Pré-Luta

Publicado em 03 de Março de 2017 às 17h:32

Sábado de arrepiar na Europa e nos EUA!

Foto do autor

Autor Daniel Leal


Enquanto na Inglaterra David Haye e Tony Bellew resolvem suas diferenças em cima do ringue, com Paul Malignaggi e Sam Egginton nas preliminares, do outro lado do Atlântico, em Nova Iorque, os campeões invictos Danny Garcia e Keith Thurman se enfrentam pela unificação dos títulos da Associação e do Conselho Mundial de Boxe nos meio-médios. Fox Sports transmite os dois eventos para o Brasil. (Imagem: Divulgação/Montagem R13)

Finalmente o dia 4 de Março de 2017 chegou, um dos mais aguardados dos últimos meses no mundo do boxe. Isso porque, dois eventos muito antecipados pelos fãs ocorrem neste sábado. O mais importante deles, sem dúvida, se dará em Nova Iorque, aonde os americanos Keith “One Time” Thurman (27-0, 22 ko's) e Danny “Swift” Garcia (33-0, 19 ko's) dividem o tablado. O primeiro, campeão da AMB nos meio-médios (até 66,675 kg), e o segundo, que por sua vez é o titular do CMB, se encontram para uma das mais esperadas unificações de títulos mundiais da atualidade.

Toda a aura envolta no confronto se deve aos holofotes que esta categoria vem atraindo já há alguns anos. Os dois maiores expoentes recentes da nobre arte, Manny Pacquiao e Floyd Mayweather Jr., atuaram dentro do limite das 147 libras, o primeiro, inclusive, detém o cinturão da OMB, ainda neste peso. Grandes clássicos do boxe moderno ocorreram nos meio-médios nos últimos anos envolvendo, além dos já citados Pacquiao e Mayweather, nomes como Shane Mosley, Oscar Da La Hoya, Miguel Cotto, Marcos Maidana, Ricky Hatton, entre outros.

Por isso que Thurman e Garcia acabam carregando consigo a alcunha de prospectos da nova geração. E, com isso, uma batalha unificatória entre ambos é um dos casamentos de combate mais bem executados dos últimos anos. Palmas para a “Premiere Boxing Champions”, que, em uma grande jogada, levará este imbróglio ao ar nos Estados Unidos em tevê aberta, pela CBS.

A qualidade técnica de ambos é indiscutível. Enquanto Garcia já é tricampeão do mundo em duas categorias, Thurman, que trilhou pacientemente o árduo caminho de campeão interino para campeão regular e agora “supercampeão” da Associação Mundial de Boxe, tem a chance de, pela primeira vez, desfilar com mais de um boldrié após o soar final do gongo. Além da vantagem física por atuar nesta amplitude de pesagem há mais tempo, “One Time” é mais pegador e, em minha visão, mais boxeador do que Danny em um contexto geral. Não fosse sua inatividade desde o excelente combate diante de Shawn Porter há nove meses, um dos melhores de 2016, além de seus hiatos recorrentes na carreira, minha aposta seria cravada no atleta da Flórida.

Já “Swift”, que irá em busca de sua quarta coroa mundialista, é mais rápido e vem em uma ascensão maior do que a de Thurman. Não tem tanto poder de punch, mas sua velocidade compensa este fato e conta com um questionável queixo de seu adversário como uma possibilidade de definir pela via rápida, apesar deste cenário ser mais improvável – eu disse, improvável, não impossível. Como se percebe, ambos têm plena chance de obter um êxito.

As bolsas de apostas, no entanto, veem Keith Thurman como favorito. Todas elas dão o “caiçara” de Clearwater estando mais próximo da vitória do que o pugilista da Pensilvânia, algumas em proporções maiores, outras menores. Essa dúvida só será tirada no sábado, e você poderá conferir, ao vivo, este confronto, através da FoxSports, a partir das 23 horas. A transmissão deve contar também com a excelente preliminar entre os meio-pesados Andrej Fonfara (28-4, 16 ko's), na Polônia, e o estadunidense Chad Dawson (34-4, 19 ko's), em um desafio decisivo para ambos.

No Reino Unido, é pessoal e entre pesos-pesados!

Não era muito lógico que, em meio a seu retorno ao esporte, David “The Hayemaker” Haye (28-2, 26 ko's) buscasse o atual campeão dos cruzadores pelo Conselho Mundial de Boxe, Tony Bellew (28-2-1, 18 ko's), como adversário. Depois de duas vitórias consideradas fáceis demais pela crítica especializada devido à qualidade baixa da oposição enfrentada, Haye adentra ao quadrilátero armado na O2 Arena, em Londres, sua cidade, com toda a pressão do homem que tem que vencer.

Bellew, apesar de possuir um cetro mundialista da categoria inferior em mãos, é o azarão em cada uma das bancas de apostas que estão recebendo os palpites quanto ao resultado do enfrentamento. Uma surpresa do boxeador de Liverpool chega a pagar mais de cinco vezes o dinheiro investido.

Falando em dinheiro, a rivalidade entre David e Tony fez se esgotarem todas as entradas para o combate. Ainda que o mais forte e extremamente nocauteador Haye seja franco favorito, muita gente está interessada no duelo entre ele e seu inimigo pessoal, que atuava no limite dos meio-pesados (máximo de 79,8 kg), até pouco tempo, e nesta sexta pela manhã subiu à balança com 96,8 kg. “The Hayemaker”, por sua vez, marcou 101,8 kg, exatos cinco quilos a mais.

A programação conta ainda com a promessa Sam Eggington (19-3, 11 ko's), que defende seu cinto Internacional do CMB nos meio-médios diante do experiente ex-campeão mundial Paul Malignaggi (36-7, 7 ko's). Malignaggi havia anunciado aposentadoria em 2015 após perder para Danny Garcia, mas, retomou a carreira e vem de três vitórias. Eggington, de 23 anos, tem uma interessante trajetória: Começou no boxe para ser um “journeyman”, ou seja, ser o homem que serve de escada para outros atletas, pois precisava do dinheiro. Não queria seguir exatamente carreira no pugilismo, até que seu treinador percebeu o talento do jovem pupilo e recolocou-o no caminho das vitórias, com êxito – ele já é o 14º do ranking do CMB, podendo subir muitas posições se vencer Malignaggi.

Infelizmente, apenas o VT deste evento será transmitido para o Brasil, também pela Fox Sports, após “Garcia vs. Thurman”, à 01h00 da manhã de sábado para domingo. O canal, que detém os direitos da transmissão, poderia perfeitamente fazê-lo através de sua plataforma online (FoxPLAY), ou de seu segundo canal, mas optou por não deixar de lado o “importantíssimo” VT de Real Madri x Eibar, ou os programas aonde debatem os mesmos lances de gol em replay até a exaustão, para isso.

Comentários