, 23 ko's), ex-campeão dos super-médios pelo CMB, encarando o húngaro Norbert Nemesapati (24-4, 17 ko's) em 10 assaltos.

Comentários