Pré-Luta

Publicado em 05 de Agosto de 2016 às 10h:42

Ward encara Brand, de olho em Kovalev. Em outro evento Juan Diaz segue seu retorno aos ringues.

Foto do autor

Autor Daniel Leal

O meio-pesado norte-americano tido como um dos melhores pugilistas pound-for-pound do mundo faz neste sábado mais uma, e possivelmente a última, luta preparatória para encarar Sergey Kovalev, em Novembro. Já no Arizona, “Baby Bull” Diaz segue seu retorno aos ringues (Imagem: Ray Chavez/Bay Area News Group)

Durante muito tempo, Andre Ward (29-0, 15 ko's) foi considerado o melhor super-médio do mundo. Não foi por acaso que conseguiu esta alcunha. Entre 2009 e 2011 ele alcançou o incrível feito de passar impune e somando dois títulos mundiais pelo torneio “Super-Six”, do canal Showtime, nos EUA. Venceu Mikkel Kessler, Allan Green, Sakio Bika, Arthu Abraham e Carl Froch em sequência e de forma incontestável. Último medalhista de ouro olímpico dos Estados Unidos, natural que fosse tido como parte do suprassumo do pugilismo mundial. Ocorre que, após a competição, Ward lutou apenas 2 vezes nos dois anos subsequentes, perdendo seus cinturões por não defendê-los.

Problemas contratuais e físicos levaram Andre à abster-se das competições entre o final de 2013 e Junho de 2015. Ao retornar aos tablados, tinha alvo fixo na subida de categoria para os meio-pesados, e declarou que o faria com parcimônia. Com vitórias amplas sobre Paul Smith e Sullivan Barrera, conseguiu acertar umas das maiores, se não a maior, contenda possível para 2016 no boxe: Está apalavrado que se encontre em Novembro com o campeão da AMB, OMB e FIB, o russo Sergey Kovalev, igualmente invicto e técnico.

A última parada antes deste embate será o colombiano Alexander Brand (25-1, 19 ko's), cuja missão é estragar a festa e colocar-se como o desfiante de Kovalev. Incumbência difícil para Brand, cujo maior adversário até hoje foi Badou Jack, atual campeão dos 76,2 kg pelo CMB quando este tinha apenas 10 lutas na carreira. Alexander perdeu para Jack por decisão dividida em 8 assaltos, e desde então venceu oito vezes seguidas. Vale lembrar que o pugilista da Colômbia, logo antes de pegar Badou, nocauteou o brasileiro Luzimar “Tyson Tigre” Gonzaga.

Se fizer a lição de casa no seu quintal, na Oracle Arena, em Oakland, Califórnia, neste sábado, Ward sela, portanto, sua oportunidade do tricampeonato mundial em duas divisões de peso distintas e, mais do que isso, terá a cance de recolocar-se no hall dos melhores lutadores em atividade atualmente. Brand é seu último teste, o qual deve passar sem dificuldades.

Juan Diaz continua retorno, no Arizona.


Imagem: Elizabeth Conley

Lutando no Casino Del Sol, em Tucson, Arizona, o ex-tricampeão mundial unificado dos leves, Juan “Baby Bull/El Torito” Diaz (41-4, 20 ko's), segue seu gradativo retorno às pelejas com mais um desafio, desta vez o maior desde 2013, quando encara, também no sábado, o mexicano Cesar Vazquez (27-3, 16 ko's), em disputa compactuada para 10 rounds no limite dos super-leves.

Diaz, mais conhecido dos brasileiros pela vitória sobre Acelino “Popó” Freitas em 2007, havia parado de atuar desde sua segunda derrota para Juan Manuel Marquez, em 2010. Retornando cerca de 3 anos depois, chegou a vencer inclusive o brasileiro Adaílton de Jesus em uma das 6 vitórias que obteve desde então. Vazquez é o oponente de melhor cartel com quem dividirá o ringue após seu hiato. Vale notar, no entanto, que o boxeador do México também havia pausado sua trajetória após 3 reveses consecutivos, voltando à nobre arte apenas no início do ano passado e logrando êxito em duas lutas. É um teste válido para Juan, porém ainda não o definitivo sobre se tem capacidade, ou não, de voltar á nata do esporte de luvas.

A Top Rank, promotora do evento, traz boas atrações nas preliminares. Entre os meio-pesados, o invicto estadunidense Trevor McCumby (22-0, 17 ko's) enfrenta Shujaa El Amin (12-9, 6 ko's), que perdeu por pontos para Chad Dawson em sua última disputa. Também nos 79,4 kg, o russo Egor Mekhontsev (12-0, 8 ko's), que venceu o brasileiro Jackson Junior em Setembro de 2015 por decisão unânime dos jurados, tenta manter-se invicto diante do americano Alexander Johnson (16-4, 7 ko's).

Infelizmente, ainda que interessantes, nenhuma das programações citadas nesta matéria teve sua transmissão anunciada para o Brasil, até o momento.

Comentários