Pré-Luta

Publicado em 08 de Abril de 2016 às 13h:32

Pacquiao vs. Bradley III – Um marco na carreira de ambos

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Filipino e norte-americano estão em ponto decisivo em suas carreiras. Se perder, Manny pode, definitivamente, se aposentar, já Bradley, vencendo, colocará seu nome entre os principais do pugilismo. (Imagem: Divulgação/Top Rank)

Neste sábado, 9 de Abril, poderemos testemunhar, ou não, a despedida de um dos maiores de todos os tempos. Manny Pacquiao (57-6-2, 38 ko's), aos 37 anos, sabe que já não é mais o mesmo de outrora, principalmente quando engatou sequência avassaladora de vitórias entre 2005 e 2011. Porém, seu nome ainda tem um peso gigantesco para o esporte. Prova disso foi sua luta diante de Floyd Mayweather Jr., em Maio de 2015, a maior ação promocional da história do pugilismo.

Isto dito, natural que sua apresentação de retorno ao quadrilátero atraia muito interesse. Será que o astro das Filipinas consegue ainda ser arrasador? Conseguirá fazer algo de diferente do que fez contra Mayweather, quiçá provar que mereceria até uma revanche? Pois bem, apostando nisso, Bob Arum e sua Top Rank, colocaram frente a Manny um velho conhecido: Timothy Bradley Jr. (33-1-1, 13 ko's), 32 anos, ex-campeão dos meio-médios e meio-médio-ligeiros.

Bradley e “Pac-Man” já dividiram o ringue em duas oportunidades. Na primeira, em 2012, o norte-americano foi agraciado pelos juízes com uma vitória por decisão dividida aonde nem o maior fã de Tim conseguiu enxergá-lo sobressaindo. Pacquiao vingou-se em Abril de 2014, exatos dois anos antes da contenda deste final de semana, ao bater seu rival por decisão unânime, de forma não muito diferente do encontro anterior, sendo que, desta vez, os jurados estavam realmente assistindo à luta.

Tendo sua invencibilidade arrancada por Manny, “Desert Storm (Tempestade do Deserto)”, como é conhecido, seguiu em frente, de forma irregular. Empatou com o duro Diego Chavez, venceu Jesse Vargas - retomando o cinturão da OMB, mas quase viu tudo desmoronar no último round - e só foi convencer o público após nocautear Brandon Rios, em Novembro.

A contratação do folclórico técnico/comentarista Teddy Atlas como seu principal treinador, parece ter feito-lhe bem. Bradley demonstrou mais confiança e solidez em seu plano de jogo. O problema é que Rios não serve muito como parâmetro, pois vinha de momento tão ruim na carreira que anunciou até uma aposentaria após a derrota. A prova de fogo da nova dupla será, exatamente, sábado, diante de Pacquiao, no MGM Grand, em Las Vegas. Vale lembrar que, apesar de importante, o imbróglio não vale nenhum título mundial, tendo Timothy abandonado seu boldrié para poder encerrar a trilogia com Manny.

Quem vencer pode ter diante de si uma superluta logo na sequência. A derrota, entretanto, pode traduzir-se em um final melancólico desta rivalidade como um golpe nocauteador para a história de ambos.

A principal preliminar da noite também é bastante interessante. O armênio naturalizado alemão, Arthur Abraham (44-4, 29 ko's) colocará em jogo sua cinta dos super-médios pela Organização Mundial de Boxe diante do primeiro colocado do ranking desta entidade, o mexicano Gilberto “Zurdo” Ramirez (33-0, 24 ko's).

O invicto atleta do México terá uma pedreira enorme pela frente, tendo que transpassar um tricampeão mundial em duas categorias se quiser alçar ao cetro mundialista pela primeira vez em sua trajetória e manter sua invencbilidade. Abraham, por outro lado, busca demonstrar que consegue bons resultados mesmo fora da Alemanha. Antigo monarca dos médios pela FIB durante 3 anos, o “Rei” Arthur obteve apenas duas vitórias na carreira longe de sua casa adotiva. Nas demais três oportunidades, acabou derrotado.

Em outra semifinal de destaque, o invicto peso-pena Oscar Valdez (18-0, 16 ko's) enfrenta o ex-campeão mundial Evgeny Gradovich (21-1-1, 9 ko's), valendo o título norte-americano desta divisão de peso pela OMB. Para quem não se lembra, Gradovich, que é russo, mas luta nos EUA atualmente, venceu o brasileiro Aldimar Silva Santos, em Outubro do ano passado, em uma complicada decisão dividida. Valdez, tido como um prodígio, terá seu maior desafio, até então.

O evento tem transmissão confirmada para o Brasil pelo SporTV, ao vivo, á partir das 21:55 desta sábado.

Comentários