Pré-Luta

Publicado em 22 de Fevereiro de 2016 às 14h:40

Final de semana de boxe na Europa terá unificação entre Frampton e Quigg, além de retorno de Cecilia Braekhus

Foto do autor

Autor Luigi F.

Notícia atualizada em 27/02/2016, às 16h40

Como todos sabem, este final de semana está recheado de lutas de boxe: nos EUA teremos Terence Crawford contra Hank Lundy, com o brasileiro Willian Silva desafiando o porto-riquenho Felix Verdejo nas preliminares; o retorno de Fabio Maldonado ao boxe profissional, em São Paulo, contra Robson “Bambu” Oliveira; e Claudionei “Casca” Lacerda lutando nos EUA. Justamente por isso, estamos antecipando nossas postagens, e iremos abordar as duas principais programações da nobre arte que ocorrerão na Europa neste sábado. 

Frampton e Quigg unificam coroas da FIB e AMB nos super-galos.

Carl Frampton e Scott Quigg. Imagem: SkySports.com

Em um excelente confronto, que ocorrerá na Manchester Arena, na cidade de Manchester, na Inglaterra, os britânicos Carl “The Jackal” Frampton (21-0, 14 KOs) e Scott Quigg (31-0-2, 23 KOs) sobem ao quadrilátero de cordas em contenda unificatória no limite de peso dos 55,3 kg. O embate valerá os títulos da FIB e da AMB, que atualmente estão nas mãos de Frampton e Quigg, respectivamente.

Essa será a terceira vez que Frampton colocará sua cinta da FIB em disputa. Conquistado em setembro de 2014, contra Kiko Martinez, o título já entrou em jogo contra Chris Avalos e Alejandro Gonzalez Jr, e Frampton conseguiu mantê-lo. Nessa última oportunidade, até passou um susto: foi derrubado duas vezes no primeiro assalto contra Gonzalez Jr, mas acabou se recuperando e vencendo por decisão unânime dos jurados.

Já Quigg possui seu cinturão da AMB desde setembro de 2013, quando passou do status de campeão interino para campeão regular, após o cubano Guillermo Rigondeaux ser alçado pela entidade à condição de “super-campeão”, prática comum da AMB para multiplicar seus títulos mundialistas. Desde então, foram 6 defesas, com 5 vitórias e 1 empate a favor do pugilista oriundo da cidade inglesa de Bury.

O evento será transmitido ao vivo para o Brasil pela canal Esporte Interativo Maxx 2 (EI Maxx 2), neste sábado, à partir das 16h50.

“Primeira Dama” Braekhus enfrenta Chris Namús com 5 cinturões em disputa! Afolabi e Huck também duelam em evento na Alemanha.

Cecilia Braekhus (esq. - Imagem: TheBoxingTribune.com) / Chris Namús (dir. - Imagem: Boxrec.com)

Uma situação que infelizmente é bastante rara ocorrerá também neste sábado: a “Primeira Dama” Cecilia Braekhus (27-0, 7 KOs) colocará os cinturões das 4 principais entidades que regem o boxe mundial pela categoria dos meio-médios, além de ter a chance de conquistar o título da Organização Internacional de Boxe (OIB), organismo que não faz parte do “primeiro escalão” da nobre arte. Sua adversária será a uruguaia Chris Namús (21-3, 8 KOs). O evento ocorre no Gerry Weber Stadium, na cidade alemã de Halle.

Nascida em Cartagena, na Colômbia, mas adotada aos dois anos de idade por um casal norueguês, Cecilia viveu e cresceu a maior parte da vida na região de Bergen, na Noruega, onde é radicada. Com cartel de 75-5 como amadora, Braekhus está invicta como profissional, e é campeã mundial desde 2009. Aos 34 anos de idade, a norueguesa conseguiu a façanha de conquistar todos os 4 grandes títulos mundiais em setembro de 2014, ao bater Ivana Habazin. Apenas para terem ideia da dimensão dessa proeza, Cecilia é atualmente a única boxeadora profissional a deter todos os cinturões mundiais (considerando homens e mulheres). Ela não luta desde novembro de 2014.

Já Chris Namús tenta pela quarta vez ser campeã mundial, tendo falhado nas três tentativas que realizou até hoje. Conhecida do público brasileiro por suas vitórias sobre as boxeadoras nacionais Juliana de Aguiar (2 vezes), Letícia Rojo, Adriana Salles (2 vezes) e Silvana Lima da Silva, além de ter se apresentado em solo brasileiro no ano de 2011, quando venceu a paraguaia Victorina Britez na cidade gaúcha de Santana do Livramento, Namús fará sua primeira luta fora da América do Sul. Apelidada de “El Bombón Asesino” (“Bombom assassino”, em tradução livre), a uruguaia não luta deste dezembro passado, quando bateu Silvana da Silva por pontos no Uruguai.

O evento ainda terá o combate entre o britânico Ola Afolabi (22-4-4, 11 KOs), que defende seu cinturão de campeão mundial dos cruzadores pela OIB, contra o alemão ex-campeão mundial pela OMB na categoria Marco Huck (38-3-1, 26 KOs). Esse será o quarto confronto entre os dois pugilistas. Nos anteriores, duas vitórias por pontos para Huck e um empate. 

Não haverá transmissão deste evento para o Brasil.

Comentários